Casos confirmados de Covid-19 em JF oscilam em um nível muito elevado, aponta boletim

De acordo com os dados divulgados no boletim, até o dia 19 de julho, os números indicavam 40.047 casos confirmados

da Redação - 24/07/2021

Com o avanço da vacinação na cidade, o número de vidas perdidas e a taxa de letalidade da doença apresenta queda gradual em Juiz de Fora. É o que aponta a trigésima segunda edição do boletim informativo da plataforma JF Salvando Todos, divulgada no dia 21 de julho.

O pesquisador Marcel Vieira, um dos autores do documento, explica que pessoas imunizadas têm menor probabilidade de se contaminarem. “Além disso, quando se contaminam têm maior chance de desenvolverem quadros mais leves da doença, com menor risco de perderem suas vidas. Com o avanço na vacinação e aumento da cobertura vacinal com duas doses, espera-se uma redução do número de vidas perdidas, acompanhado de uma redução da taxa de letalidade.”

De acordo com os dados divulgados no boletim, até o dia 19 de julho, os números indicavam 40.047 casos confirmados e 1.843 mortes pela Covid-19, representando um aumento de 4,8% e 2,8%, respectivamente, quando comparados com os números de quatorze dias atrás. Contudo, esses dados demonstram certa desaceleração nas taxas de crescimento, uma vez que, o percentual de número de casos confirmados e mortes indicaram no período do boletim anterior, 5,5% e 3,5%, respectivamente.

Em relação a taxa de letalidade, os dados também revelam queda. No dia 19 de julho, a taxa de letalidade da Covid-19 era de 4,60% na cidade. Os boletins divulgados anteriormente mostram que essa taxa era de 4,85% no dia 7 de junho, 4,76% no dia 21 de junho e 4,69% em 5 de julho, o que é um demonstrativo de queda gradual nas últimas semanas. Contudo, a situação ainda pede cautela, pois a taxa de letalidade em Juiz de Fora permanece superior às de Minas Gerais (2,57%) e do Brasil (2,80%).

Apesar das quedas, o documento aponta que o números de casos confirmados da doença vem oscilando ao redor de um nível ainda muito elevado, o que alerta para a manutenção de medidas de segurança, atenção e cuidado.

Marcel revela que “por conta da circulação da variante delta, estamos acompanhando um aumento substancial no número de casos em países que estavam com maior controle da pandemia por conta de uma maior cobertura vacinal. Estudos indicam que esta nova variante é muito mais transmissível do que as anteriores e por isso devemos continuar em alerta”.

Ritmo da vacinação segue acelerado

Levando em consideração a projeção populacional do IBGE para Juiz de Fora (573.285 habitantes), pode-se considerar que 51,1% da população recebeu a primeira dose e 22,4% receberam as duas doses ou a vacina de dose única.

A média móvel de primeiras doses aplicadas era de 2.809,3 no dia 20 de julho, fazendo uma comparação, no dia 6 de julho a média era de 3.079,6. Em relação à segundas doses aplicadas, a média móvel era de 2.255,4 e no dia 6 de julho era de 599,3. Esses números revelam que o ritmo da vacinação continua acelerado.

Apesar da aceleração, o boletim ressalta que é necessário que esse ritmo seja ainda mais acelerado. Marcel destaca que a cobertura vacinal ainda é baixa na cidade, principalmente em relação à cobertura com as duas doses da vacina, o que indica que a condição de alerta continua.

Cenário regional e nacional

Mesmo que em patamares ainda elevados (iguais ou superiores que ao pico da primeira onda da pandemia em 2020), o número de casos e mortes para a Covid-19 apresentou queda também em Minas Gerais e no Brasil, nas últimas semanas.

Em Minas Gerais, nos últimos quatorze dias, a taxa de crescimento de novos casos foi de 3,98% e de mortes também foi de 3,98%. Na edição anterior do boletim, esses números representavam 4,7% para novos casos e 5,6% para novos óbitos. Dessa forma, os dados atuais demonstram redução nas duas taxas.

No Brasil, os registros de vidas perdidas continuam elevados, mas vêm apresentando queda. O país ainda registra cerca de 8 mil vidas perdidas por semana. Desde a oitava semana epidemiológica (21 a 27 de fevereiro) o Brasil não apresentava menos de 10 mil mortes. A taxa de letalidade da doença está estável em 2,8% desde o dia 12 de julho. Assim como nos registros de óbitos, os números de casos também estão em queda.

Em relação ao número de vacinados com a primeira dose 90.048.384 já foram aplicadas. Com a segunda dose e dose única, esses números chegam a 34.382.646 pessoas imunizadas contra a Covid-19.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.