Casa

Banheiros podem trazer riscos de contaminação Profissionais da saúde alertam para os cuidados com a higiene no banheiro. Além de manter o ambiente limpo, os usuários ficam livres de doenças

Guilherme Arêas
Repórter
2/4/2009

Se os ambientes de uma casa pudessem ganhar personalidades tipicamente humanas, o banheiro seria o indivíduo mais contraditório e perigoso do lar. É nele em que os moradores fazem a higiene pessoal completa, desde o banho até os cuidados com os dentes. Por isso, é o cômodo que oferece os maiores riscos de contaminação. Se os cuidados básicos de limpeza não forem tomados, o banheiro pode ser a porta de entrada para doenças que vão atingir toda a família. O Portal ACESSA.com ouviu especialistas e preparou algumas dicas para deixar o banheiro livre dos riscos de contaminação por parasitos.

Em primeiro lugar, é preciso saber que um banheiro aparentemente limpo não o livra de microrganismos maléficos à saúde. O bom e velho sabão pode ajudar, mas necessita de uma companhia para reforçar a limpeza do ambiente. De acordo a professora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Doutora em Saúde Brasileira, Sandra Tibiriçá, o principal risco do banheiro está no contato direto da pessoa com as fezes.

Conhecidos popularmente como vermes, os parasitos com nomes nada atrativos, como áscaris, tricury, oxiúrus e giardia, podem provocar diarreia, dor abdominal, vômito e anemia. "Quando a pessoa não lava bem a mão, ainda corre o risco de pegar hepatite A, além de bactérias e vírus intestinais, entre eles o rotavírus e o adenovírus."

A hepatite A é uma doença transmissível que atinge o fígado e pode durar de 15 a 45 dias. O indivíduo contaminado pode ter as atividades diárias interrompidas, devido ao cansaço, à febre e ao amarelamento do olho, comuns com a enfermidade. Os vírus intestinais provocam vômito, diarreia e desidratação. Já as bactérias intestinais causam diarreia, febre e sangue nas fezes, sintomas que podem ser evitados com uma boa limpeza no ambiente.

Foto de um banheiro Foto de um banheiro Foto de um banheiro

Porém, o banheiro precisa ainda de outros cuidados. Com a umidade, o local se torna ideal para a proliferação de fungos, um dos grandes vilões para a pele humana. "Isso é mais comum em banheiros e vestiários de clubes, que têm um trânsito mais intenso de pessoas e o piso fica molhado em boa parte do tempo", explica Sandra. Não é a toa que certos fungos causam uma doença conhecida como pé de atleta, além da tinha da pele. As doenças trazem grande desconforto por causar irritação e coceiras na pele. A recomendação é deixar as toalhas de banho em local seco e ventilado.

Além das toalhas, a dica é guardar poucas coisas em ambientes úmidos, como o banheiro, ou manter os objetos secos. Para que a eficiência da higiene seja completa, os especialistas recomendam a utilização de toalhas de papel e do sabonete líquido, que reduzem a proliferação de microrganismos causadores de doenças. "O ideal também seria utilizar torneiras que fossem ativadas pelo pé, como acontece com as lixeiras."

Foto de um banheiro Foto de um banheiro Foto de um banheiro

Mas se a torneira que você usa ainda for acionada pelas mãos, o conselho é lavar a torneira da pia para eliminar possíveis parasitos que ofereçam risco de doenças. De acordo com Sandra, o principal produto químico que deve ser usado para acabar com os riscos de contaminação é o orto benzil p-clorofenol, encontrado em supermercados nos produtos da linha pinho. "Eles são mais eficazes do que a água sanitária. Matam até as bactérias que causam a leptospirose", esclarece a doutora. O produto deve ser aplicado em superfícies e também no chão do banheiro.

Foto de um refrigerador O banheiro ainda esconde outros perigos para a saúde. O armazenamento das escovas de dente segue a mesma recomendação que os outros objetos no ambiente. Mantê-los secos e em locais com baixa umidade pode evitar danos à saúde. Conforme explica o dentista Rodrigo Guerra de Oliveira, após usadas, as escovas devem ser muito bem enxaguadas e secas. "Hoje, existem capas que protegem a escova. Elas são ideais porque ao acionar a descarga do banheiro, bactérias são lançadas para o ar e podem atingir as cerdas das escovas".

O profissional ainda recomenda trocar as escovas de dente a cada três meses, além de manter os cremes dentais bem fechados e acondicionados em local de pouca umidade. "Sem esses cuidados, algumas bactérias, que não são naturais da cavidade oral, podem ser conduzidas até lá e causar alguma doença."


Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Lucas Alves: rei macaca ema

Lucas Alves: oi