• Assinantes
  • Autenticação
  • Zona Pink
    Terça-feira, 6 de agosto de 2019, atualizada às 16h09

    Centro de Referência LGBTQI+ da UFJF inicia atendimentos a partir do dia 12

    Angeliza Lopes
    Repórter

    Ação vinculada à programação da terceira edição da Semana Rainbow da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), foi inaugurado o Centro de Referência de Promoção da Cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros, transsexuais, queers, não binários e intersexuais (CeR-LGBTQI+). O espaço se tornará porta de entrada para acolhimento de pessoas que sofreram violência ou violação de direitos correspondentes à questão de discriminação LGBTI+. A solenidade ocorreu na segunda-feira, 5 de agosto, mas os serviços da Casa terão início na próxima segunda, 12.

    O Centro funcionará de segunda à sexta-feira, das 9h às 18h, nas dependências da Casa Helenira Preta, espaço anexo à Casa de Cultura da UFJF, na Avenida Rio Branco, n° 3.372.

    As vítimas receberão primeiro atendimento, quando será feita triagem para direcionamento do caso, caso haja necessidade, para serviços especializados nas áreas jurídica, psicológica, apoio e suporte familiar e atendimento social. Os interessados também poderão tirar dúvidas pelo telefone (32) 3215-4694. O Centro é um projeto da faculdade de Serviço Social com o suporte da Pró-reitoria de Extensão (Proex).

    Durante o evento de inauguração, os envolvidos definiram duas pautas para o fortalecimento das assistências voltadas para este público em Juiz de Fora. O coordenador da iniciativa e professor da Faculdade de Serviço Social, Marco José de Oliveira Duarte, explica que será organizado um Fórum Intersetorial de Enfrentamento LGBTfobia com intuito de trabalhar a formação do sistema de Segurança dentro dos Sistemas Único de Assistência Social (Suas) e de Saúde (SUS). "Discutimos como profissionais destas áreas ainda lidam com crimes relacionados a LGBTIfobia com discursos moralistas e de ódio. Esta é a única minoria que não possui, até hoje, políticas efetivas de proteção social, a não ser os casos de judicialização", destaca o coordenador.

    Outra iniciativa será o diálogo junto aos poderes Executivo e Legislativo municipal para firmar convênios que fortaleçam o atendimento especializado em saúde para o público LGBTI na cidade. "A intenção é conversar com Prefeitura através da Câmara e a partir do Fórum sobre formas de compartilhamento de responsabilidades, conforme estabelece a Lei Rosa, que completa 19 anos neste ano. A Universidade já vai oferecer o espaço, esperamos conseguir mais serviços para atender a comunidade de uma forma mais ampla".

    O professor ainda recorda que Juiz de Fora está entre as 33 cidade no país contempladas pelo Serviço de Assistência Especializada em HIV/Aids (SAE). "Mas existem outras questões em saúde que precisam ser tratadas, além da AIDS. Já vemos um avanço dessas políticas em saúde na esfera federal e queremos trazê-las para gestão municipal".

    III Semana Rainbow da UFJF

    O tema da III Semana Rainbow da UFJF é “Corpos estranhos: quando a não normatividade dialoga com gênero, classe e sexualidade”, uma homenagem a estudante e militante da causa LGBTQI+, Matheusa Passareli, morta em abril de 2018 na Zona Norte do Rio de Janeiro. Matheusa considerava-se não-binário, sem identificação com os gêneros masculino ou feminino. Confira programação completa (aqui).

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.