Férias movimentam setor de equipamentos de segurança Com as câmeras de vigilância é possível monitorar seu imóvel através da internet


Guilherme Arêas
Repórter
23/01/2009

Deixar a residência sozinha durante um longo período de tempo requer cuidados especiais com a segurança do imóvel. De acordo com a Polícia Militar, é necessário deixar alguém responsável para conferir a movimentação da casa, assim como recolher as correspondências (veja mais dicas).

As empresas de equipamentos eletrônicos surgem como uma opção para quem pode colocar a mão no bolso em prol da segurança. Portões eletrônicos, interfones, cercas elétricas, alarmes e câmeras de vigilância são os equipamentos campeões entre os consumidores dispostos a investir na preservação dos bens materiais e até da vida dos familiares.

O consultor em segurança José Thiers garante que na época que antecede as férias cresce a procura por esse tipo de equipamento contra a violação e invasão de casas e empresas. Entre os equipamentos mais modernos estão os alarmes com transmissão via GPRS, que enviam as informações sobre o sistema de segurança para uma central de controle.

Foto de equipamentos de segurança Foto de equipamentos de segurança

O preço pago pela segurança varia. A instalação de um kit básico de alarmes pode custar entre R$ 600* e R$ 700*. Se o consumidor quiser um monitoramento da própria empresa de segurança, o custo é maior. "Com a instalação apenas do alarme, a pessoa vai ter a proteção no local. Se ela optar pelo monitoramento, a empresa também recebe os sinais de violação ou invasão do imóvel e envia os seguranças até lá", revela.

"Neste caso, o preço e a qualidade dos produtos são importantes para saber qual equipamento escolher. O consumidor tem que verificar o custo-benefício dessa compra". O preço do kit também pode variar de acordo com o tipo de sensor que será instalado no imóvel. A função dos sensores infravermelhos é detectar as alterações de temperatura no local. Eles podem ser instalados em ambientes fechados, semi-fechados e abertos.

De acordo com Thiers, a tendência entre os consumidores é a instalação dos sensores para ambientes abertos. Dessa forma, os moradores da casa podem circular normalmente dentro do imóvel sem se preocuparem com possíveis disparos acidentais. Com os sensores internos, o simples deslocamento de uma pessoas entre dois cômodos pode acionar o alarme, caso ele esteja ligado.

Os alarmes com sensores de ambiente externo também são mais vantajosos para quem viaja e deixa a casa sozinha. Se houver uma tentativa de invasão, o alarme será acionado antes mesmo de o invasor chegar a abrir alguma porta ou janela da casa.

Foto de equipamentos de segurança Foto de equipamentos de segurança

Já para instalar um kit com quatro câmeras com imagem em preto e branco, mais recomendadas para residências, o proprietário do imóvel pode ter que desembolsar até R$ 1.400*. "No o comércio é recomendado instalar câmeras coloridas para facilitar a identificação pelas cores", explica.

Um computador ligado às câmeras pode fazer a gravação das imagens. Quanto melhor a qualidade da máquina, mais tempo de imagens ela é capaz de armazenar. "A configuração mínima que nós exigimos é um HD de 250 gigabytes". Além de fazer a gravação, quem instala os equipamentos pode assistir a tudo o que acontece em tempo real, através da internet. Para isso, basta que o computador ligado às câmeras e o outro que for exibir as imagens estejam ligados à rede mundial de computadores.

A instalação dos equipamentos requer cuidados

Antes de adquirir equipamentos de segurança pessoal, o consumidor tem que ficar atento a alguns requisitos destacados pela Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE).

De acordo com o órgão, devem ser verificadas as qualificações da empresa que será contratada e outros projetos já realizados por ela, além de conferir a qualidade dos produtos a serem comprados e instalados. O bom planejamento pode evitar que o investimento em segurança seja mal utilizado.

Antes de viajar, confira as dicas
  • Comunique-se com seu vizinho. Durante a sua ausência, ele é a segurança mais próxima. Telefone para ele de vez em quando para saber se está tudo bem;
  • Evite colocar cadeados do lado de fora do portão. Isso poderá denunciar a saída dos moradores;
  • Evite comentar com pessoas estranhas que irá viajar;
  • Evite deixar o portão da garagem aberto;
  • Instale dispositivos de segurança como reforço da tranca normal de portas e janelas;
  • Evite deixar a sua residência com aparência de vazia. Não feche completamente as cortinas e persianas. Não deixe luzes acesas durante o dia e a noite;
  • Peça ajuda aos seus vizinhos, não deixando acumular jornais e correspondências;
  • Peça ao zelador para não informar que você está viajando;
  • Faça um exame cuidadoso do aspecto físico do seu imóvel e procure melhorar a segurança dos pontos que podem ser vulneráveis;
  • Portas e janelas corrediças não são totalmente seguras. Pinos de segurança ou até mesmo um cabo de vassoura resolvem este problema;
  • Procure formar uma rede de vigilância comunitária para que haja observação mútua de residências;
  • Verifique antes de sair se as portas e janelas estão trancadas, se o registro geral de água e de gás estão fechados e se os cinzeiros, lareiras e churrasqueiras estão limpos de brasas;
  • Não deixe bilhetes comunicando a empregados e amigos seus planos de viagem e instrua os demais membros da família a fazerem o mesmo;
  • Nas ausências prolongadas, peça a um parente para visitar sua casa, para demonstrar a presença de pessoas (abrindo janelas, regando jardins, entrando com carro na garagem, etc.);
  • Só deixe as chaves de sua casa com pessoas de absoluta confiança;
  • Desligue a campainha. Assim você deixa em dúvida quem usá-la apenas para verificar se você está em casa;
  • Quando retornar das férias, antes de entrar em casa, procure perceber se há cheiro estranho (principalmente de gás). Em caso positivo, não ligue as chaves de energia ou interruptores. Abra todas as portas e janelas para ventilar. Procure descobrir e vedar o vazamento. Em caso de dúvida, chame os bombeiros (193).

  • Chame a polícia quando você observar:
  • Luzes acesas ou barulho em casa de vizinhos que estejam viajando e não tenham avisado qualquer coisa a respeito;
  • Táxi, carro particular ou caminhão recebendo mercadorias volumosas, com os elementos agindo de maneira nervosa, e sem os cuidados necessários com os objetos a serem transportados, tais como: televisão, aparelho de som, etc;
  • Pessoas armadas ou grupos suspeitos anotando as placas dos veículos estacionados;
  • Carros novos conduzindo três ou quatro elementos, com placas duvidosas ou danificadas;
  • Transeuntes carregando grandes embrulhos;
  • Estranhos parados em portas ou perto de edifícios ou casas, por muito tempo.

Fonte: Assessoria de Comunicação Organizacional do 2º BPM

*Preços informados em janeiro de 2009

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.