Quinta-feira, 26 de junho de 2008 atualizada às 11h25

Festival de inverno de Ouro Preto e Mariana aposta na acessibilidade e na integração da região. Expectativa é atrair 240 mil pessoas neste ano



Priscila Magalhães
Repórter

Para esta edição do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, o personagem homenageado é Aleijadinho, com o tema Talentos e Mitos do Brasil, presente na programação extensa e variada. O festival aposta na acessibilidade e pretende integrar a região.

"Os eventos são gratuitos e o preço das oficinas foi reduzido em torno de 30%. Assim, pretendemos dar acesso a todos", explica o pró-reitor de Extensão da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e coordenador-geral do evento, Rodrigo Meira Martoni.

A variedade da programação vai atingir públicos diferenciados. Entre os dias 08 e 27 de julho, a comunidade local e os turistas vão assistir a apresentações musicais, teatrais, de dança e mostras cinematográficas, além das oficinas. A expectativa é que cerca de 240 mil pessoas passem pela cidade durante estes dias.

As oficinas estão relacionadas às áreas culturais que compõem o evento: literatura, artes plásticas, visuais, cênicas, música, patrimônio cultural e natural. Duas mil vagas são oferecidas em 63 oficinas. Moradores de Mariana e Ouro Preto têm desconto em qualquer curso. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo site oficial do evento.

Shows agendados

Entre os shows, estão confirmados Arnaldo Antunes, Maria Rita, Monobloco e Demônios da Garoa. As apresentações teatrais ficam por conta dos grupos Barracão Teatro, Grupo Galpão, Cia Imprópria e Residência Teatro, entre outros. As mostras são Devoção, Revisitar no Tempo - Aleijadinho e a contemporaneidade, Objetos Sedutores e Bamboletras. Para as crianças tem o Grupo Giramundo, Cia. Truks, Cia. Lunática e Bia Bedran.

Como acontece simultaneamente em Mariana e Ouro Preto, o festival vai contribuir para integrar a região e divulgar o turismo. "Os turistas vão poder conhecer as duas cidades de uma só vez", diz Martoni. Além das oficinas, alguns shows também vão ser pagos pelo tamanho reduzido de alguns locais. Segundo o pró-reitor, esta é uma forma de valorizar o evento e, principalmente, as oficinas. "Quando era gratuito, as pessoas se inscreviam nos cursos e não compareciam", completa.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.