• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Internet ajuda a divulgar músicas e estreita contato com fãsFerramenta contribui para a venda do CD, já que muitos consumidores preferem conhecer as músicas antes de comprar o álbum. Bandas lucram com os shows

    Pablo Cordeiro
    *Colaboração
    16/3/2010

    A divulgação de trabalhos autorais e vídeos de shows pela internet é cada vez mais comum e presente na vida dos consumidores interessados em conhecer as músicas antes de adquirir o CD. As bandas independentes, iniciantes e até de grande destaque na mídia buscam este caminho como forma de se aproximar do público.

    "Para bandas independentes este é o caminho. Hoje, nós ganhamos dinheiro com shows e não com CD/DVD. Por enquanto, é um meio saudável de divulgação", diz o baterista do Trio Só Parênt, Gustavo Villanova. A divulgação online da banda é feita através do próprio site, de rede social e de site de hospedagem de vídeos. "Para produzir o CD, o preço é justo. Cara é a divulgação. Pagar músicas, o famoso jabá, nas rádios do Rio de Janeiro e São Paulo é muito caro. Pretendemos continuar com a divulgação na internet. Se a pessoa gostar do material disponibilizado, pode comprar o disco." A banda pretende, para o final de 2010, definir o repertório para a gravação de um CD e DVD comerciais.

    O músico Rodrigo Andrade, da banda Operação Tequila, também é a favor do meio para a difusão dos trabalhos. "A divulgação online abrange um público bom e direcionado. As pessoas pesquisam diversos assuntos e podem acabar acessando o trabalho da banda. Através das redes sociais e contatos entre amigos, as músicas são facilmente difThiago Salomãoundidas", explica. Andrade conta que os músicos já fizeram três participações em coletâneas de um músico do Rio de Janeiro, através de contato feito pela rede de social. "Foi a partir do conhecimento do trabalho divulgado que fomos reconhecidos."

    O baixista da banda Martiataka, Thiago "Jim" Salomão (foto ao lado), afirma que todos os trabalhos do grupo estão na internet. A banda tem dois CDs completos e trabalhos de demonstração disponíveis para a pessoa escutar ou fazer o download. "Acho que tantas outras coisas já nos prejudicaram que esta é uma forma do músico se libertar. Não ganhamos dinheiro vendendo disco, aliás, nem as produtoras têm ganhado. Tanto que elas retiram parte do lucro nos shows. A gente quer que as pessoas ouçam e tenham o CD."

    Feedback do público

    Segundo Salomão, após as músicas estarem disponíveis, a resposta do público é imediata. Para ele, a internet é um forte canal para a pessoa entrar em contato e adquirir o CD diretamente com a banda. "Sabemos que as pessoas estão acompanhando pelo número de acessos e comentários. Recebemos e-mails de pessoas que, depois de baixar as músicas, se interessam em comprar o disco. Gostamos desta relação direta. Quando tem show, também usamos os canais para divulgação."

    Felipe Bocão

    O vocalista do Skuma, Felipe "Bocão" Santos (foto à esquerda), afirma que se não fosse a internet o grupo não teria chegado ao Rio Grande do Sul, Florianópolis e Salvador. "Em Salvador o público nos abraçou bastante. Tem uma rádio que toca nossa música todos os dias", ressalta. De acordo com Bocão, o canal é o principal meio para atingir diversas localidades. "A tendência é abrir mais espaço. Estamos em mudança constante. A cada dia surge um novo meio de comunicação e isso aumenta o espaço de divulgação", completa o músico.

    *Pablo Cordeiro é estudante do 10º período de Comunicação Social da UFJF

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.