• Assinantes
  • Autenticação
  • Educação

    Estilista e Produtor de Moda Os profissionais da beleza

    Veja as dicas da estilista, Gabi Gonçalves, sobre o trabalho na área de moda e saiba como anda o mercado para os interessados na atividade. Para ver, clique no ícone ao lado!

    Veja!


    Renata Cristina
    Réporter
    11/09/2006

    Veste aqui, troca de roupa, pensa em um modelito novo, desenha, costura, ajusta, lança moda! Pode até parecer brincadeira de criança, mas o trabalho de todo profissional do mundo da moda é bem diferente de um conto de fadas. É o que o diga a produtora, Aline Firjam, que desde muito jovem atua no ramo. "Nunca temos horários fixos e há sempre muito trabalho", revela.

    Nascida em uma família de industriais, Aline conviveu com inúmeras etapas de confecção e decidiu encarar a profissão, influenciada por seus pais. O caminho pelo setor levou-a ao curso superior em uma faculdade especializada no Rio de Janeiro e, mais tarde, à pós-graduação, no centro mundial da moda, Paris.

    Atualmente, ela trabalha como estilista em uma confecção, ministra cursos na área e produz o Fashion Days, maior evento da categoria de Juiz de Fora e região. Para quem quer encarar o batente? A produtora aconselha: "é preciso muito fôlego e acabar com esse pensamento de que moda é glamour".

    Este também é um dos pontos levantados pela ex-modelo e atual produtora de moda Ariane Sarto. Com uma experiência que saiu das passarelas para os bastidores, ela sabe muito bem a diferença entre glamour e trabalho. "Passamos horas nos preparando para um evento e temos que ser rápidos, pois muita coisa saí em cima da hora", revela.

    Outra dica de Ariane: "Na profissão, a atualização é fundamental", ressalta. Isso significa estar por dentro de cabelo, maquiagem, tecidos, modelos, cenários, tendências... tudo o que envolve o mundo da moda. No caso específico da organização de desfiles, ela explica que o produtor possui diversas responsabilidades que vão desde a escolha de cada peça, até o transporte das roupas, por exemplo.

    Áreas de atuação

    Se a sua idéia é arregaçar as mangas e ingressar no mundo fashion, o mercado de trabalho está em expansão. Segundo Aline Firjam, o país está carente de profisionais no ramo. "A formação em moda ainda é novidade em muitas cidades e faz a diferença", afirma.

    Durante o curso superior, são dadas disciplinas teóricas, como a História e Cultura da Moda, além de matérias práticas, através da promoção de eventos e estágios. O diploma garante ao profissional o direito de atuar como estilista, empresário, jornalista especializado em moda, consultor em projetos culturais e artístico, assistente de produção e figurinista em teatro, cinema e TV.

    Mercado alternativo

    Foto ACESSA.com Além de trabalhar com cargos já defindos pela graduação em Moda, há também a alternativa de encarar o próprio negócio. Este foi o caso da bacharel em Artes Plásticas, Gabi Gonçalves (foto ao lado), que resolveu agregar seus conhecimentos adquiridos na faculdade ao desejo de atuar na área de estilismo.

    Gabi conta que com apenas 13 anos já freqüentava a aula de corte e costura e sempre se interessou pelo ofício. "A faculdade de artes me ajudou a enxergar novas possibilidades, que saem do padrão de moda convencional", salienta.

    Há dois anos, a estilista atua desenhando e confeccionando bolsas, que deram origem a uma grife que já faz sucesso em todo o país. "As pessoas estão cansadas de serem como as outras, por isso acho que o caminho certo está em propor o novo, o diferente", reforça.

    Homens na área

    Foto Arquivo pessoal Para quem pensa que no ramo só há espaço para as mulheres está enganado. "Os estilistas e produtores mais reconhecidos no mundo da moda são homens", se defende o produtor, Manoel Barros (foto ao lado), que investiu na área e hoje é um dos destaques promissores na região.

    O rapaz, de apenas 22 anos, diz que o mercado absorve muito bem os homens no setor, apesar da idéia de moda estar associada à figura feminina. "A família e a sociedade é que discriminam", explica. No entanto, Manoel utilizou duas ferramentas importantes para ganhar o reconhecimento na cidade: o estudo e a experiência na área.

    As faculdades de administração e arquitetura serviram de alicerce para a pós-graduação em produção de moda. "Quero estudar e aprender cada vez mais. Para quem curte e gosta, é uma profissão muito gratificante", recomenda.

    Onde estudar

    Em Juiz de Fora, ainda não há o curso superior de moda, mas existem cursos de produção, estilismo, entre outos. Veja onde você pode encontrar:

    Agência Elysee
    Cursos temporários com as produtoras Aline Firjam e Ariane Sarto.
    Informações: (32) 3212-7794

    Faculdade Estácio de Sá
    Cursos de férias, durante os meses de Janeiro e Julho.
    Informações: (32) 3249-3600

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.