• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Nas paradas: segundo CD de Myllena Entre canções inéditas e releituras, Myllena mostra a sua verdade em um álbum autoral. Show conta com a participação de Emmerson Nogueira

    Marinella Souza
    *Colaboração
    15/12/2007

    Era janeiro de 2007. Myllena decidiu que estava na hora de lançar o segundo cd. Depois de três anos sem gravar, a dublé de médica e cantora colocou a mão na massa para fazer seu projeto acontecer. Dez meses e muito trabalho, correria e o projeto estava finalizado.

    São 11 canções entre releituras e novidades, que contaram com a produção musical do conceituado Marcelo Sussekind. As canções foram todas muito bem elaboradas e o cd foi todo produzido no Rio de Janeiro, com a participação de profissionais experientes no ramo da música.

    A cantora conta que este segundo cd está mais a sua cara, pois agora está mais preparada para se mostrar ao seu público. "Não é que o primeiro cd não tenha sido bem cuidado" - justifica-se - e emenda: "é que o primeiro foi mais artesanal, não tive fôlego nem conhecimento técnico para me mostrar", diz.

    foto do cd Myllena Para o segundo álbum, Myllena preparou cinco canções inéditas, todas autorais: "Só sei te amar"; "Meu jeito"; "A letra da canção"; "Decisão" e "Quando". Embora seja "constantemente apaixonada por tudo o que faz", a musicista revela que tem sua preferida. "Quando é mais a minha cara, é a que eu mais gosto".

    O novo cd leva o nome da cantora, "Myllena" é o nome do álbum. Nada mais apropriado para uma obra que tem a participação de sua autora em todos os momentos. "Dessa vez além da voz, a maioria das canções é de minha autoria, participei dos arranjos, da produção, de tudo", orgulha-se.

    Entre as releituras estão "Ouro pra mim", em que a cantora refez os arranjos da guitarra, dando uma nova roupagem à música que a consagrou. "Foi uma forma de agradecer à música por tudo o que me proporcionou". E uma versão mais bem arranjada de "Não há", que Myllena acredita que devia ao seu público. "O público merecia uma versão mais bonita dessa música, devia isso à cidade".

    Artistas consagrados também passeiam pelo repertório de "Myllena". "Tô em liquidação", de Vander Lee e "Senhas", de Adriana Calcanhoto, ganharam cara nova na voz da cantora.

    Mais uma vez, o amor como mote

    A cantora define seu estilo musical como "pop brega", é da boca da cantora que se escuta a frase "eu não tenho o menor pudor de ser brega". Sendo assim, seu tema preferido não poderia ser outro além do amor, afinal, dizem por aí, que esse é o mais brega dos sentimentos.

    foto do violão de Myllena Para Myllena cantar o amor é fácil, pois para ela esse é o ingrediente fundamental para a sua vida. "Se a gente não ama o que quer que seja, vira um tijolo na parede, sem vida nenhuma".

    Em "Myllena", a cantora trata de um amor real, que briga, que às vezes dá errado e às vezes dá certo. " O primeiro cd era basicamente um amor que não deu certo, platônico. Agora a gente fala de algo mais real, sem idealizações de um amor perfeito. Nesse novo cd, o amor é um sentimento que dá certo, apesar das dificuldades", avalia.

    E como em qualquer repertório, cujo mote central é o amor, que se preze não pode faltar a melodia de Lulu Santos o 'dinossauro' do pop rock nacional também está presente no álbum, numa releitura de "Apenas mais uma de amor", que conta com a participação de Emmerson Nogueira no arranjo, voz e violão.

    A musicista destaca a participação do cantor Emmerson Nogueira como um presente. "Além de muito amigo, o Emmerson foi um colega de estúdio excepcional. Ficamos um dia inteiro no estúdio e ele só parou de tocar quando eu disse que estava tudo indo. Devo a ele as minhas palmas", elogia.

    Influências musicais

    Quando perguntada por suas influências, a artista encontra certa dificuldade. "Tem trezentos mil músicos pelos quais eu sou apaixonada", diz ela.

    De sopetão ela fala de Bethânia. "Me encanta a forma como ela expressa o amor em suas canções...". E Alanis Morissete: "gosto muito do que ela faz com a guitarra, é um som muito bacana".

    Mas um nome em especial faz os olhinhos da cantora brilharem mais forte: Zeca Baleiro. Mais do que gostar das letras e do som do cantor e compositor, Myllena se identifica com seu estilo. "Assim como eu ele não tem vergonha de ser brega e se expressa da maneira como acha que tem que ser", derrete-se.

    foto de bateria foto do violão de Myllena cantando foto de percussão

    Prova dessa identificação é que Myllena acredita que seu segundo cd é "um Zeca Baleiro pop", enquanto o primeiro ela enxerga como uma mistura de todas as suas "trezentas mil" preferências musicais.

