• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    O produtor de conhecimento e saber


    Veja o que Juarez Sofiste, chefe do Departamento de Filosofia da UFJF, fala sobre a importância do pensamento filosófico em todas as áreas de atuação.

    Veja!

    Marcelo Miranda
    Repórter
    05/05/2006

    Um saber que busca as razões, o sentido, a essência e as origens mais profundas de todas as coisa e, por isso mesmo, começa indagando "o que é?", "como é?", "por que é?". É assim que a Filosofia está definida em jornal distribuído pelo Núcleo de Pesquisa em Filosofia e Educação da UFJF. E é esse lado educacional e cultural dessa área tão antiga, que remonta aos gregos, que é defendida ao máximo pelos responsáveis no ensino.

    "Na Antiguidade as pessoas iam estudar e tinha disciplinas como Música e Artes. A cultura era parte dos currículos. E é isso que um curso de Filosofia ainda mantém: a formação humana e cultural", explica Juarez Sofiste, chefe do Departamento de Filosofia da universidade. "A primeira dimensão é sempre o lado da cultura, do resgate de um olhar de humanidade a todas as áreas de atuação". Juarez deixa claro, logo de início, que este não é o ramo apropriado a quem quer ganhar muito dinheiro. "Se olharmos por uma ótica capitalista, não há o que enxergar, mas deve-se ter em mente que a filosofia é uma das maiores conquistas da história da humanidade".

    Essa conquista pode ser constatada na cada vez maior inserção de pensamentos filosóficos no cotidiano das pessoas - com direito até a quadros especiais em programas jornalísticos de fim de semana. "Praticamente todos os setores vêm colocando a filosofia numa escala de importância, desde o governo e suas comissões de ética até empresas privadas que montam comitês para avaliar situações", conta Juarez (foto). "O filósofo está presente em tudo isso".

    Apesar dessa presença, é ainda na sala de aula o maior índice de empregabilidade do profissional formado em Filosofia. "Todos os grandes nomes, como Descartes, Kant, Platão, Aristóteles, em algum momento da vida se sustentaram como professores", diz o professor, que relembra o fato de a palavra 'academia', que denomina o universo da universidade, ter se originado justamente dentro da filosofia, a partir de uma escola de Platão.

    "Basicamente, a função do filósofo na sociedade sempre foi produzir conhecimento. É possível ganhar dinheiro? Aí é uma outra questão, que não deve ser a preocupação primordial. Agora, se formos falar desse termo feio chamado mercado de trabalho, então a atuação do filósofo acaba sendo mais na sala de aula".

    O curso

    O curso de Filosofia é dividido em Licenciatura (para professor) e Bacharelado (a utilização da filosofia em outras áreas do saber). Nas disciplinas estudadas, estão História da Filosofia, Ética, Sociologia, Política, Estética e Lógica. "Há muitas perspectivas, já que lidamos com praticamente tudo referente ao campo do conhecimento. Tanto que é muito comum hoje em dia outros cursos, como Direito, Medicina e Biologia, terem disciplinas ligadas à filosofia", diz Juarez Sofiste, que recomenda o curso a "todas as pessoas críticas, incomodadas com a própria existência, interessadas em se aprofundar nas questões da vida e expandir conhecimentos".

    A jovem Lilian de Oliveira é um desses casos. Aos 25 anos, está no segundo período do curso de Filosofia e é uma assumida apaixonada pela área. Começou a se interessar antes de fazer vestibular, quando lia, por hobbie, livros de filosofia e psicologia. O despertar de ingressar nos estudos veio quando conheceu uma obra de física quântica chamada "O Universo Auto-Consciente". "Era de física, mas aplicava conceitos filosóficos. Fiquei fascinada com aquilo tudo. Cheguei a tentar História, mas depois me decidi na Filosofia".

    E qual o motivo de tanto interesse e fascínio? "O que me atrai é a busca constante por conhecimento que a filosofia proporciona, a descoberta de aspectos da vida que você às vezes não se dá conta. É um ramo em que se estuda o conhecimento pelo conhecimento, ou seja, não apenas saber das coisas, mas descobrir como se chegou até elas, por qual caminho esse saber foi descoberto", conta a garota, animada. Ao se formar, daqui a menos de três anos, ela não pretende parar os estudos.

    "Quero fazer mestrado e doutorado. Claro que quando formar devo dar aulas, mas minha vontade maior é me especializar, fazer pesquisas e até descobrir alguma tese fantástica e inédita que renda um livro", comenta, esperançosa. "Mas claro que, de cara, todo recém-formado vai sempre quebrar o galho dando aulas e depois, se quiser, escolher algum outro caminho. Eu mesmo quero ser professora, mas não apenas isso".

    Onde estudar?

    Em Juiz de Fora, existem dois cursos de graduação em Filosofia: na UFJF e no CES (Centro de Ensino Superior).

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.