• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 16 de julho de 2020, atualizada às 12h30

    Juiz de Fora é autorizada a avançar para Onda Branca a partir de sábado

    Da redação

    Foi publicado nesta quinta-feira, 16 de julho, no Diário Oficial de Minas Gerais, a mudança da macrorregião Sudeste para a Onda Branca do Programa Minas Consciente. Na noite da última quarta-feira, 15, o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral postou um vídeo nas redes sociais anunciando a mudança: "identificamos que a Região Sudeste poderá progredir para a Onda Branca. Eu gostaria de enfatizar o esforço com o isolamento adequado, redução dos índices e peço, novamente, que mesmo progredindo para a Onda Branca, mantenhamos o isolamento adequado. O máximo de isolamento e uso de máscaras. Vamos retomando devagar".

    Com a medida, as regras se tornam mais flexíveis para o funcionamento de atividades diversas como comércio e prestações de serviços. A norma estabelece que o período da onda branca será iniciado no sábado, 18, entretanto poderá ser revisto ou adiado até a data, considerado a disponibilidade de medicamentos no sistema de saúde para "a aferição do indicador de capacidade assistencial". 

    Entre os estabelecimentos que ficam liberados para retomar o funcionamento, estão comércio de antiguidades e obras de artes; armas e fogos de artifício; artigos esportivos e jogos eletrônicos; produtos agrícolas, plantas e floriculturas; móveis, tecidos e afins; e formação de condutores. Também passam a ser autorizadas outras atividades acessórias, como imobiliárias de imóveis próprios; jurídicas; contabilidade; consultoria e auditoria contábil e tributária; atividades de consultoria em gestão empresarial; e serviços de escritório e apoio administrativo.

    Além de Juiz de Fora, fazem parte da região Sudeste, 94 cidades, mas apenas 54 aderiram ao  programa do Estado, são elas:  Além Paraíba, Andrelândia, Arantina, Argirita, Astolfo Dultra, Belmiro Braga, Bicas, Bocaina de Minas, Bom Jardim de Minas, Brás Pires, Caparaó, Cataguases, Chiador, Coronel Pacheco, Descoberto, Divinésia, Dona Eusébia, Ervália, Estrela Dalva, Guarani, Guidoval, Guiricema, Itamarati de Minas, Juiz de Fora, Laranjal, Leopoldina, Maripá de Minas, Matias Barbosa, Muriaé, Olaria, Orizânia, Palma, Pedra Bonita, Pequeri, Piau, Pirapetinga, Piraúba, Recreio, Rio Novo, Rio Pomba, Rochedo de Minas, Rosário de Limeira, Santa Rita de Jacutinga, Santana de Cataguases, Santo Antônio do Aventureiro, Santos Dumont, São Geraldo, São João Nepomuceno, Silveirânia, Tabuleiro, Tocantins, Visconde do Rio Branco e Ubá.

    Algumas das orientações para essas regiões são que os estabelecimentos tenham meios para higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%. Eles também devem fornecer Equipamentos de Proteção Individual adequados para a atividade exercida e providenciar barreira de proteção física quando os funcionários estiverem em contato com o cliente

    Consulta pública

    O Governo de Minas abriu, nesta quinta-feira, uma consulta pública sobre o plano Minas Consciente, que prevê a retomada gradual e segura da economia no estado durante a pandemia do coronavírus, sempre colocando a saúde dos mineiros em primeiro lugar.

    O objetivo é que a população contribua e envie sugestões de aprimoramento para o programa, que passará por alterações para se adaptar ao novo momento da curva de contaminação. Nos próximos dias, Minas deve atingir o chamado platô, quando o número de casos e óbitos se estabiliza.

    O governador Romeu Zema ressaltou que o objetivo é ouvir a população e os prefeitos para adaptar o plano às necessidades dos mineiros e à realidade de cada região. “Queremos escutar os municípios, as pessoas, sobre como aprimorar o Minas Consciente para essa nova fase. A contribuição de todos é importante! A consulta ficara disponível uma semana. Todos poderão participar”, disse.

    Os interessados podem enviar as sugestões até a próxima quarta-feira (22/7), pelo site www.consultapublica.mg.gov.br.

    Adesão

    Até o dia 15 de julho, 199 prefeituras já tinham oficializado a adesão ao Minas Consciente, impactando mais de 4,1 milhões de mineiros.

    Plataforma digital do Minas Consciente

    A partir desta quinta-feira, todas as informações sobre o Plano Minas Consciente podem ser acompanhadas em tempo real. A ferramenta, alimentada pelas equipes das secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e da Saúde (SES), surge com objetivo de dar transparência aos dados e simplificar o entendimento da população quanto ao desenvolvimento da retomada gradual do comércio, serviços e outros setores em Minas Gerais.

    Por meio de cliques, é possível acompanhar os municípios que aderiram ao plano e identificar as macrorregiões de Saúde por ondas do Minas Consciente, de acordo com os protocolos previstos para cada onda.

    A plataforma digital oferece informações sobre a população total impactada pelo Minas Consciente. Os dados são distribuídos por habitantes impactados, como porcentagem da população por cada macrorregião, além do mapa do estado com os municípios que aderiram ao plano por número de habitantes. A ferramenta também dá luz aos dados econômicos do estado, detalhado pelo PIB de cada município.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.