Ana Stuart Ana Stuart 29/01/2014

Desonestidade Emocional

desonestidadeA desonestidade emocional é um mecanismo de alta defesa para nos proteger do sofrimento.

E quando não falamos para o outro, nossas verdades mais íntimas e inconfessáveis, costumam passar anos e, com isto permitimos a deterioração da relação.

Em algum momento, nossos sentimentos reais aparecerão e acabaremos com a raiva, a vergonha e a solidão. A interação evoca emoções profundas e poderosas, e não existe fórmula de facilitação, mas sem sombra de dúvidas o caminho mais fácil é sermos absolutamente honestos a respeito do que sentimos.

Somos desonestos emocionais quando nos tornamos medrosos, fracos, tímidos, inseguros, com comportamentos infantis, apiedados de nós mesmos, ficando assim à margem do progresso, cultivando nossos limites enquanto o carro da evolução segue montanha acima.

O tempo é um velho perverso e rápido, não olha para trás, não dá nova chance, não te resgata, é implacável e você está sempre par a par com ele. Então o que seria ser honesto emocional?

Como disse, não existe fórmula, mas existe o trabalho pessoal de alto conhecimento e tomada de consciência dos próprios sentimentos e limites. E neste processo vamos assumindo as nossas verdades para conosco e com aqueles com quem interagimos.

Ser desonesto emocional é deixar passar o tempo, este velho implacável, sem lutar dia a dia com nós mesmos para sair das inverdades, perdendo desta forma a grande chance de nos tornarmos pessoas de verdade, sem manipulações e joguinhos emocionais.

É a única chance de sentir alívio, alto estima, de salvar qualquer tipo de relação, evitar doenças, sejam crônicas e as famosas somatizações físicas.

Mas lembre-se que para sair da desonestidade emocional o processo é muito doloroso, o preço a se pagar é muito alto, mas no final todos crescem, se encontram e florescem!


Ana Stuart é psicóloga e terapeuta familiar

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.