Cidade

Segurança na construção Civil Ministério do Trabalho, Sindicatos e Construtoras trabalham
em parceria para garantir a segurança dos profissionais

Renato Costa
Colaboração*
16/11/2006

Clique no ícone "texto" para ler a Norma Regulamentar 18, que rege as condições necessárias para a segurança no trabalho

Leia!


"Temos os problemas de rotina. As autações feitas pelos auditores do trabalho são consideradas corriqueiras", chefe do setor de fiscalização da Subdelegacia do Trabalho de JF
A Construção Civil é um ramo em que se exige uma grande atenção, quando o assunto é segurança. Em Juiz de Fora, o Ministério do Trabalho e os representantes dos trabalhadores e das empresas agem em conjunto para garantir um ambiente seguro no trabalho.

Segundo o chefe do setor de fiscalização da Subdelegacia do Trabalho da cidade, Roberto Mosqueira, essa parceria é fundamental. "Hoje se conversa muito mais que antes. A relação entre o Ministério do Trabalho e as entidades que representam os empregados e os patrões evoluiu muito, o que permite que a segurança no trabalho seja adequada", comenta.

Mosqueira diz que Juiz de Fora não é perfeita no cumprimento da lei, mas o diálogo entre os envolvidos auxilia no cumprimento das normas de segurança indispensáveis. "Temos os problemas de rotina. As autações feitas pelos auditores do trabalho são consideradas corriqueiras.", explica.

As normas de segurança

A segurança no trabalho é regida por uma norma federal, que estabelece uma adequação para cada tipo de construção. "Cada construção exige um tipo de estrutura para que se tenha a segurança garantida. Um shopping, por exemplo, tem em seu canteiro de obras cerca de 500 profissionais. Para isso, a norma prevê até mesmo a contratação de profisionais especializados em segurança do trabalho", explica Mosqueira.

Aurélio Marangon, 
presidente do Sindicato da  Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora Os cuidados no local de trabalho são feitos através de treinamento com os profissionais envolvidos. De acordo com Aurélio Marangon (foto), presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Juiz de Fora (Sinduscon-JF), as empresas colaboram nesse sentido.

"Existe uma conscientização entre os profissionais da cidade. Mesmo os profissionais que já possuem experiência na área em que vão atuar são orientados novamente, até mesmo para se prevenirem das particularidades do canteiro de obras em que vão trabalhar", diz.

O cuidado no local de trabalho

A maior ferramenta de proteção ao profissional é a atenção. É o que afirma José Alair Nogueira, engenheiro eletricista de um grupo de construção civil de Juiz de Fora. "Os profissionais sempre estão recebendo treinamento e atualização do que sabem, mas o principal é sempre lembrá-lo da importância de estar atento. Muitos acidentes acontecem por distração, por isso a prevenção e a atenção são fundamentais", ressalta.

*Renato Costa é estudante do 10º período de jornalismo da UFJF

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.