• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Terça-feira, 17 de novembro de 2020, atualizada às 18h30

    Prefeito alerta sobre a responsabilidade individual no combate à Covid-19

    Da redação

    Em transmissão ao vivo realizada na manhã desta terça-feira, 17 de novembro, o prefeito de Juiz de Fora, Antônio Almas, alertou, mais uma vez, sobre a responsabilidade de cada um no combate à Covid-19. “Vou ser insistente nesse assunto. Estamos vivendo um momento de aumento de casos. Estamos vendo muita aglomeração: eventos clandestinos, comícios e eventos políticos. Aproveito e faço um alerta aos comerciantes também: cumpram os protocolos, porque não se pode descartar o risco de uma evolução ruim justamente na época do Natal”, enfatizou, pedindo a conscientização individual e dos comerciantes.

    Números da Covid

    Na semana passada, Juiz de Fora registrou 597 casos confirmados da doença. O número só foi menor do que o registrado na semana de 28 de junho a 4 de julho, quando 626 casos foram confirmados. Hoje, são mais de 27 mil casos suspeitos, mais de oito mil confirmados e 280 mortes registradas. Duzentas e trinta e duas pessoas estão internadas em virtude da covid, sendo 83 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 149 em enfermaria. A taxa de ocupação de UTI do Sistema Único de Saúde é de 81,14%, e, no sistema privado, 80%. “Temos um quadro que se agrava e precisamos entender. Nunca tivemos tantos pacientes em enfermaria e um aumento significativo em leitos privados. Estamos vendo atos de irresponsabilidade, que vamos pagar caro. O risco de colapso do sistema de saúde sempre existirá, mesmo aumentando o número de leitos. Precisamos que haja diminuição da transmissibilidade. Será preciso cada um de nós perder alguém querido para termos responsabilidade?”

    A taxa de isolamento médio é de 40%. A cidade já chegou a 60%. Além do isolamento ter diminuído, a falta de distanciamento, o não uso ou uso incorreto de máscara e o não cumprimento de regras mínimas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão ou utilizar álcool em gel são fatores individuais que trazem reflexos diretos no aumento da doença. “No Brasil não podemos dizer que saímos da primeira onda, pois em momento algum teve uma queda drástica dos números. Estávamos num platô. O mínimo de casos em uma semana foi 203.

    Eventos com aglomeração

    A Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaur) expediu auto de notificação a uma das organizadoras do evento "Vão Bora Amor", que aconteceria no último final de semana. Para evitar serem descobertos, os realizadores de eventos estão usando a estratégia de lista de whatsapp para venda antecipada das entradas. O local da festa só é divulgado aos pagantes de ingresso 30 minutos antes do início. Apesar do esquema para burlar a proibição desse tipo de evento, o Setor de Inteligência da Guarda Municipal conseguiu os dados da produtora, o que possibilitou a notificação antes da realização do evento. Organizadores de outro evento, sem licença, que aconteceria na BR-040, também no final de semana, foram notificados pelos fiscais de posturas sobre a proibição da realização. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada para acompanhar a situação e agir, caso necessário. O Decreto Municipal 13.975/2020 restringe a realização de eventos durante a pandemia de covid-19. A multa inicial por realização de promoções sem autorização é de R$ 4.849,17, e o local pode ser interditado.

    “Que falta de responsabilidade desses organizadores e também de quem vai. Não adianta só a fiscalização atuar. Se os eventos acontecem, é porque tem pessoas que vão. Aliás, quem promove esses eventos pode responder judicialmente, pois é crime expor as pessoas ao risco. Se cada um fizer a sua parte, podemos melhorar”, ressalta Almas. Desde o início da pandemia, a Prefeitura já realizou mais de seis mil fiscalizações devido ao descumprimento de algum item de combate à covid.

    Onda amarela

    Em reunião com o Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19, realizada na última quinta-feira, 12, foi definida a regressão do município para a “onda amarela” do Minas Consciente, devido ao número de casos de coronavírus estarem muito altos. Na live, o prefeito deixou claro que, hoje, não há orientação para que a cidade regrida para a “onda vermelha” ou decrete lockdown. “A regressão depende do Minas Consciente. Se os números não melhorarem, o Estado pode entender que deva ter nova regressão, restringindo mais na onda que estamos ou indo para ´vermelha`. Se houver necessidade, faremos restrições”.

    O prefeito encerrou a live apelando, mais uma vez, para o senso de coletividade das pessoas, tanto individualmente, como de comerciantes, donos de bares e organizadores de eventos clandestinos: “Saiamos de qualquer conflito ideológico ou eleitoral neste momento. Cada um, individualmente, pode fazer a diferença. Seguindo regras simples, como uso de máscara, distanciamento, só sair se for preciso, fazer a higienização correta das mãos e superfícies de contato. Além disso, os donos de bar têm que garantir a segurança dos clientes, mas quem frequenta também. Precisamos assumir a responsabilidade disso. Ninguém sabe como foi difícil conseguir a ampliação dos leitos de UTI, pois não é só o espaço físico. Existe burocracia com o estado e Governo federal, precisa de equipe, de gente que está se expondo e pode morrer por causa da sua exposição irresponsável”.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.