• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Preta Gil mistura ritmos e lança seu primeiro DVDNascida em berço musical, a cantora demorou até se revelar ao meio artístico. Artista mostra diversidade de estilo em suas interpretações

    Carolina Gomes
    Repórter
    28/7/2010

    Dona de uma voz singular e de um astral contagiante, Preta Gil falou ao Portal ACESSA.com sobre o lançamento do DVD, sobre carreira e paixões.

    Nascido há três anos, o show Noite Preta ganhou a noite carioca e pode ser conhecido em várias partes do Brasil. Somente no verão de 2009, foram realizados 87 shows. Este ano, as apresentações já ultrapassam a casa dos 60. No repertório, muita Música Popular Brasileira (MPB), no amplo sentido da expressão. Preta desfila por diversos estilos, contemplando a música brasileira como um todo.

    Tratando-se de Preta Maria Gadelha Gil Moreira, isso não podia ser diferente. Filha de Gilberto Gil, afilhada de Gal Costa e criada no meio musical, a cantora tem a brasilidade musical correndo nas veias. E, pelo que é possível notar pelo repertório do DVD, de forma bem eclética.

    Paralelo aos shows, Preta ainda é mãe, esposa, filha e apresentadora. Confira o bate-papo com a artista, que se apresenta em Juiz de Fora na próxima sexta-feira, 30 de julho.

    ACESSA.com - O que tem de especial no Noite Preta?

    Preta Gil - No repertório, há músicas dos meus dois primeiros discos, canções novas e muita mistura, que envolve aquilo que eu acredito ser a atual MPB, que pra mim é um misto de tudo. Todos os estilos musicais, hoje em dia, fazem parte do que é a verdadeira MPB. É uma verdade em mim cantar Baba Baby, da Kelly Key, cantar Chupa que é de uva, do Gaviões do Forró, e fazer um pout-pourri com a música da Bahia, que eu gosto muito. O DVD é o registro de uma verdade.

    ACESSA.com - Quais são os projetos para o futuro?

    Preta Gil - Tenho que gravar a segunda temporada do meu programa de TV, o Vai e Vem, exibido pela GNT, conciliando as gravações com a agenda. Para o ano que vem, já estou pensando no projeto Noite Preta Verão e no meu bloco de carnaval, A Coisa tá Preta, que é bem legal. Os ensaios acontecem no Rio, semanalmente, e são um sucesso. Estou pensando, também, em um disco autoral, um projeto novo. Mas, ao mesmo tempo, tenho uma agenda muito grande para cumprir, muitos shows e compromissos. Estou muito focada no hoje, no agora. As coisas vão acontedendo.

    ACESSA.com - Você considera o DVD um divisor de águas na sua carreira?

    Preta Gil - Acredito que sim porque é o primeiro registro audiovisual do meu trabalho. Tive o privilégio, nesses anos, de me encontrar com meu público, estar com as pessoas que gostam de mim e do meu trabalho, que lotam os meus shows pelo Brasil. Mas, existem aqueles que não conhecem e os que gostariam de ver e não têm oportunidade. O DVD vem suprir isso tudo, vem fazer com que um pedaço do show chegue até a casa das pessoas e que elas possam ver, pelo menos, qual é o clima do Noite Preta. Além disso, ajuda a informar e formar a opinião dos outros sobre mim, só que com algo mais concreto. O DVD vem para somar, ajudar a carreira.

    ACESSA.com - Você está no meio musical desde que nasceu. Quando resolveu que era a hora de iniciar uma carreira como cantora?

    Preta Gil - Demorou muito tempo. Estudei canto, teatro e convivi no meio musical. Contudo, acabou acontecendo um acidente envolvendo minha família, no qual perdi um irmão. Ainda na adolescência, acabei indo para São Paulo e comecei a trabalhar com publicidade. Abandonei meu talento, meu dom, minha arte. Mas, aos 28 anos, comecei a sofrer muita angústia, sem saber de onde vinha aquilo. Já uma produtora bem sucedida, com uma estrutura de vida muito bem estabelecida, mas muito infeliz. Fui buscar ajuda na terapia e descobri que o motivo foi ter abandonado a música. Ali eu comecei um resgate de mim, me reaproximei da música, com muitos preconceitos e muitos medos, pois estava em uma carreira bem sucedida e é difícil romper com tudo e assumir para você que é cantora. É complicado. Mas fui forte, corajosa e mergulhei profundamente para conseguir me encontrar e voltar para o trilho. Foi um processo maravilhoso de descoberta e começo de uma vida nova. Costumo dizer que tive duas vidas. Eu me dei a chance de ser feliz de novo e me reencontrar.

    Noite Preta Preta Gil

    ACESSA.com - No início, as críticas foram muito duras com você. Muito do que você disse foi mal interpretado.Como foi enfrentar essas críticas e como você superou isso tudo?

    Preta Gil - Quando se é um artista, você tem o privilégio de poder ouvir das pessoas o que elas pensam de você. Tudo o que ouvi daqueles que gostam de mim, que são admiradores, foi positivo. Acho que a caretice no Brasil é uma coisa velada, parece que é um país desenvolvido culturalmente, mas a gente ainda vive as amarras do passado e ainda tem muito preconceito. Não considero nada do que eu disse polêmico, foi somente quem eu sou. Não sou uma pessoa hipócrita, sou verdadeira. Mas, tudo bem, a sociedade é careta e o que para mim é natural, pode ser chocante para outras pessoas. Não costumo olhar a vida pelo lado negativo. Tenho uma música chamada Meu Valor, que eu compus para este disco, onde falo muito isso, "eu falo o que eu penso e não peço por favor". Me preocupo com a opinião das pessoas que são importantes para mim, meu filho, meu marido, minha família, meus amigos, meus fãs. Estas pessoas me apoiam, me admiram. Quem são os outros para julgar? 

    ACESSA.com - O que acaba com esse belo humor?

    Preta Gil - Algumas coisas aconteceram de mais grave e tive que tomar atitudes. Algumas agressões gratuitas contra meu corpo e forma física. Isso não tem nada a ver com a minha arte e minha música, que estão aí para serem criticadas. Meu caráter e meu corpo não. Nesse caso, tomei uma atitude, ganhei um processo na Justiça contra um programa que abusou do meu bom humor. Meu humor tem limites. Acho que deve haver um equilíbrio, ter humor, mas com princípios. Sou uma mulher educada, com bases muito bacanas, como respeito, amor ao próximo e não preconceito.

    ACESSA.com - Quais suas paixões?

    Preta Gil - Meu marido, filho, casa, a estrada, meus fãs, o palco, o Noite Preta, conhecer o Brasil. Essas são as coisas que mais me motivam, mais deixam meu coração acelerado. Poder estar fazendo show, encontrando com meu público. Ver meu filho crescer, virar homem. Minha real motivação é o que me faz feliz.

    ACESSA.com - Deixe um recado para seus fãs, que vão curtir o Noite Preta.

    Preta Gil - Vão com o coração aberto, sem preconceitos musicais ou de qualquer origem. Estejam prontos para se divertir. Não coloquem salto alto, pois irão querer tirar. No mais, muita responsabilidade para curtir a noite, se jogar e bater muito cabelo.


    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.