Artigo
Lipostabil
::: 10/12/2002

Com o verão chegando, todos querem acabar com as gorduras localizadas. A febre do momento para isso é o uso do Lipostabil.

É um derivado da lecitina de soja, a fosfatidilcolina. Foi inicialmente usado para doenças cardiovasculares e reduzir os níveis de colesterol no sangue.

Alguns médicos italianos acharam que poderia ser utilizado para dissolver a gordura localizada em coxas, culotes, barriga, braços e regiões do corpo do homem ou da mulher que estão hormonalmente predispostos a acumular mais gorduras. Embora se pareça com a mesoterapia, o novo medicamento é mais gorduroso, devendo ser feito com agulhas um pouco mais grossas aplicadas profundamente, direto nas células gordurosas.

O medicamento atacaria a célula gordurosa, provocando a quebra de sua estrutura. A sessão é rápida e as queixas mais comuns pós procedimento são coceira, inchaço, queimação e hematomas e a dor local se prolonga por alguns dias. São feitas aplicações semanais ou quinzenais, dependendo da tolerância da paciente. São indicadas em média dez sessões.

Sempre recomenda-se associar técnicas (drenagem linfática, estimulação russa, endermologia), por isso as melhoras que os pacientes possam observar, podem também ser devidas aos tratamentos associados.

No entanto, não existem estudos cientificamente comprovados de que o Lipostabil seria realmente eficaz e desconhece-se os seus efeitos a médio e longo prazos. A Sociedade Americana de Cirurgia Plástica alerta para o fato de não existir nenhum trabalho científico, mostrando se esta gordura seria realmente dissolvida, de que forma seria eliminada do organismo (de modo a não afetar os rins e fígado), se afetaria outro tipo de células e se não ocorreria aumento da gordura no sangue.

No Brasil, o Lipostabil não foi aprovado pela vigilância sanitária, por isso todo o medicamento é usado ilegalmente, e a qualidade e procedência é pouco controlada. Como o produto é importado, este não é um tratamento barato (dependendo da quantidade que se injeta fica entre R$ 90 e R$ 150).

Infelizmente, o Lipostabil está sendo aplicado em academias de ginástica e salões de cabeleireiros, por pessoas que não têm preparo e formação na área médica, colocando em risco a saúde das pessoas, por um tratamento que não temos certeza se funciona ou não. "Acha-se" que funciona, mas não existe nenhum resultado repetido e comprovatório deste efeito, e o ato de exercer a medicina deve ser baseada em evidências concretas. Recentemente, tem sido descritas reações indesejáveis com o Lipostabil a curto prazo, como inflamações intensas, hematomas severos, necrose de pele e micobacteriores atípica.

Por ser um tratamento caro, não existir garantia que realmente o medicamento atua, sempre que possível, é mais indicado uma lipoaspiração, que fica praticamente no mesmo preço de tratamento, é mais garantido e menos doloroso.


Cristina Mansur
é dermatologista, professora e chefe
da disciplina de Cosmiatria do Serviço
de Pós-Graduaçao em Dermatologia da UFJF.
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de dermatologia) você quer ler novos artigos nesta seção? A médica Cristina Mansur aguarda suas sugestões no e-mail mansur@jfservice.com.br

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.