Reforma do Museu Mariano Procópio Em decorrência da reforma, Museu pode fechar para visitantes



Renata Cristina
Repórter
30/01/2007

Mesmo com os esforços de toda a equipe envolvida na reforma do Museu Mariano Procópio para mantê-lo aberto a visitação turística, há previsão do fechamento das portas ainda neste semestre.

A interdição seria necessária para reparos no telhado do prédio principal, que abriga a maior parte do acervo, com mais de 45 mil peças do Brasil Império, pertencentes a família de Alfredo Ferreira Lage, seu fundador.

Conforme explicou Carina Martins Costa (foto abaixo), chefe do Departamento de Difusão Cultural da Fundação Mariano Procópio (MAPRO), não há uma data certa para o fechamento, mas assim que houver o recebimento de verbas, a aréa deve ser isolada. "A partir do momento em que os recursos chegarem, teremos que esvaziar o prédio para as obras, pela própria conservação do acervo, fato que inviabilizará as visitas", esclarece.

Foto ACESSA.COM

Foto ACESSA.COM O período em que o prédio vai ficar fechado também não está definido. "Tudo dependerá dos recursos disponíveis", avalia Carina.

Simultaneamente às obras no prédio central, está programada a redistribuição do acervo, através de um estudo que vai definir novos locais para os ítens expostos, além de incluir alguns objetos de valor histórico ainda não conhecidos pelo público.

Embora a data de fechamento seja uma incógnita, a expectativa é de que até o Carnaval o Museu esteja aberto de 12h às 18h, de terça a domingo, com entrada franca. As visitas guiadas também permanecem durante este período nos horários de 12h30, 15h30 e 16h30, de segunda a sexta. Nos finais de semana, os guias atendem ao público de hora em hora.

Reforma

Foto ACESSA.COM A segunda etapa de reforma do Museu Mariano Procópio já tem recursos garantidos na ordem de R$ 1 milhão. Um acordo assinado pela Caixa e a Prefeitura de Juiz de Fora, no último dia 22 de janeiro, formalizou o repasse de R$ 975 mil pelo banco, em contrapartida com R$ 195 mil do Governo Municipal.

Segundo o diretor-superintendente da Fundação Museu Mariano Procópio, Francisco Antônio de Mello Reis, em declaração oficial no dia 22 de janeiro, o valor será destinado à restauração da Villa Ferreira Lage, casa em que morou Mariano Procópio. O prédio, em estilo Renascentista, é de 1861 e necessita de reparos em toda a sua estrutura. "Telhados, portas, janelas e toda a área crítica será revitalizada", explica o diretor. As obras só devem ter início no mês de abril.

Uma parte do projeto direcionado a revitalização do parque está paralisada em decorrência das chuvas. De acordo com Maria das Graças Duarte (foto abaixo), chefe do Departamento de Planejamento e Manejo do Parque, a região do lago é a mais atingida pela água. "Já realizamos uma drenagem, mas o lago continua alagado. As bombas estão ligadas diariamente", afirma. Os animais também foram transferidos do parque.

Foto ACESSA.COM Enquanto a chuva não cessa, os trabalhos estão concentrados na limpeza do jardim e ilhas, além da construção de um poço artesiano para o complexo arquitetônico. Assim que houver uma estiagem, está prevista a aplicação do plano altimétrico no entorno do lago, que define as medidas originais do projeto atribuído ao paisagista francês Auguste Glaziou. Para firmar as margens, evitando o alargamento da área, serão utilizadas toras de eucaliptos em diversos pontos.

Ainda na área de 78 mil metros quadrados, as trilhas já existentes ganharão sinalização para passeios guiados. "Os visitantes terão a oportunidade de conhecer lugares nunca explorados turisticamente", acredita Carina. Em diversos pontos do parque, podem ser construídas varandas cobertas, voltadas para o lazer dos vistantes. Nos locais, haverá espaço para piquenique, leitura e atividades recreativas.

A entrada do parque pela Praça Mariano Procópio deve ser transferida para o lado esquerdo de quem está de frente para o lago. O projeto de revitalização da aérea prevê um portão maior do que o já conhecido pelos juizforanos e, ainda, um saguão de entrada para exposições de arte e eventos culturais. Logo na chegada, os visitantes vão contar com uma áerea de serviço, com lanchonete, banheiros e setor de informações.

Divulgação

Foto ACESSA.COM Após uma década sem material informativo, o Museu Mariano Procópio ganhará um folder repaginado. Desta vez, o enfoque será dado à Villa Ferreira Lage, pela sua importância arquitetônica e histórica. A expectativa é de que o lançamento do material seja feito em fevereiro e cerca de 3.500 folders sejam distribuídos em pontos estratégicos, como hotéis, aeroportos, rodoviárias, agências e secretarias de turismo da região.

Além das orientações para os turistas, o encarte possui apelo visual, elaborado para se transformar em uma miniatura da casa em que viveu Mariano Procópio. A pesquisa saiu do próprio MAPRO, por meio de um trabalho que mapeou todas as formas impressas de divulgação do Museu desde a década de 40. A turismóloga, Vanessa De Paula (foto ao lado), responsável pelo trabalho, acredita que o novo folder garantirá ao museu novos ares. "Muita gente acha que o Museu está fechado. Queremos divulgá-lo como um lugar dinâmico", esclarece.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.