Mulher
Fênix da Beleza
Bobs renascem das cinzas e voltam com tudo
Veja as dicas de como usar e os tipos e modelos

Ana Luisa Damasceno
25/11/03

Os bobs são tão ou até mais antigos que o espartilho. Há registros de mulheres do antigo egito que usavam pedaços de ossos para enrolar os cabelos. Certo mesmo é que as mulheres - tanto para enrolar quanto para alisar - fazem uso desse artifício. Bom, pelo menos faziam. Alguém se lembra da última vez que viu um secador, daqueles enormes, para secar o cabelo da cliente com bobs, num salão?

Em Juiz de Fora é difícil achar um salão de beleza que use os famosos rolinhos de plástico. "O bob caiu em desuso mesmo", explica a cabeleireira Simone Tocantins, do Salão Capillus. Ela conta que hoje as clientes preferem a tecnologia. "Para quê usar bobs se hoje temos o babyliss para cachear e a chapinha para alisar?". A especialista conta que o babyliss pode dar vários efeitos diferenciados, com modelos diversos.

Já a cabeleireira Cristina de Souza Rocha, do Salão Mari, sente a saída de cena dos bobs. "Eles não estragam o cabelo, como a chapinha e o babyliss". Cristina conta que, quando começou a lidar com cortes e penteados, há 23 anos, a boa cabeleireira era aquela que sabia lidar com os bobs. "Hoje eu acho que nem nos cursos de cabeleireiros eles ensinam mais a lidar com os rolinhos", lamenta ela.

Mas há quem aposte...
Cristina conta que, no seu salão, somente as senhoras de mais idade pedem pelos bobs. "Elas, que fazem mais penteado quando vêm ao salão, não dispensam um bob". Já as mais novas vão direto para a chapinha. Simone Tocantins, que também faz penteados nas clientes, reconsidera: "acho que vou ter que voltar a usar bobs. Só ele levanta a raiz do cabelo, o que é fundamental em certos tipos de penteados".

E não são só elas que defendem o uso de bobs. Na Belle Shop, loja especializada em produtos de beleza, a vendedora Késsia Souza de Paula comemora as vendas. Segundo ela, cerca de 10 embalagens de bobs são vendidas todos os dias. Ela comenta que a maioria das clientes compra os rolinhos para se arrumar em casa. "Muitas me pedem dicas de como usar".

Késsia explica que os modelos diversificaram muito nos últimos tempos. Além dos tradicionais de plástico, agora existem os de velcro, que não marcam os cabelos, e os térmicos, que modelam as madeixas mais rapidamente.

A vendedora dá outra dica para quem pretende fazer uso dos rolinhos: "Não prenda o grampo muito longe da raiz. O bob fica frouxo e não modela". Os especialistas também explicam que um bob não pode ser preso no outro. Se isso acontece, a tração entre os rolinhos pode quebrar os fios. E, para um acabamento perfeito, as pontas do cabelo devem ser envolvidas em papel de permanente. Dessa forma, o cabelo fica mais modelado.

Tamanho é documento
Se você tem o cabelo curto e está querendo dar uma sacudida no visual, não desanime. Existem bobs de todo tamanho. "O número zero é mais indicado para cabelos curtinhos ou franjas". O maior bob é o de tamanho sete.

Késsia de Paula explica que o tamanho do rolinho também varia, dependendo do efeito que se quer criar. "Quem quer alisar deve optar pelos maiores. Agora, se a opção é cachear, os menores devem ser os escolhidos". Se o caso for de cabelo liso escorrido, que não pega nada, nem permanente, a indústria da beleza já criou a solução. "Um dos últimos lançamentos é o bob com uma escovinha dentro. Ele modela até o cabelo mais liso", revela Késsia.

O especialista em cabelos Marco Antônio de Biaggi, responsável pelo visual da maioria das capas das revistas femininas, disse uma vez que o bob, especialmente o de velcro, é uma das suas principais armas para dar uma levantada no visual das clientes. E olha que nem custa tão caro assim... Doze unidades do modelo mais barato, o número zero, saem a R$ 0,60. O número sete, modelo mais simples, sai a R$ 2,50 o saco com 12 unidades.

Quer saber o preço dos bobs? Clique aqui!

Redescoberta
Aliado à tecnologia, os bobs voltam com tudo ao centro da beleza mundial. Várias atrizes de Hollywood não saem de casa sem antes enrolarem as madeixas neles. E, aqui no Brasil, os principais cabeleireiros de São Paulo e do Rio já usam os modelos mais modernos, especialmente os de velcro e os térmicos.

Mas atenção a um detalhe: somente os bobs térmicos e os tradicionais, de plástico, devem ser usados com o cabelo molhado ou úmido. O ideal é aplicar mousse, para fixar o penteado, e depois colocar os rolinhos. São cerca de 45 minutos para secar com secador e três horas ao natural. A retirada dos bobs também é um momento importante: deve-se ter cuidado para não machucar os fios ou desmanchar o efeito.

Já os bobs de velcro devem ser usados com o cabelo seco. O mousse de fixação também é indicado. Com eles o processo é mais rápido: você só precisa ficar meia hora com eles no cabelo. Se você tiver colocado os bobs logo depois de ter feito escova, cuidado: eles só podem ser retirados quando o cabelo estiver frio.

Seguindo essas dicas você tem tudo para arrasar com os cabelos lisos ou cacheados, e ainda por cima usando uma receita barata e do tempo da vovó!

Veja as estrelas da música e do cinema que não dispensam o bom e velho bob:


Nicole Kidman

Sandra Bullock

Julia Roberts

Kirsten Dunst

Catherine Zeta-Jones

Jennifer Lopez

Britney Spears

Julia Stiles

Jennifer Aniston

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.