    E é justamente em "Myllena" que a cantora acredita ter definido melhor a sua identidade. "Eu acredito que no primeiro cd houve a composição da minha identidade e agora eu a estou definindo melhor", analisa.

    Deixando acontecer

    A estréia do cd foi em Belo Horizonte com a casa lotada. Myllena conta que se surpreendeu com a quantidade e a qualidade do público. "Nós não temos carreira em BH, levei um susto quando vi a casa cheia e a galera aplaudindo de pé", relembra.

    Em Juiz de Fora, com público já definido, ela conta que a estréia é mais estressante. " Aqui a gente tem obrigação de fazer um trabalho perfeito, mais do que em qualquer outro lugar. Nosso compromisso é bem maior aqui", acredita.

    A produção do novo álbum foi toda estruturada para ter lançamento nacional, mas Myllena garante que não faz planos. "Não sou de muitas expectativas, prefiro me surpreender com os resultados. Minha única preocupação é dar o melhor de mim em cada música".

    foto de Myllena O álbum foi tão bem cuidado e com tanta preocupação com o público que até o encarte traz novidades. "São 11 fotos com letras de músicas atrás. Assim a pessoa pode escolher a letra que mais gosta para colocar em destaque, pedir para autografar...". Além de buscar a interatividade, essa alternativa é uma forma de driblar a pirataria. A produção do encarte foi feita em solo mineiro.

    Apesar da mega - produção, o objetivo de Myllena é continuar fazendo seu trabalho da melhor maneira, permitindo que as pessoas se identifiquem com o que ela está cantando."O melhor de cantar é perceber a interação do público, é sentir que com um pedaço de metal e madeira eu consigo falar para as pessoas e por elas", diz.

    E vai além. "Sempre senti a música na pele. Acredito no gosto do público, ele percebe o que é artificial. Não sou a pessoa mais talentosa de Juiz de Fora, mas acredito no que faço, na minha verdade. Música é muito mais visceral do que virtuosismo técnico e as pessoas sabem disso, sentem isso". É essa verdade que Myllena mostra em seu novo cd e faz dele mais especial para a sua carreira.

    Mesmo sem expectativas, para 2008, turnês por Rio de Janeiro e São Paulo já estão programadas e o que virá daí, "só a galerinha lá de cima pode dizer p ara gente".

    Myllena....

    Música ou medicina? Diante dessa pergunta a reação não podia ser mais espontânea. "Jura que você vai me perguntar isso????". Sem ter como fugir à resposta, ela fica em cima do muro: "fico com a clínica musical e a música clinicada", define sorrindo.

    Ela conta que a rotina de dupla-profissão não é nada fácil, mas garante que consegue conciliar porque é apaixonada por ambas. "São duas profissões extenuantes, durmo pouco, mas não quero abrir mão de nenhuma delas agora".

    foto de Myllena cantando foto de Myllena cantando foto de Myllena cantando

    Apesar disso, ela admite que a música tem um lugar especial em sua vida e, se tiver que escolher, se dedicaria mais à carreira de cantora por causa do tempo. "Se eu parar de cantar, fica difícil retomar depois, com a medicina isso é mais fácil, pondera.

    Para Myllena, não há como viver sem música e paixão. "Música é o que eu respiro, é a minha maneira de perceber o mundo, estou sempre cantarolando alguma coisa. E a paixão é o combustível da minha vida, não faço nada sem ela.", diz a moça de voz grave.

    ... E banda

    Renato Mello(bateria), Berval Morais (contrabaixo), Marquinho Languange(percussão) e Rodrigo Antunes(guitarra) a quem Myllena chama, carinhosamente de "meus meninos" são a base do trabalho da cantora.

    "Sem eles não sou nada. Eles são meus pontos de referência", declara. Juntos há muito tempo, Myllena fala que não toca sem eles. "O maior valor dos meus meninos é serem os meus meninos. Se puder escolher, tocarei com eles para sempre".

    foto de guitarrista foto de  baterista foto de percussionista

    A sintonia entre os músicos é tão perfeita que os ensaios são uma grande diversão e é comum os verem sorrindo e fazendo piadas. Myllena e a "meninada" são quase uma família e vivem uma relação que especial, que vai além do meramente profissional.

    Marinella Souza é estudante de Comunicação Social na UFJF

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.