Sábado, 5 de dezembro de 2020, atualizada às 8h30

Juiz de Fora permanece na onda amarela, com novas restrições

Da redação

Diante da declaração da Secretaria de Estado da Saúde da possibilidade de rever as ondas do programa Minas Consciente e criar uma onda intermediária entre as amarela e vermelha, além das reuniões que vão ocorrer nos próximos dias para avaliar o aumento da capacidade assistencial da macrorregião Sudeste, o Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 (coronavírus) se reuniu na noite desta sexta-feira, 4, de forma extraordinária, para rediscutir sua decisão de retrocesso para a onda vermelha na próxima segunda-feira, 7.

A reunião também foi motivada pelo compromisso assumido pelas entidades de classe - Sindicato do Comércio de Juiz de Fora, Associação Comercial e Câmara de Dirigentes Lojistas – de adotarem, em conjunto, com toda a iniciativa privada, uma campanha educativa de massa a se estender até o dia 23 de dezembro, contemplando a veiculação em diversos tipos de mídia, buscando a conscientização da população sobre a gravidade do cenário epidemiológico enfrentado pelo município, bem como das medidas preventivas necessárias a serem observadas por todos.

No encontro da noite de ontem, o colegiado decidiu rever sua decisão, optando pela adoção de medidas mais restritivas dentro da própria onda amarela. Com isso, fica revogada a decisão de retrocesso à onda vermelha que ficará condicionado à avaliação dos indicadores do programa Minas Consciente que serão divulgados na próxima semana.

Entre as medidas definidas pelo Comitê estão:

- As praças de alimentação em todos os empreendimentos comerciais poderão funcionar com, no máximo, 50% (cinquenta por cento) de sua capacidade;

- Proibição de consumo de bebida alcoólica em todos os tipos de estabelecimentos comerciais, bem como em todo e qualquer espaço público;

- Os templos religiosos poderão funcionar com, no máximo, 20% (vinte por cento) de sua capacidade e os cultos e missas poderão ter duração máxima de 45 (quarenta e cinco) minutos;

- Proibição de todas as atividades de ensino extracurricular

Estas medidas passam a valer a partir da próxima segunda-feira, dia 7. As demais restrições e regramentos contidos no decreto municipal e nas últimas resoluções continuam valendo.

Força-tarefa

Nos próximos dias, a fiscalização do comércio será intensificada através de uma força-tarefa envolvendo os fiscais de postura, guardas municipais, agentes de trânsito, em parceria com os órgãos de segurança pública. O objetivo é verificar se os protocolos sanitários estão sendo cumpridos pelo setor produtivo da cidade. O Jurídico da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) estudará, ainda, sanções mais severas para os estabelecimentos comerciais que não estiverem cumprindo as medidas sanitárias.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.