Educação

O primeiro dia no emprego Começar num novo trabalho não é tarefa fácil. Ansiedade e falta de conhecimento do ambiente são os maiores obstáculos

Marcelo Miranda
Repórter
25/03/06
Clique ao lado e veja o que a consultora de RH Aline Salles Rocha fala sobre como o funcionário deve se comportar no seu primeiro dia no novo emprego.

Veja!

Primeiro dia de trabalho. Você chega naquele ambiente novo, sem conhecer quase ninguém. Não sabe onde se sentar, quem é o chefe, com quem falar, o que fazer de imediato. Quando acha que conseguiu apreender suas tarefas, depara-se com programas que não domina ou números de telefone, senhas e códigos que ainda não sabe. A impressão de que tudo vai sair errado é inevitável.

Começar num novo emprego não é tarefa fácil, mas pode ser mais simples do que se imagina. Segundo a consultora de Recursos Humanos Aline Salles Rocha (foto), o fundamental é manter a calma. "A pessoa chega naturalmente ansiosa, e é comum haver insegurança por conta disso", diz Aline. "A ansiedade e a falta de conhecimento da empresa onde se está iniciando o trabalho podem tornar esse primeiro dia desastroso".

Para evitar gafes e "escuridão" total, Aline recomenda uma integração prévia entre a empresa e o funcionário recém-contratado. "O ideal é haver algum tipo de treinamento em que o empregado se familiarize com as normas internas, os colegas, os serviços a serem feitos. Algo que ensine a cultura e a missão da empresa, desde comportamento até a vestimenta adequada", explica a consultora. Mas nem sempre existem esses treinamentos antecipados. Neste caso, o próprio funcionário deve correr atrás e mergulhar em tudo que conseguir sobre o local para onde foi convocado.

"Na falta de algo organizado internamente, então é preciso buscar informações de maneira independente. Tentar saber o histórico do lugar, seus procedimentos, políticas internas. Conhecer mesmo onde se está entrando", recomenda Aline. "Quando existe esse conhecimento anterior, a segurança aumenta". Já como dicas práticas do dia-a-dia, ela orienta que o funcionário deva sempre ter em mente a necessidade de adequação ao trabalho, e não o inverso. "Não se pode querer impor um estilo próprio. Se a pessoa, por exemplo, gosta de andar só de bermuda, e no serviço ela precisa de terno e gravata, então vai ter que se acostumar e seguir a norma".

O modo de falar também é importante. "É preciso ter cuidado no linguajar. Nada de gírias em excesso e nem conversas desnecessárias. Procurar informações com os colegas é importante, mas não pode deixar que isso se torne um bate-papo", avisa Aline. "O bom senso deve estar acima de tudo."

Histórias de "estréia"

Marina Pinheiro (foto ao lado) lembra-se muito bem de seu primeiro dia de trabalho numa empresa de telefonia, onde está desde abril de 2005. "Isso a gente nunca esquece", brinca. Ela passou por um treinamento prévio para aprender sobre os métodos de trabalho exigidos na sua função, que é ser operadora de telemarketing. Mas logo na primeira ligação recebida, Marina se enrolou por completo.

"De cara me deu branco e eu esqueci todo o treinamento. Não sabia como resolver o que o cliente pedia, então precisei recorrer aos colegas", conta. "Eu estava muito nervosa, não tinha qualquer experiência na área e fiquei com medo de não dar conta do trabalho". Hoje, passado quase um ano do "trauma", a também estudante de Administração reconhece que o maior inimigo foi a ansiedade. "Em uma semana eu já estava dominando todo o serviço. Tem que ficar tranqüilo, perguntar sempre que tiver dúvida e ir trabalhar com gosto e prazer, para poder dar certo".

A experiência de Viviane Magalhães Leitão (foto abaixo) foi menos marcante que a de Marina, mas igualmente confusa. Secretária e representante de vendas de uma escola de informática, ela está no mesmo local desde 2002. "Eu tinha alguma noção do trabalho porque havia sido indicada por uma amiga. Ainda assim, não sabia mexer num sistema personalizado do computador que guardava os principais arquivos da empresa", conta, frisando que qualquer problema no equipamento seria responsabilidade dela - e ali estavam documentos e informações imprescindíveis ao funcionamento da escola.

"Eu cheguei a errar algumas coisas e dependia muito do chefe no começo. Além disso, eu era a única mulher no trabalho e fiquei um pouco séria e inibida", relembra. Com o tempo, Viviane fez amizade com os colegas e, principalmente, com alunos do curso. Sem falar no aprendizado crescente. "Se for comparar meu primeiro dia com hoje, é totalmente diferente. Estou à vontade, segura e até com autonomia para tomar algumas decisões pela empresa". E ainda aconselha: "quem for começar num novo emprego deve ter atenção aos padrões do lugar e tentar sempre fazer um pouco além do trabalho combinado, porque isso chama atenção positivamente".

Dicas para o primeiro dia num novo emprego
  • chegue com pelo menos 15 minutos de antecedência. Além de causar boa impressão, isso te dá um tempo de já ir reconhecendo o estilo da empresa;
  • não se sinta inibido em perguntar. Na dúvida, esclareça com seu imediato ou algum colega próximo. Apenas não deixe que isso se torne uma conversa informal, ao menos enquanto você não tem familiariade no local;
  • busque informações sobre a empresa, seja através de sites, amigos ou conhecidos que trabalham ou trabalharam lá, conversas fora do expediente. Isso dá mais segurança no trabalho;
  • saiba quais os procedimentos da empresa quanto a normas internas, comportamento, vestimenta, uso de celular e outros detalhes;
  • mostre interesse pelo seu serviço e por algo a mais. Esteja disposto a ir um pouco além das suas tarefas, sem cair em excessos;
  • não queira dominar todo o seu trabalho logo de cara. O primeiro dia é quase um reconhecimento, e se você tentar ser desde já o melhor funcionário, não vai conseguir. Relaxe, fique tranqüilo e faça o que se sentir mais à vontade e seguro;

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.