Casa

Mudando a cara da casa Quando a idéia é mudar a cara de um ambiente, a orientação de um arquiteto é fundamental para evitar surpresas desagradáveis

Marinella Souza
*Colaboração
07/03/2008

Quando a vida muda e a casa tem que se adaptar a essa nova realidade ou simplesmente quando os moradores já não aguentam mais olhar para a aquele cenário todos os dias, é hora de mudar!

Mas... mudar o quê? Por onde começar? Como reformar com pouco dinheiro? Todas essas dúvidas devem ser respondidas por um profissional responsável, ou seja, o arquiteto.

Para o arquiteto, Rogério Mascarenhas, a conversa entre cliente e arquiteto é tão fundamental para o sucesso do projeto quanto a consulta médica é para o doente.

"Quando você está doente e vai ao médico, tem que falar com ele tudo o que está sentindo para ele dar o diagnóstico adequado. A mesma coisa serve para quando você está insatisfeito com algo na sua casa. Se não falar tudo o que espera da reforma, o resultado pode ser desastroso", compara.

Segundo Rogério, o arquiteto tem que ter um pouco de psicólogo e saber interpretar o que o cliente quer e orientá-lo para resolver tecnicamente suas necessidades.

O sucesso de um projeto

"O erro mais comum quando um leigo toma a frente de um projeto é a harmonia do ambiente porque ele vê o objeto isolado, enquanto o arquiteto está acostumado a analisar o conjunto", explica. Para deixar o ambiente harmonioso é preciso antes de mais nada, conhecer o espaço, saber suas características e saber exatamente o que o cliente pretende com aquele espaço.

Foto de área de lazer Foto de área de lazer Foto de área de lazer

Feito isso, é a vez de elaborar o projeto, dividir o espaço por setores, pensar na disposição dos elementos no ambiente, escolher o revestimento, o tipo de iluminação, o mobiliário, os acessórios. Enfim, é a hora de concretizar o sonho do cliente. "O gosto do cliente é sempre respeitado, mas se ele gosta de uma coisa que não fica harmoniosa, é nosso dever orientá-lo e tentar convencê-lo. Raramente eles não se convencem", afirma.

Além disso, é preciso respeitar também o prazo e o orçamento disponibilizados pelo cliente. "Muitas vezes não dá para reformar tudo de uma vez, então, é preciso direcionar bem a reforma".

O pós-venda também é outro aspecto fundamental para o sucesso do projeto. Projeto hidráulico, elétrico, paisagismo, tecnologias, segurança, tudo feito, é preciso avaliar o resultado do projeto. "Tem que continuar prestando assessoria para o cliente depois da obra pronta para ver se o projeto atendeu adequadamente o que o cliente queria inicialmente"

O que reformar primeiro?

Como se vê muitas são as nuances de uma reforma e não é incomum um cliente não saber por onde começar a reforma, quando não dá para ser feito tudo de uma só vez. Segundo Rogério, isso depende muito de cada um, mas, sua dica é reformar primeiro a área social da casa.

"A sala é a parte da casa que a gente mais usa, é onde convivemos mais, onde recebemos as visitas. Se o recurso é pouco, eu indico reformá-la primeiro". Mas o arquiteto sabe que isso não é uma verdade absoluta e garante que a decisão tem que ser do proprietário do imóvel.

Foto de sala Foto de banheiro Foto de sala

"Tem gente que curte mais o seu quarto ou o banheiro, então, que comece a reforma daí. O importante é ficar satisfeito com o resultado final". Um detalhe importante á avaliar a flexibilidade do projeto caso seja necessário uma nova reforma no futuro.

"Essa questão é muito importante porque muitas vezes as necessidades mudam e o projeto tem que permitir essas alterações. Um casal que compra uma casa só para eles e de repente a mulher engravida, por exemplo, o projeto da casa tem que permitir a reforma de um cômodo ou outro para receber esse bebê", explica.

Reformando sem gastar muito:

Nem sempre é preciso gastar "rios" de dinheiro para mudar o visual de um ambiente. Usando a criatividade e o bom senso, uma simples mudança de móveis dá outros ates ao lugar. "Antes de começar uma reforma, é preciso pesar a relação custo/benefício da obra. De repente, compensa mais pintar uma única parede de outra cor", avalia.

Trocar os tecidos dos estofados é uma outra alternativa que custa menos e ajuda a deixar o ambiente com aspecto de novo. Inserir plantas na decoração também é uma ótima opção para quem quer reformular um espaço a baixo custo.

Como se pode ver, muitas são as maneiras de repaginar um espaço sem ter que se endividar para isso, basta usar a criatividade!

*Marinella Souza é estudante de Comunicação Social da UFJF

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.