Domingo, 23 de novembro de 2014, atualizada às 10h

Primeira Copa Master FaMIdade começa nesta semana no Granbery

Lucas Soares
Repórter

O Instituto Granbery sedia, a partir desta semana, a 1ª Copa Master FaMIdade, voltada para os idosos que fazem algum curso na Faculdade Aberta "A Melhor Idade" (FaMIdade), que funciona no local. O evento contará com competições interclasses de lancebol, boliche, natação, jogos de mesa, recreação, jogos aquáticos e dança.

Segundo a coordenadora geral da FaMIdade, Ana Paula Sena, o evento será produtivo. "O evento vai de terça a sexta, e será bem bacana. Vamos ter jogos adaptados aos idosos, com atividades esportivas, como natação, além de outras competições de mesa", explica.

O projeto busca fazer parte das comemorações de fim de ano da Instituição. "Esse ano não será aberto para a sociedade, será apenas interclasse para as nossas oito turmas, que vão confraternizar entre si. Vamos trabalhar a parte motora, a importância do esporte para essa faixa etária", revela.

FaMIdade

A iniciativa surgiu em 2006, quando foi realizada uma colônia de férias com atividades voltadas para idosos. Na época, participaram pessoas do bairro Granbery e idosos da comunidade granberyense. Passados três anos, numa conversa sobre envelhecimento entre Ana Paula e pastores da Igreja Metodista, houve uma nova proposta que trouxesse essas pessoas para o colégio para realizarem atividades físicas. Foi aí que iniciou o "projeto mãe" da FaMIdade. Inicialmente eram 14 senhoras que faziam apenas hidroginástica e caminhada. Atualmente, são oito turmas de terça a sexta-feira, totalizando 400 alunos. Desde o início, já foram atendidas aproximadamente mil pessoas. Para realizar todas as atividades dos módulos, estão envolvidos nas ações do projeto profissionais das áreas de Direito, Educação Física, Administração, Pedagogia, Psicologia e Línguas.

Já no ano de 2012, surgiu a necessidade de expansão do programa com o caráter de Faculdade Aberta como explica a coordenadora. "O curso é organizada em módulos que flutuam de acordo com a necessidade de cada grupo, com temáticas específicas do envelhecimento. São oferecidos três módulos de ensino voltados para áreas de promoção da saúde, linguagens e tecnologias e cultura, arte e lazer", revela.

Ainda segundo Ana Paula, a cidade precisa de projetos como este, uma vez que a população idosa na cidade de Juiz de Fora é maior que a do Estado. "O atendimento a essa população é de grande importância, afinal, eles carecem de espaço para convivência, de atualidades. Eles não querem ficar apenas assistindo novelas, eles mudaram. Querem um envelhecimento com com qualidade. Aqui, atendemos desde analfabetos a pessoas formadas, pessoas da roça convivem com aquelas que já viajaram o mundo inteiro."

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.