Ana Stuart Ana Stuart 28/7/2010

Contágio por contato

MeninoOs Jogos Olímpicos foram instituídos em abril de 1896, na Grécia, e o responsável por isso foi um educador francês, o Barão de Cobertin (1863 – 1937). Na época, ele criou a famosa frase: "O essencial não é vencer, mas competir com lealdade, cavalheirismo e valor".

A partir de então, a competição nos Jogos Olímpicos veio desenvolvendo, psicologicamente, várias armadilhas. Desde pequenos, somos acostumados a torcer por determinado time, atleta e país. Por trás dessa torcida, vamos desenvolvendo, ao longo da vida, nossa "paixão". Você muda de sonho, mas não muda de paixão.

E, progressivamente, vamos nos contagiando por meio dos contatos por afinidade e parentesco. Muitas vezes, torcemos sem ao menos questionar se realmente concordamos com a falta de lealdade e cavalheirismo. Apenas jogamos ali nossa necessidade de extravasar nossos medo e frustrações.

Não resta dúvida de que a palavra-chave dos jogos é a superação. É como se estivéssemos ali superando nossa preguiça e vencendo a nós mesmos. Somos estimulados a, a partir daí, acordar pela manhã com mais ânimo e dispostos a agir e reagir.

Quando me refiro ao contágio por contato é porque venho observando que é dada mais ênfase aos jogos coletivos do que às provas individuais. Portanto, antes de nos deixar contagiar, não seria importante termos força o suficiente para desenvolver nossas próprias ideias, abraçando as mudanças de hábito a que essas mudanças nos remetem?

Nos impondo mais, aprendendo a dizer não para a maioria, começando a colocar, dessa forma, em prática nossos desejos mais remotos e até então esquecidos ou guardados pelo medo de contrariar os mais próximos. Como, por exemplo, quem não prioriza a família e prioriza os jogos, pode ser que quando acorde seja tarde demais. Porque pode vir a perder o verdadeiro amor para manter a paixão.

Muitas vezes também entrando na armadilha da crítica desconstrutiva e pejorativa da sociedade que vai contra o pensamento do Barão de Cobertin.


Ana Stuart
é psicóloga e terapeuta familiar

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.