• Assinantes
  • Autenticação
  • Turismo

    Tradição e Fé Semana Santa promete aliar história e costumes do povo mineiro



    Renata Cristina
    Repórter
    23/03/2007

    Igreja católica A Semana Santa em Minas é um acontecimento único. Em cada cidade, lugarejo ou vila é possível vivenciar momentos de crença, religiosidade, tradição e alegria do povo mineiro. Tapetes de flores, serragem, procissões, panos brancos nas janelas, apresentações de corais e bandas marcam a data.

    Em poucos lugares do Brasil a tradição é tão seguida, como nas Minas Gerais. "Mesmo para quem não tem prática religiosa, a Semana Santa nas cidades mineiras é uma opção belíssima", garante o agente de viagens Roberto Trevizani.

    Embora cada lugar tenha suas festividades, a programação começa com o Domingo de Ramos, uma semana antes do dia de Páscoa. Assim como manda a tradição, a chegada de Jesus a Jerusalém, pouco tempo antes de sofrer a morte e ressurreição, é celebrada com a procissão dos ramos. A rua principal das cidades é usada como trajeto para se chegar a igreja matriz. Durante a caminhada, os fiéis carregam folhagens para relembrar o dia em que o povo cortou ramagens de palmeiras, cobrindo o chão por onde Jesus passava.

    Cidade histórica Foto de uma cruz Chão com desenhos feitos de serragens

    Na maioria das cidades históricas, celebra-se, na quarta-feira, o Solene Ofício das Trevas, apresentado em latim e à luz de velas. Já na quinta, a cerimônia de lava-pés ganha destaque. Para os cristãos, a passagem bíblica em que Jesus lava os pés dos discípulos representa uma atitude de humildade e é representada publicamente, através de encenações e da missa solene da Quinta-feira Santa.

    A crucificação e morte de Jesus é recordada na Sexta-feira da Paixão, que tem como ponto máximo o descendimento da cruz. Em muitos lugares, como Ouro Preto, há uma interpretação real do momento em que Jesus e dois ladrões são retirados da cruz. A procissão do enterro revela um ato curioso, realizado por todos os moradores: bares e restaurantes são fechados quando a procissão do enterro passa pela região.

    Os tapetes com pétalas de flores, serragens e outros materiais são confeccionados pela população no Sábado de Aleluia. Enquanto grupos de serestas animam as ruas, os grupos vão "tecendo" imagens bíblicas para a festa da Páscoa.

    A ressurreição de Cristo é marcada por diversas encenações em todo o país e atraem milhares de turistas. Em São João Del Rei, a programação é intensa e reserva para o público a apresentação de orquestras, corais e bandas que percorrem o centro histórico.

    São Jão Del Rei
    Procissão em São João Del Rei A programação em São João Del Rei tem início no dia 1º, com a benção de Ramos e procissão até a Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, onde será celebrada Missa Solene com o Canto da Paixão. Durante toda a semana, apresentações de coros e orquestras marcam as solenidades. A Orquestra Ribeiro Bastos, o Coro Gregoriano dos Coroinhas de Dom Bosco, a banda de Música Theodoro de Faria, entre outros grupos estão com os espetáculos marcados.

    No período de quarta até sexta-feira Santa, na hora do Descendimento da Cruz, as igrejas do centro histórico estarão abertas à visitação. Nelas se montam "passos" e cenas da Paixão e do Novo Testamento, bem como as imagens titulares das igrejas também estarão expostas.

    Tiradentes
    Foto procissão Em Tiradentes, a procissão da prisão de Jesus, saindo da matriz de Santo Antônio, é um diferencial na cidade, pois acontece na Terça-feira Santa, data em que não há muita movimentação em outras regiões. A orquestra e Banda Ramalho estarão na maioria das apresentações, executando peças dos compositores mineiros dos séculos XVIII e XIX.

    As paróquias de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias e de Nossa Senhora do Pilar alternam-se anualmente na realização do evento. A Paróquia de Santa Efigênia, criada recentemente, realiza também a Semana Santa.

    Ouro Preto
    Foto procissão A programação começa no Domingo de Ramos, com uma procissão da Igreja de São Francisco de Assis até a Matriz de Antônio Dias. Ao som das bandas Sociedade Musical Senhor Bom Jesus das Flores e a Sociedade Musical Senhor Bom Jesus de Matozinhos acontece ainda no domingo a Procissão do Encontro.

    A tradição remete o século XVIII, com a procissão do Enterro, na Sexta-feira Santa, que ultrapassa a noite. Um tapete de flores e serragem - com mais de dois quilômetros - é confeccionado nas ruas pela população, ligando as matrizes de Antônio Dias e do Pilar. Nas janelas são estendidos panos brancos. O desfile de cores, cheiros e sons é imperdível.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.