Juizforanos buscam pacotes turísticos para o Carnaval  Nesta época, achar vagas em hotéis é difícil e o preço dos pacotes sai mais caro. Nas cidades históricas de Minas, turistas correm o risco de ficar sem hospedagem

Daniele Gruppi
Subeditora
27/1/2010

Com a aproximação do Carnaval, as agências de viagem se desdobram para atender os clientes de última hora. Nesta época, achar vagas em hotéis torna-se difícil e o pacote turístico acaba saindo mais caro. Mesmo assim, os juizforanos movimentam as agências à procura dos roteiros ideais para o feriado. Há opções para quem quer curtir a folia e para quem prefere a tranquilidade.

Segundo a proprietária de uma agência de viagem, Lícia Goulart, o Nordeste é um dos mais requisitados. Para passar os quatro dias em Salvador, um pacote pode sair por volta de R$ 2.400, por pessoa. O preço varia de acordo com a escolha pelas festas e blocos de Carnaval. Outra opção bastante procurada, principalmente pelos jovens, é o cruzeiro pela costa brasileira, que inclui um dia na capital baiana. O passeio de uma semana custa em torno de R$ 2.750, por pessoa.

Porto Seguro também faz parte do roteiro dos foliões. Segundo a agente de viagem, Elisa Zimmermann, a cidade tem um Carnaval animado e o preço é mais acessível. Passar sete noites de pura curtição em Porto Seguro pode variar de R$ 1.000 a R$ 1.300, por pessoa. Conforme a proprietária de outro estabelecimento, Alice Cherem, pacotes para a região dos Lagos e Guarapari também têm uma boa vendagem nesta época.

folderPara quem quer fugir da agitação, Foz do Iguaçu é uma alternativa. O preço do pacote para a viagem de quatro dias é de R$ 1.800, por pessoa. Há ainda os destinos internacionais. Buenos Aires, na Argentina, e Santiago, no Chile, lideram a procura. Uma das vantagens está sendo a baixa do dólar. Passar quatro dias na cidade argentina, incluindo passagem de ida e de volta, hospedagem e translado do aeroporto para o hotel, pode sair por aproximadamente R$ 1.900, por pessoa. Para o Chile, US$ 2.000.

Lícia ressalta para os turistas não deixarem de levar em suas malas protetor solar e para tomarem cuidado com a ingestão de bebida alcoólica. Outra dica é para quem vai viajar de avião. “É bom levar uma bagagem de mão, com uma peça de roupa e objetos de primeira necessidade para caso haja o extravio. Como está muito calor, vale evitar levar muita roupa para não correr o risco da bagagem exceder o limite.”

Cidades históricas de Minas Gerais

Os foliões que pretendem passar Carnaval nas cidades históricas e ainda não procuraram por hospedagem podem não encontrar lugar para ficar, se deixarem para os dias que antecedem a Folia de Momo. Em Diamantina, apenas 30% dos 1.800 leitos da rede hoteleira ainda estão disponíveis, segundo a Secretaria de Cultura e Turismo.

Carnaval em MarianaPara quem pretende passar o Carnaval na cidade do Vale do Jequitinhonha, o preço médio para cinco dias de folia é de R$ 1.000, por pessoa. A expectativa da secretaria é de receber 25 mil pessoas no Carnaval. Este ano, além do tradicional palco da Praça do Mercado Velho com apresentação das bandas Batcaverna e Bartucada, serão criados novos espaços culturais e musicais no centro.

De acordo com o diretor de comunicação da Prefeitura de Ouro Preto, Daniel Drummont, alguns hotéis já estão com a lotação completa. A cidade oferece seis mil leitos na rede hoteleira, além de 240 repúblicas particulares que recebem foliões nesta época. Este ano, as 60 repúblicas federais não irão receber turistas, devido à recomendação dos Ministérios Públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF), que pede a proibição de festas com caráter comercial no interior das repúblicas de estudantes administradas pela Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e em bens públicos tombados pelo patrimônio.

Drummont acredita que a movimentação antecipada está menor que a de 2009, em função deste impasse jurídico. "Tem turistas preocupados se vão ou não conseguir se hospedar, pois já tinham as repúblicas federais como referência." O preço para hospedagem nas repúblicas femininas para os quatro dias, incluindo alimentação, é R$ 300. Nas repúblicas masculinas, R$ 500. Quarenta mil pessoas devem passar pela cidade durante os dias de festa.

Em Mariana, o secretário de Cultura e Turismo, Reinaldo Moraes, diz que as consultas a informações nas pousadas dobraram. "Em alguns locais, as vagas já esgotaram há 15 dias." O município oferece 1.500 leitos em estabelecimentos formais.

O secretário aposta que a Primaz das Gerais vai atrair mais turistas do que no ano passado, quando chegaram à cidade 30 mil pessoas. "Com o projeto Carnaval das Cidades Históricas e com a valorização da folia à moda antiga, resgatando as marchinhas, acreditamos que mais foliões vão participar da festa em Mariana."

Abadás ou festa

Canaval em SalvadorPara o folião que vai curtir o Carnaval em um camarote ou com um abadá, a Pró Teste orienta a comprar o convite com antecedência, pesquisar preços, obter referência com amigos e consultar os órgãos de defesa do consumidor para saber se há registro de reclamação contra a empresa que está realizando o evento. O órgão diz que se não houver variação entre o preço à vista e a prazo, é melhor pagar o serviço parcelado para facilitar o cancelamento do pagamento em caso de problemas.

Se os micareteiros decidirem comprar abadá pela internet, devem optar por empresas que além dos detalhes do negócio (descrição do traje, preço total, meio de pagamento, prazo, forma de entrega e se haverá cobrança de frete), informam também seus meios de contato, como telefone e endereço. Os depósitos a pessoa física devem ser evitados. Como em qualquer compra virtual, é preciso imprimir a página da oferta e os demais passos indicados e realizados para a compra.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.