JF Salvando Todos mostra cobertura vacinal de JF superior à nacional

Com relação ao número de óbitos, a média móvel passou de 0,9 para 2 por dia entre as datas citadas

da Redação - 29/10/2021

Apesar do avanço da vacinação, o cenário da pandemia em Juiz de Fora ainda requer cuidados. É o que aponta a trigésima nona edição do boletim informativo da plataforma JF Salvando Todos. O material é produzido por pesquisadores da UFJF e teve sua mais recente atualização divulgada na quarta-feira, 27 de outubro. 

A 42ª semana epidemiológica (17 a 23 de outubro) em Juiz de Fora apresentou 383 novos casos confirmados de Covid-19 e 11 óbitos pela doença, o que representa aumentos de 27,7% no número de casos e de 57,1% no número de mortes em relação à semana anterior. Com isso, o município registrou, até o dia 25 de outubro, um total de 46.866 casos confirmados e 2.018 vidas perdidas. 

A média móvel de novos casos confirmados nos últimos sete dias evoluiu de 49,1 casos em 11 de outubro para 48,4 casos no dia 25 do mesmo mês. Portanto, isso representa uma redução de 1,4% desta variável, o que indica certa estabilidade. A média móvel do número de casos suspeitos sofreu um aumento de 147,9% no mesmo período. 

O coordenador da plataforma, professor Marcel Vieira, explica que os dados de casos confirmados vêm sofrendo flutuação, mas persistem ainda em um nível elevado, segundo indicadores internacionais. “Precisamos observar para entender se isso é uma possível reversão da tendência de queda de casos e vidas perdidas, ou não”, disse o pesquisador. 

Vidas perdidas

Com relação ao número de óbitos, a média móvel passou de 0,9 para 2 por dia entre as datas citadas. O aumento de 122,2% é ainda mais grave se comparado com o período de quatorze dias anteriores, quando houvera uma redução de 69% neste dado. O aumento no número de casos suspeitos e de vidas perdidas é considerado preocupante. 

A taxa de letalidade no município, entretanto, se manteve em queda no período analisado. No dia 25 de outubro, o valor estava na casa de 4,31%. As últimas três medições foram de 4,39, 4,36 e 4,33. No mesmo dia, registrou-se na Zona da Mata uma taxa de 2,86%, em Minas Gerais 2,54% e no Brasil 2,79%. Isso representa uma redução do dado em Juiz de Fora, apesar do valor ainda ser superior comparado ao regional, estadual e nacional. 

Avanço da vacinação

Até o dia 26 de outubro, 800.374 doses de vacina contra a Covid-19 haviam sido aplicadas em Juiz de Fora. Dessas, 442.774 foram de primeiras doses, 319.389 de segundas doses, 14.895 doses únicas e 316 terceiras doses. Com isso, 76,7% da população do município recebeu pelo menos a primeira dose, 55,3% recebeu as duas doses ou a vacina de dose única e 4,0% recebeu a dose de reforço. 

Quando comparados com os dados gerais no Brasil, os valores são de 72,0%, 52,7% e 3,4%. Isso indica que a cobertura vacinal na cidade segue superior à nacional. Na 42ª semana epidemiológica, foram aplicadas 1.224 primeiras doses, 14.720 segundas doses, nenhuma dose única e 5.122 doses de reforço. O somatório desses números representa 21.356 doses aplicadas no município no período citado, o que significa um aumento de 22,7% no total de doses em relação à semana anterior. 

Intercambialidade vacinal 

Na última quarta-feira, 27 de outubro, a Prefeitura de Juiz de Fora decidiu implementar a intercambialidade vacinal para as pessoas que estavam com a segunda dose em atraso. Devido à falta de repasses de novas doses da AstraZeneca para o município, quem recebeu a primeira dose do imunizante poderá receber a segunda dose da Pfizer para completar seu esquema de vacinação. A medida já vem sendo adotada em diversos municípios do país e em outras regiões do mundo. 

“Essa decisão vai favorecer o aumento da cobertura vacinal com duas doses no município, e com isso espera-se avançar mais rápido em direção à redução do número de casos e óbitos, e consequentemente no controle da pandemia”, afirma o especialista.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.