Sábado, 24 de outubro de 2020, atualizada às 11h

Usuários relatam fraudes no aplicativo Caixa Tem

Da redação

Um golpe por meio do aplicativo "Caixa Tem" está prejudicando usuários que utilizam a ferramenta. Uma delas foi o publicitário André Castro, que ao se dar conta que havia sido roubado, procurou uma agência da Caixa Econômica Federal. "Fui sacar o meu pagamento, que está reduzido pela empresa, e percebi que havia sido sacado. Imediatamente, entrei em contato com o banco, que confirmou a minha documentação e abriu o processo para investigar. Neste período, esperei mais de dez dias e retornei à agência e o meu caso havia sido resolvido".

Já a professora Gisele Marques ficou sabendo que a sua conta havia sido clonada ao utilizar o aplicativo para fazer compras. “Como estou desempregada, tenho feito compras de supermercado com essa ajuda do Governo. Quando fui pagar o que tinha comprado, não havia mais saldo. Foi um susto, pois horas antes o dinheiro estava lá. Registrei o boletim de ocorrências e esperei mais de 20 dias para que o problema fosse selecionado pelo banco. Fui uma situação constrangedora".

Segundo a Caixa, "os usuários do aplicativo Caixa Tem devem se apresentar em uma agência bancária, com documento de identidade para regularizar o cadastro".

“A Caixa esclarece que o aplicativo possui múltiplos mecanismos integrados de segurança, mantendo-se inviolável e seguro. O baixo percentual de fraudes observado deve-se à engenharia social, em que são utilizadas informações, documentos e acessos dos próprios clientes. Assim, recomenda-se utilizar apenas os aplicativos oficiais da Caixa e jamais compartilhar informações pessoais”, diz o banco em nota.

Segundo a Caixa, a área de segurança do banco monitora continuamente as contas e os acessos e, em caso de suspeita, realiza o bloqueio preventivo. “O banco esclarece que informações sobre eventos criminosos são repassadas exclusivamente às autoridades policiais, e ressalta que presta irrestrita colaboração nas investigações”, concluiu. A Caixa não informou quantas contas foram bloqueadas.

Contas de poupança

Na última quinta-feira, 23 de outubro, foi publicada a lei que regulamenta a conta de poupança social digital, usada pela Caixa Econômica Federal para o pagamento de benefícios sociais, como o auxílio emergencial.

A conta de poupança social digital permite que as pessoas possam receber o auxílio emergencial e outros benefícios sociais e previdenciários sem pagar tarifa de manutenção.

Essas contas possuem limite de movimentação de até R$ 5 mil por mês e permitem que o titular faça três transferências eletrônicas por mês, sem custos. O correntista poderá, ainda, utilizar a conta para pagar boletos bancários.

No caso de pessoas que tenham sido cadastradas para o recebimento do auxílio emergencial, abono salarial, saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) ou o programa emergencial de manutenção de empregos da Lei nº 41.020, a conta pode ser aberta de forma automática. No caso de benefícios previdenciários, o titular poderá solicitar a abertura da conta.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.