Turismo

Parque da Lajinha sofre com o abandonoNo local, é possível encontrar lixo espalhado, mato alto, degradação de pontos históricos, mofo em instalações, além do baixo número de visitantes

Victor Machado
*Colaboração
16/3/2011
escada no parque da lajinha seja e desgastada

O Parque da Lajinha, um dos pontos turísticos de Juiz de Fora, vem sofrendo com o abandono. Visitantes, cada vez mais raros, reclamam das condições do local e afirmam que o descaso tem provocado o afastamento da população.   

No local, é possível encontrar lixo espalhado, mofo nas construções e mato alto. A degradação também pode ser vista nas placas enferrujadas, nos bancos, escadas e em dois tratores antigos, que ficam no parque.

A reportagem do Portal ACESSA.com esteve no local, na manhã desta quarta-feira, 16 de março, e não encontrou visitante algum. Apenas uma moradora de rua dormia em um banco no local.

Segundo funcionários do parque, a média de visitas diárias, durante a semana, é entre 9 e 10 pessoas. Na segunda-feira, 14 de março, 12 pessoas estiveram na área. Na terça-feira, 15 de março, oito pessoas foram ao local. Os funcionários afirmam que a maior parte das visitas são registradas durante o fim de semana, mas que não há um controle, como existe nos dias de semana. Além disso, eles explicam que a principal finalidade das visitas são as caminhadas, para se refrescar e jogar futebol, durante o fim de semana. 

O publicitário Célio Cardoso Júnior esteve no parque no final de semana e dá sua opinião. "O parque está totalmente abandonado. Não há condições de visitá-lo. Os brinquedos estão quebrados, existe muita sujeira espalhada e mato alto. O descaso é total", afirma. Cardoso visitou o local com a filha e a esposa e disse que, da maneira que o parque está, fica difícil voltar. "É impossível passear. Nem para tirar foto dá. Relíquias que existem lá estão totalmente enferrujadas. A única coisa boa é o lago".

O triatleta Marcos Hallack conta que antes treinava com sua equipe no parque, mas há três semanas eles tiveram que mudar de local, por causa da situação precária do lugar. Para o esportista, o pior problema é a falta de capina e de segurança. "O mato está batendo no meu joelho, a gente não consegue passar pelo lago. O parque está jogado às traças. Lá era um lugar para as pessoas serem felizes e a gente não vê ninguém passeando no lugar." O atleta completa: "Juiz de Fora precisa de uma área de lazer, as praças estão abandonadas. Como que uma cidade com mais de 500 mil habitantes só tem o Museu Mariano Procópio como área de lazer?", indaga.

De acordo a chefe do departamento de Turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Alice Arcuri, o parque é importante como área de lazer para a comunidade, mas, se a população não cobrar melhores condições, não adianta. "O local é abandonado porque as pessoas sentem medo de frequentá-lo." A turismóloga diz que, atualmente, não existe nenhum projeto de turismo para a área, mas que há placas de sinalização, na cidade, indicando o parque.
Manutenção

A assessoria de comunicação da Agência de Gestão Ambiental de Juiz de Fora (Agenda-JF) informa que, há 20 dias, foi realizado um mutirão de roçada no local. Atualmente, três funcionários da Empresa Municipal de Pavimentação e Urbanização (Empav) estão trabalhando na área e que a manutenção é feita de acordo com a necessidade. A Agenda-JF informa que 25 mil mudas de diversas espécies nativas da Mata Atlântica, oriundas do programa Cidade Verde, foram plantadas no parque, nas regiões das divisas com o Hospital Universitário (HU) e com o Sesi Minas. Está sendo estudado um projeto para a revitalização da área de uso comum do parque.

Sobre a segurança, foi informado que agentes da Guarda Municipal fazem uma ronda diária no local e que dois porteiros atuam como vigias. Quando necessário, os homens podem fazer vistorias, a pedido dos porteiros. A agência acredita que a moradora de rua encontrada no parque é, provavelmente, moradora do entorno e conhecida dos funcionários. Mendigos não passam a noite no local, pois ele permanece fechado neste horário.

O Parque

O Parque Municipal da Lajinha está localizado a sudoeste do centro da cidade, na entrada de Juiz de Fora, na direção da BR-040. Possui uma área de aproximadamente 867.000 m², distribuída em áreas de mata nativa, trilhas, lago, jardins e campo de futebol.

*Victor Machado é estudante do 7º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

*Colaborou Jorge Júnior

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.