Toquinho Cantor, compositor e violonista se apresenta na cidade com show que promete sucessos como "Aquarela", "O Caderno" e "Samba para Vinicius"

Fernanda Leonel
Repórter
23/06/2007

O nome dele é Antônio Pecci Filho, mas pouca gente o conhece assim. Isso porque, o apelido dado pela mãe ainda quando pequeno, tomou conta do homem e do artista. O "toquinho de gente" virou Toquinho: para o mundo todo, para os admiradores do violão, para a história da música brasileira.

Cantor, compositor e violonista, Toquinho é um dos artistas mais expressivos de uma safra de músicos que fizeram carreira a partir da década de 60. Amigo e parceiro de palco de nomes como Tom Jobim, Vinícius de Morais, Elis Regina, Baden Powell e Chico Buarque, ele já contabiliza 42 anos de carreira, mais de 300 composições e cerca de cinco mil shows no Brasil e no exterior.

Toda essa bagagem promete ser a tônica do show que acontece neste sábado, dia 23 de junho no Comemorare. Sucessos como "Aquarela", "Samba pra Vinícius", "Que maravilha" e "O que será que será" estão no repertório da apresentação do cantor na cidade. Confira a entrevista concedida com exclusividade ao portal ACESSA.com:

ACESSA.com - Mais de 40 anos de carreira, muitos sucessos, um público fiel e a classificação da "boa música" sempre atrelada ao seu trabalho. Como o Toquinho de hoje olha para seu passado e o que ele espera do futuro?

Toquinho - O tempo sempre foi meu grande parceiro de prazeres e conquistas. A vida me ofereceu o violão como arte e profissão, e a música veio recheada de amigos que me ajudaram a construir um presente sólido e pleno de entusiasmo para prosseguir na direção de um futuro renovado de sonhos e vitalidade.

Impossível não perguntar: Como é foi a composição de Aquarela e qual o espaço que ela ocupa dentro do coração do profissional e do homem Toquinho?

Toquinho - "Aquarela" é o presente que todo autor deseja em sua carreira. Foi feita num impulso de inspiração, em 15 minutos, junto com o músico italiano Maurizio Fabrizio. A letra original, em italiano, é do Guido Morra, e depois eu fiz a versão para a língua portuguesa. Foi a primeira música que fizemos para um grande projeto fonográfico lançado na Itália a partir de 1982.

foto de Toquinho foto de Toquinho

É uma canção que, apesar de falar de uma drástica realidade, que tudo um dia terminará, envolve essa realidade de um lirismo que encanta desde crianças até idosos. Serei sempre agradecido à "Aquarela", uma canção mágica, responsável por minha ascensão no cenário internacional.

ACESSA.com - O poeta e o violão. Como foi trabalhar tão perto de Vinicius de Morais? Quais as saudades e a lembrança que fica desse grande nome?

Toquinho - Vinicius foi um marco, não só em minha carreira, mas na minha vida. Saímos para fazer alguns shows em Buenos Aires, e ficamos 10 anos como parceiros, envolvidos por uma amizade que extrapolava a música, o palco, os discos. Para nós, o trabalho era uma brincadeira prazerosa, colocando a vida sempre na frente da arte.

foto de Toquinho

Fizemos cerca de 100 canções, mais de 1000 shows, 30 discos e, apesar de tudo isso, do que mais sinto falta é dos papos inteligentes com Vinicius, de seu humor, misto de gentileza e picardia, dos uisquinhos sem pressa e sem tempo, jogando conversa fora e o prazer para dentro de nós mesmos

ACESSA.com - Sua carreira é marcada também por trabalhos voltados para o público infantil. O "Arca de Noé" um parceria com Vinícius, "Casa de Brinquedos" e "Canção dos Direitos da Criança" também marcaram uma geração. Esse trabalho é o resultado de um Toquinho pai, família, que adora crianças? Como é o feed back desse público especificamente?

Toquinho - Ah, o público infantil adora essas músicas! E eu me sinto também um pouco criança ao sentir essa reação tão natural deles. As escolas passaram a adotar essas músicas em seus projetos de alfabetização, e isso garante uma renovação constante de pessoas a conhecer e a se identificar com minha música e minha carreira. Essas músicas têm um efeito renovador incrível, porque atingem não só as crianças, mas seus pais e todos aqueles que lidam com essa faixa de idade

ACESSA.com - Ainda sobre o público infantil: como você analisa o mercado fonográfico voltado para crianças atualmente?

Toquinho - Não é fácil compor para esse público. Há que respeitar a inteligência da criança, sua capacidade de compreensão e absorção das idéias e oferecer a elas uma melodia envolvente e que condense o lúdico com o responsável. Poucos sabem fazer isso.

ACESSA.com - Você trabalhou e fez parcerias com os maiores nomes da música brasileira. Elis, Caetano, Vinícius, Baden, Chico e muitos outros nomes dividiram palcos e sucessos com você. Há algum nome da nova geração da Música Popular Brasileira que você gostaria de dividir um trabalho? Alguma aposta?

foto de Toquinho

Toquinho - Toda parceria tem de ser antecedida por uma afinidade de comportamento e amizade. Não se divide um trabalho num estalar de dedos. O tempo se encarregará de abrir essas oportunidades

ACESSA.com - Para quem está de olho no evento sábado, no Comemorare: qual o repertório da noite e qual a sua expectativa para a noite em Juiz de Fora?

Toquinho - O público mineiro sempre foi muito receptivo e carinhoso comigo. Mostrarei canções representativas desses 40 anos de carreira, de uma forma intimista, cercadas de histórias que envolvem amigos e situações curiosas, que as platéias gostam de conhecer. Além de alguns solos de violão, sempre presentes em meus shows. Talvez a apresentação de alguma composição inédita. Gosto de deixar um espaço para a improvisação do repertório do show, dar chance para que público também participe...

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.