• Assinantes
  • Autenticação
  • Zona Pink

    II Parada Gay de Juiz de Fora
    Palestras vão conscientizar empresários sobre a importância do evento

    Assessoria da Comunicação MGM
    15/06/2004

    Foto: Ludmila Gusman Se na primeira edição da Parada da Cidadania e do Orgulho GLBT de Juiz de Fora participaram 10 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, e cinco trios elétricos, a segunda promete ferver mais ainda. A expectativa do MGM para este ano é de 20 mil participantes. A manifestação encerra o sétimo JF Rainbow Fest no dia 21 de agosto. O tema escolhido é Juiz de Fora tem orgulho. "A cidade vai reafirmar a 'não-vergonha' de ser homossexual", explica o diretor do MGM, Marcos Trajano.

    Tudo, é claro, regado a muita música e diversão. A Parada da Cidadania e do Orgulho GLBT de Juiz de Fora deve contar com o carro oficial e outros seis comandados por bares e boates da cidade. O trenzinho do movimento Pró-Idoso também estará com lugar garantido.

    Além de muita festa, a Parada promete ser também uma manifestação política. "É dessa forma alegre e divertida que nós fazemos política, declaramos nosso orgulho e lutamos por dignidade, cidadania e respeito. As Paradas são o principal momento de visibilidade para homossexuais do país inteiro", comenta Trajano.

    Neste ano, serão realizadas 41 paradas pelas cincos regiões do Brasil. A de Juiz de Fora é 39ª do ano. E com um diferencial que não existe em nenhuma outra Parada brasileira. Em meio aos gays, lésbicas, bissexuais, transgêneros e simpatizantes, estarão outros grupos sociais, que também aderiram à Parada de JF no ano passado. "É uma tentativa que as outras Paradas do Brasil fazem, mas que nunca conseguem. E nós resolvemos aproveitar essa ocasião e comemorar junto com outros grupos que também sofrem discriminação", conta o presidente do MGM, Oswaldo Braga.

    Foto: Ludmila Gusman O Movimento Negro, de Mulheres, da 3ª Idade e Portadores de Necessidades Especiais participaram em 2003 e já foram chamados para este ano. O MGM pretende aumentar esses grupos em 2004, reiterando o caráter político, inclusivo e cidadão da Parada.

    Símbolo do orgulho GLBT, a bandeira do arco-íris terá seu lugar. A Companhia Têxtil de Cataguases doou 180 metros de tecidos para confeccioná-la e substituir a que foi usada no ano passado e que é dividida entre as ongs gays de Minas Gerais.

    Madrinhas da Parada Gay
    Para quem ainda achava que em 2004 a Parada Gay ficaria sem madrinha, enganou-se redondamente. Este anos, a dose é dupla: Rogéria e Jane Di Castro. O MGM escolheu as artistas por serem grandes representantes na história do universo gay. Jane e Rogéria participaram do primeiro espetáculo de transformistas do teatro brasileiro, o musical "Les Girls", na década de 70. Com esse show, ficaram famosas no país e no mundo.

    As duas prometem arrasar logo na primeira participação como madrinhas. E é isso mesmo que o público quer ver. Muito brilho e glamour pelo centro de Juiz de Fora, a partir de 12h, de sábado.

    Trio elétrico Teen
    Os jovens também vão se manifestar na II Parada do Orgulho Gay. Cerca de 40 adolescentes, entre 14 e 21 anos, vão desfilar com uma camiseta amarela, com o slogan da campanha do Ministério da Saúde: Não importa qual é a sua. A intenção do trio elétrico - que será o segundo a desfilar - é chamar os jovens para as reuniões do Grupo de Adolescentes Gays do MGM. As coordenadoras do grupo Adélia e Daniela dizem que muitos adolescentes nem imaginam que as reuniões existem.

    E para dar mais brilho e cor à Parada deste ano, cerca de 480 apartamentos de frente para as Avenidas Rio Branco e Independência entraram no clima da festa e vão receber saquinhos com papel picado para serem jogados pelas janelas durante a passagem da Parada.

    Trio elétrico Buraco da Lacraia
    Foto: Ludmila Gusman Apesar de terem confirmado a presença na segunda Parada do Orgulho Gay de Juiz de Fora, o trio elétrico carioca Buraco de Lacraia e a jornalista Leda Nagle cancelaram sua participação no evento.

    O Buraco da Lacraia traria celebridades para Juiz de Fora, inclusive o carnavalesco Milton Cunha. Ele e Leda Nagle foram convidados para participar do júri do concurso Miss Brasil Gay, que, este ano, acontecerá no Rio de Janeiro. Como a Parada de Juiz de Fora e o Miss Gay acontecem no mesmo dia, o carnavalesco e a jornalista, cancelaram a vinda à cidade. E com o o cancelamento, o trio Buraco da Lacraia fica de fora da Parada.

    O MGM, organizador da Parada Gay de Juiz de Fora, irá substituir o trio Buraco da Lacraia por outro. Já Leda Nagle, seria a madrinha da Parada. O MGM estuda nomes para substituí-la.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.