• Assinantes
  • Autenticação
  • Seus Direitos
    Sábado, 18 de julho de 2020, atualizada às 9h16

    Cemig terá que indenizar seguradora por danos a câmeras

    Da redação

    A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) terá que indenizar a seguradora Tókio Marine por prejuízos sofridos na rede elétrica causados por chuvas fortes. A decisão é definitiva, pois o caso transitou em julgado.

    A 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) manteve condenação da comarca de Belo Horizonte. A seguradora deve ser ressarcida em R$ 3.645, valor pago a clientes que tiveram 12 câmeras de monitoramento interno danificadas por falha no fornecimento de energia.

    A Tókio Marine ajuizou ação contra a Cemig pedindo de volta a quantia paga pela perda dos equipamentos de uma moradora e de um condomínio, em edifícios nas cidades de Ituiutaba e Juiz de Fora.

    Tempestades

    Segundo o TJMG, "o incidente ocorreu durante tempestades em outubro e dezembro de 2015. A seguradora apresentou laudos técnicos que apontaram como causa os defeitos no fornecimento de energia elétrica. A Cemig contestou a perícia, afirmando que se tratava de prova unilateral. Além disso, a Cemig argumentou que deveria ter participado da análise dos problemas dos equipamentos.

    A tese não foi aceita em 1ª Instância. O juiz Paulo de Tarso Tamburini Souza, da 6ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da capital, afirmou que a concessionária de serviço público, a menos que comprove culpa da vítima, caso fortuito ou força maior, "responde por sua conta e risco pelos danos causados a outrem, nos moldes da responsabilidade objetiva do Estado".

    A Cemig recorreu. A relatora, desembargadora Alice Birchal, destacou que a concessionária tem responsabilidade objetiva, o que significa que basta o dano para que haja a responsabilização, a não ser que a empresa demonstre a prestação válida do serviço e aponte a culpa do usuário, o que não aconteceu neste caso.

    Entretanto, a magistrada modificou a incidência de juros, que deverá acontecer a partir da citação, sob o índice da IPCA. Os desembargadores Belisário de Lacerda e Peixoto Henriques votaram de acordo com a relatora. Veja o acórdão e o andamento do caso".

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.