• Assinantes
  • Saúde

    Importância do nutricionista na saúde Juiz de Fora tem apenas dois nutricionistas para dar assistência a mais de 56 mil crianças nas escolas municipais

    Guilherme Oliveira
    Colaboração*
    26/12/2006
    Clique no ícone do vídeo, ao lado, para assitir o que a nutricionista Wanessa Aquino ressalta sobre a importância de um nutricionista no sistema de saúde. Leia sobre a profissão

    Ouça!

    Foto da Nutricionista

    Na última Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), durante os anos de 2002 e 2003, constatou que cerca de 40% dos indivíduos adultos do país apresentam excesso de peso, não havendo diferença substancial entre homens e mulheres. Apesar dos altos índices no Brasil, a profissão de nutricionista não vem sendo utilizada como deveria. Nos planos d saúde de Juiz de Fora, por exemplo, não encontramos um em que os usuários possam ter acesso a esse tipo de especialista. Os perigos da má alimentação e a importância de hábitos saudáveis para a população, muitas vezes, são passadas por profissionais que não são especialistas no assunto.

    A nutricionista Wanessa Françoise Aquino, (foto acima) realizou, na cidade, uma pesquisa na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Marumbi e entrevistou pacientes e profissionais que atuam na área para saber como eles se baseiam para trabalhar, já que em Juiz de Fora não existe nutricionista no SUS. As UBS, geralmente, são compostas por clínico geral, enfermeiro e assistente social que atendem para o Programa Saúde da Família.

    E, pelo trabalho, intitulado: "Implementação da educação no serviço público de saúde: visão dos profissionais e usuários", Wanessa recebeu menção honrosa na categoria especialização e espera sensibilizar o governo a ver com melhores olhos a profissão. "Num país em desenvolvimento isso é comprometedor. A gente tem uma população de baixa renda com crianças que têm obesidade", revela.

    Foto da Nutricionista

    No trabalho realizado na UBS a nutricionista chegou a conclusão de que muitos profissionais que trabalham na área de educação nutricional não cursaram a disciplina e sentem falta de maior quantidade de material sobre o tema e o auxílio de um nutricionista. Também foram entrevistados 306 usuários, 97% deles acreditam que a alimentação interfere na qualidade de vida e dizem serem válidas as informações que recebem através do SUS, mas que gostariam de um contato com um nutricionista.

    Nas escolas municipais
    Segundo Wanessa, Juiz de Fora tem dois nutricionistas que trabalham nas escolas municipais. "A obrigação é de ter nutricionista para merenda escolar. Mas como são poucos, eles ficam, às vezes, voltados para questões burocráticas, para busca de licitações para compras de alimentos e acabam ficando presos no gabinete. Não conseguem fazer visitas, muitas vezes, às escolas. Imagina Juiz de Fora que tem dois nutricionistas para atender mais de 56 mil crianças", indaga.

    Segundo a lei do Conselho de Nutricionistas o número teria que ser maior já que é determinado um nutricionista para cada 10 mil crianças.

    Wanessa diz que é de suma importância a divulgação de campanhas através de palestras que possam esclarecer à população sobre uma vida mais saudável através da alimentação. "Esse ano teve uma atividade interessante na Amac em relação a elaboração de cartilhas. Fizemos palestras voluntariamente em UBS e estou participando de um projeto da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) como colaboradora de reeducação alimentar. De certa forma, estamos iniciando, mas tem muito ainda que investir".

    Planos de saúde
    Na maioria dos planos de saúde, os usuários não têm acesso a essa especialidade. Para o nutricionista Arnaldo Pinheiro (foto ao lado) trata-se de um erro muito grave. "A alegação é de que a Agência Nacional de Saúde (ANS) não obriga ter nutricionista nos planos. Eles não valorizam o profissional. É uma coisa que vem da esfera federal, gasta-se mais dinheiro tratando de saúde do que prevenindo", critica Arnaldo. "O governo federal tem que acordar e colocar a nutrição educacional no ensino médio e obrigar os planos a terem nutricionista", revela .

    A assessoria de um plano de saúde da cidade alegou que trabalha somente com médicos e que nutricionista não representa tal função, já que tem uma faculdade específica para ela.

    *Guilherme Oliveira é estudante do 5º período de Comunicação Social da UFJF

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.