• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Elba Ramalho lança novo trabalho Cantora mostra o CD "Qual o assunto que mais lhe interesssa?" no Central e entoa sucessos que marcaram sua carreira


    Daniele Gruppi
    Repórter
    28/05/2008

    "Qual o assunto que mais lhe interessa?" é o nome do novo CD de Elba Ramalho, que volta a Juiz de Fora, na sexta-feira, dia 30 de maio, para um show de lançamento do trabalho. No formato semi-acústico, a cantora vai mostrar canções nunca registradas por ela e sucessos que marcaram sua carreira. A apresentação acontece no Cine-Theatro Central (conheça a história do local), às 21h30.

    Sentido-se mais madura, a paraibana promete aos juizforanos um espetáculo intenso. Ela vai revelar muito de sua personalidade, crenças e inquietações em canções do novo álbum que abordam fé, política, amor, aquecimento global, violência, caos urbano, entre outros assuntos. "Fiz um trabalho que discute a questão do dia-a-dia".

    Elba Ramalho, que se transfigura no palco como um caleidoscópio de voz, vibração e gestos incendiários, vai estar acompanhada de três músicos: Marcos Arcanjo (guitarra, viola e violão), Anjo Caldas (percussão) e Toninho Ferraguti (acordeão). Confira a entrevista com a cantora:

    ACESSA.com - Como foi realizar o novo álbum: "Qual o assunto que mais lhe interessa?

    Elba Ramalho - É um disco independente, que estou lançando pelo meu selo depois de 28, 29 anos ligada a uma gravadora. Ele foi unânime por ter uma proposta diferente. É um trabalho mais renovado, com sonoridade universal, moderna, mais pop, mas sem perder a essência, a originalidade. Discute a questão do cotidiano, do dia-a-dia, e tem a participação de Frejat, Lula Queiroga, Gabriel Pensador, Jorge Ben, Arnaldo Antunes, dentre outros compositores bacanas. O espetáculo que vou levar para Juiz de Fora é o que estou na estrada. Estou vivendo o melhor momento de minha carreira, com muita maturidade.

    Foto de Elba Ramalho Foto de Elba Ramalho

    ACESSA.com - Depois de 28 anos, você lança uma produção com selo próprio. Qual a diferença de fazer um trabalho independente para aquele que tem uma grande gravadora por traz?

    Elba Ramalho - Existe uma diferença grande. Você tem mais autonomia, é mais conveniente. Você faz adequações do seu trabalho com o seu tempo, ao seu gosto. Pode também mensurar o que está sendo feito sem esperar a resposta do mercado ou de um ou de outro que quer dar opinão sobre como deve se comportar ou se vestir. O meu trabalho ganhou força do público jovem por conta disso. O fato de ser independente, de não estar dentro da mídia e não fazer o álbum por nenhum quesito oportunista é sedutor para uma facção de público.

    Trata-se de um trabalho meu, sou a dona, canto o que quero do jeito que quero. Tanto que fiz diferente. Se tivesse dentro de uma gravadora iam discutir muito comigo para não fazer. O charme dele está, justamente nisso, em ser diferente, em estar de acordo com o que acontece no mundo. Não me preocupa se é um xote, baião ou frevo, se vai tocar no carvanal ou no São João.

    ACESSA.com - Você citou nomes de artistas que participaram deste álbum? Como aconteceram estas parcerias?

    Elba Ramalho - Por afinidade artística. Tenho muitos amigos. A música aproxima e quebra barreiras.

    ACESSA.com - O que falta para a Elba realizar como cantora?

    Elba Ramalho - Estou muito feliz. Construí uma carreira estável e sólida. Não me acomodei, busquei me renovar, estudar, acompanhar o que acontece no mundo. O que falta ver no estado de consciência pessoal é um mundo melhor, amoroso, com a paz restituída, sem fome e miséria, com pessoas espiritualmente evoluídas e buscando uma conexão maior com o divino, com o sagrado. Isso gostaria ainda de presenciar. Daria-me muito mais alegria do que vender um milhão de discos.

    ACESSA.com - O que você gosta de escutar nas horas de folga? Estas músicas influenciam no seu trabalho?

    Elba Ramalho - Tudo influência, qualquer show que vejo, qualquer disco novo, seja de pop, reggae ou rock. Gosto de ouvir música brasileira. Tenho minhas particularidades, ouço música clássica nas horas calmas. Gosto de me atualizar com as novas vozes.

    Foto de Elba Ramalho Foto de Elba Ramalho

    ACESSA.com - Quais músicas não podem faltar em um show?

    Elba Ramalho - Tem algumas, mas vou dizer duas: "De volta para o aconhego" e "Banho de Cheiro".

    ACESSA.com - Tem mais um novo projeto vindo por aí?

    Elba Ramalho - No segundo semestre vai sair o DVD "Raízes e antenas", baseado no disco "Qual assunto mais lhe interessa?". Foi gravado em dois momentos: um no show no Ibirapuera, em São Paulo, com participações de Lênini, Gabriel Pensador, Margareth... E tem a parte documental. São 50 minutos abordando um pouco sobre a minha vida. É um trabalho muito bonito, bem acabado. Tenho certeza de que no segundo semestre vou viver mais um grande momento.

    ACESSA.com - Você já se apresentou em Juiz de Fora outras vezes. O que achou da cidade e do público?

    Elba Ramalho - A última vez que estive na cidade foi para fazer um show beneficente com Geraldo Azevedo, também no Central. Juiz de Fora é uma cidade grande, bem estruturada, com público muito receptivo. Tenho grande alegria de fazer o show novamente no teatro.

    ACESSA.com - E o que os juizforanos podem esperar da apresentação?

    Elba Ramalho - Um belo espetáculo! Estou intensa e mais presente. É um formato semi-acústico. Estou viajando por vários lugares me apresentando em lugares fechados. Com certeza, vai ser uma bela noite!

    Foto do Show Foto do Show

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.