• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    A inquietação artística é batizada com o nome de TitãsEm entrevista ao Portal ACESSA.com, o vocalista, tecladista e baixista da banda, Sérgio Britto, fala sobre carreira, parcerias e projetos futuros

    Aline Furtado
    Repórter
    28/4/2011
    TitãsFOTO

    Titãs do Iê-Iê. Alguém já ouviu falar? Foi assim, no início dos anos 80, mais precisamente em 1981, que os jovens Sérgio Britto, Arnaldo Antunes, Paulo Miklos, Marcelo Fromer, Nando Reis, Ciro Pessoa e Tony Bellotto nomearam a banda, que, na época, apresentava-se em festivais comandados por nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Clementina de Jesus e Cartola.

    Mas a estreia oficial ocorreu no ano seguinte, 1982, quando Branco Mello e André Jung já haviam se juntado ao grupo. Os então Titãs do Iê-Iê eram diferentes de tudo o que se via na época, afinal, eram nove vocalistas, além do fato de o som e o visual serem um misto de muita coisa.

    De lá para cá, integrantes saíram e outros chegaram e se juntaram ao grupo. Em 1984, já com o nome de Titãs, foi lançado o primeiro disco, que teve como carro-chefe a bem sucedida Sonífera Ilha. Prestes a completar trinta anos de carreira, a banda coleciona sucessos que passaram de geração em geração, como Homem Primata, Bichos Escrotos, Família, Marvim, Flores, O Pulso, Os Cegos do Castelo, É Preciso Saber Viver, Epitáfio, entre outros.

    A atual formação do Titãs é Branco Mello (vocal e baixo), Paulo Miklos (vocal e guitarra), Sérgio Britto (vocal, teclado e baixo) e Tony Bellotto (guitarra). Ao todo, o grupo soma vinte álbuns lançados, sendo Sacos Plásticos o mais recente, do ano de 2009; além de cinco trabalhos em DVD's. Em entrevista ao Portal ACESSA.com, o músico Sérgio Britto falou sobre a carreira, parcerias e projetos futuros. Confira.

    ACESSA.com - Esta deve ser uma pergunta inevitável... Existe uma receita para uma banda se manter durante tanto tempo na estrada, principalmente em se tratando de Brasil? Qual seria?

    Sérgio Britto - Não, não existe fórmula. Acho que talvez o principal, para nós, foi sempre manter o foco no aspecto artístico da profissão. É muito fácil começar a fazer música para tocar em rádio, para ganhar dinheiro, para gravadora, para agradar à crítica etc. No meio do caminho você acaba perdendo o barato, acaba matando aquilo que ama.

    ACESSA.com - O que, para vocês, mudou desde os anos 80 até hoje, com relação ao cenário musical?

    Sérgio Britto - Muita coisa! O Brasil era outro país! O rock era a música do momento e, de certa maneira, as pessoas ansiavam por novidade e um pouco de rebeldia. A gente se encaixava muito bem neste perfil.

    ACESSA.com - As mudanças ocorridas ao longo de todo o tempo da banda, como saídas de integrantes e até mesmo a morte do Marcelo Fromer, em 2001, provocaram mudanças musicais? Aliás, imagino que mudanças são necessárias quando falamos em uma banda que está na estrada há quase 30 anos, não é?

    Sérgio Britto - As mudanças aconteceram mesmo quando todos faziam parte da banda. Sempre houve essa inquietação artística que nos fez evitar a repetição. Não mudamos para sermos bem-sucedidos ou para permanecermos atuais, mas por necessidade artística. Nem sempre funcionou...

    ACESSA.com - Lá no início da carreira, o apelo visual e o humor eram visíveis e podiam ser considerados marcas da banda. Vocês consideram que isso foi decisivo para que o Titãs fosse convidado para programas de TV, auxiliando na divulgação?

    Sérgio Britto - Não. Participamos dos programas de TV porque o rock estava em voga e tínhamos contrato com uma multinacional. Fizemos a diferença porque (acredito eu) usamos este espaço de maneira mais criativa que a maioria das bandas.

    Titãs Titãs

    ACESSA.com - Tony Bellotto afirmou que "é difícil envelhecer em uma banda de rock". Por quê?

    Sérgio Britto - Sei lá. A música pop, em geral, é quase sempre associada à juventude. É música energética, libidinosa etc. O importante é você não virar a caricatura de si mesmo ou a imitação barata de um outro qualquer, e isso pode acontecer independente do gênero de música que você toca.

    ACESSA.com - Qual é a sensação de poder atingir diferentes faixas etárias, musicalmente falando?

    Sérgio Britto - É muito bom! Realmente recompensador. De certa maneira, dá a sensação de ter dito ou escrito qualquer coisa, de fato, relevante.

    ACESSA.com - Como vocês veem as redes sociais no que se refere ao contato com o público e à possibilidade de divulgação de trabalhos?

    Sérgio Britto - É uma boa opção para a divulgação do trabalho, mas confesso que, como banda, não é algo que costumamos usar.

    ACESSA.com - O Rock in Rio, em setembro, terá a mistura de Titãs, Milton Nascimento e Paralamas do Sucesso logo em sua abertura. Já rola uma expectativa?

    Sérgio Britto - Sim, mas estamos bem preparados.

    ACESSA.com - Existe mesmo a intenção de reunir ex-integrantes da banda em um mesmo palco no próximo ano, em comemoração aos 30 anos dos Titãs? Falta alguma coisa para que esta ideia seja viabilizada?

    Sérgio Britto - Existe essa intenção e todos os envolvidos simpatizam com a idéia. Para concretizar o projeto, falta definir parceiros comerciais, afinar agendas etc.

    ACESSA.com - Quais são os projetos da banda?

    Sérgio Britto - O RIR, um disco de inéditas, o show comemorando 30 anos etc.

    ACESSA.com - Vocês já se apresentaram aqui em Juiz de Fora algumas vezes. Mas o show de sexta-feira, dia 29 de abril, será diferente? O que o público pode esperar?

    Sérgio Britto - Não tocamos aí há algum tempo. Acho que este show tem tudo para ser memorável. Vamos tocar de tudo um pouco e apresentar, pela primeira vez em Juiz de Fora, o repertório da turnê Sacos Plásticos.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.