Buscas na Internet Saiba como realizar buscas com sucesso, otimizando tempo

Daniele Gruppi
Repórter
09/04/2008

Atualmente, muitas pessoas usam a Internet como fonte de suas pesquisas, deixando de lado as tradicionais enciclopédias. Como há uma grande variedade de informações e de fontes diversas, é comum os usuários terem dificuldades de encontrar o que procuram quando realizam suas buscas.

Segundo o professor de informática, Fabiano Gonzaga da Silva, o erro mais freqüente é a falta de um objetivo em mente. "Os internautas procuram por história, por exemplo, enquanto o que querem saber é sobre a história de Minas Gerais". Outro problema é que os navegadores costumam se perder durante as buscas, clicando em sites que não têm nada a ver com o desejado.

Para ele, existem vários sites de buscas que são considerados bons e ressalta que nem sempre os mais populares são os melhores. Ele afirma também que alguns oferecem mecanismos alternativos, como páginas que filtram alguns resultados relativos ao que é de interesse dentro do site de busca.

O professor dá algumas dicas para otimizar as buscas. "Usar aspas, evitar palavras que são encontradas em vários textos, como 'e', 'são', 'de' e perguntas, tipo 'quem inventou a televisão?'". O internauta Agnaldo Lopes diz que a sua dificuldade é saber em qual resultado clicar após uma infinidade de retorno que a pesquisa apresenta. Para solucionar este problema, o conselho de Fabiano é não usar termos muito longos.

Foto de Fabiano Fabiano faz um exercício com seus alunos para explicar quais sites estão fornecendo informações verdadeiras. "Pergunto em que ano a internet foi inventada. Os meninos me apresentam cinco respostas diferentes, então lhes digo para darem credibilidade para sites oficiais, evitando os blogs, fóruns ou chats, pois neste há a opinião da pessoa que escreve e não o fato real".

Segundo Fabiano, para saber se as informações são verdadeiras é bom olhar as fontes. "Em sites confiáveis, nas redações fala quem é o autor e menciona também sobre sua obra. Na dúvida, consulte outros sites", recomenda.

O profissional levanta uma outra questão. "Muitas pessoas não lêem as informações encontradas nos portais. Às vezes, a procura é em relação à estética. Digita-se a palavra, cai em uma homepage que tem uma matéria sobre o assunto, e o internauta acha que está navegando em uma clínica de estética. Isto é falta de leitura. As pessoas querem tudo muito mastigado", avalia.

Fabiano Gonzaga ressalta que para as pesquisas escolares recorrer às enciclopédias globais online é o ideal. Mas o internauta em seu trabalho tem que citar as fontes no trabalho. "Às vezes, pego dois trabalhos com as mesmas citações, sendo que na referência estão nomes de autores diferentes. Neste caso, é bom olhar para a data de publicação. Os textos com datas mais antigas tendem a ser os mais corretos, porque os conteúdos com data recente podem ter sido copiados".

O diretor de arte Bruno Kingma utiliza muito sites de buscas para procurar fotos e gravuras. Segundo ele, sempre recorre para páginas especializadas em imagem. "A facilidade de encontrar imagens e informações concretas na web é cada vez maior". A última dica do professor é navegar mais vezes, utilizar sempre as buscas para ganhar experiência e agilidade.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.