• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura gif do xiis para linkar para as fotos

    Zeca Baleiro Melodia e poesia de braços dados, interpretadas pela voz inconfundível de Zeca Baleiro


    Fernanda Leonel
    Colaboração
    16/03/2006

    O garoto do Maranhão adorador de balas deu um toque poético na noite de quem resolveu ir ao Cine-Theatro Central. O Cine, que reabriu suas portas para a temporada 2006 de espetáculos, e emplaca para essa semana três grandes nomes (Engenheiros do Hawaii, Pedro Cardoso e Zeca Baleiro) não estava tão cheio. Mas, para qualquer pessoa presente, a certeza de que quem ocupava as cadeiras do Theatro era verdadeiramente fã, era inevitável.

    Zeca Baleiro não é um artista popular. No sentido verdadeiro que essa palavra tem no meio musical. Não quis se massificar, não frequenta programas de televisão, não se preocupa com as paradas de sucesso. Mas, inevitavelmente, tornou-se popular, quando essa palavra ocupa sinônimo de conhecido, pela qualidade do trabalho que desenvolve.

    Ele pertence à lista dos artistas que não se atrelaram ao comercial e encararam a música como uma exposição poética de boas histórias. Seus versos sofisticados, metricamente bem colocados e recheados de "segundos" contextos merecedores de atenção ganharam a boca do "grande público", mesmo que timidamente.

    Que não se desespere quem se classifica como entendedor "cult" de música. Zeca tem sim muitos fãs que gostam dele exatamente porque ele não se preocupa com o número de discos vendidos. E para eles ele deixou uma declaração: "Continuo lendo poesia e refletindo isso na minha obra".

    A justificativa vem acompanhada das características que o novo show Baladas do asfalto & outros blues, apresentado em Juiz de Fora possui. Esse é o disco mais pop da carreira do artista. Uma "experimentação apenas", define Zeca, que também apresentou canções suas de grande sucesso nas duas horas de show que fez no Cine-Theatro Central.

    O Baleiro e Juiz de Fora

    Zeca começou o show calado. Mas se abriu em alguns momentos para algumas brincadeiras que fizeram muita gente rir. Chegou até a manter um diálogo com uma fã na platéia, comentando da possibilidade de voltar à Juiz de Fora na estréia do próximo disco.

    "Estréia? Eu já estou mais pra aposentadoria", brinca o cantor. "Aliás, essa cidade é um bom lugar pra eu pensar lá na frente, na minha velhice. Tem umas chácaras aqui perto, né? Vou pensar no assunto".

    Ao divagar um pouco mais sobre o futuro, fez uma declaração que pareceu séria por muito tempo: "Meu próximo disco talvez seja infantil. Quero cantar pra crianças", declarou, explicando depois que fica feliz quando vê crianças grandes como o público presente naquele show. Depois, para continuar provocando risadas em quem assistia ao evento, cantou acompanhado de seu violão, uma música que intitulou de "papai e mamãe", e que metaforicamente falava de "coisas de adulto", apesar de ser melodicamente infantil.

    A brincadeira parece ter sido o pontapé para os melhores momentos do show. Depois disso, Zeca dispensou por alguns minutos sua banda pra poder cantar com o público, alguns de seus grandes sucessos. Pegou o violão e como quem está em uma sala de estar, cantou suavemente, para ouvir em primeiro plano a voz de quem conhecia as letras de cor.

    O violão, aliás, sempre foi um grande parceiro do cantor. Já é sabido sua paixão por instrumentos de cordas, confirmada com o uso de aproximadamente dez deles durante o show na cidade. Paixão que reflete no trabalho do artista, sempre recheado por sons diferentes vindos de instrumentos de cordas. Bandolins, cavaquinhos, arpas. Todos fizeram parte do cast instrumental de Baleiro.

    Zeca inseriu o nome de Juiz de Fora em alguns trechos de música para o delírio geral de quem acompanhava o show. Baleiro, que já esteve na cidade há cinco anos atrás, também no Cine-Thetro Central, declarou várias vezes no show que era "realmente um prazer estar de volta à essa casa tão bonita".

    Tomara que o estudante que sempre tinha uma bala no bolso durante a faculdade, e que depois, se tornou em menos de oito anos, um dos grandes nomes da música popular brasileira tenha gostado mesmo. Juiz de Fora já está com saudades.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.