Mulher

Artigo
Mãos, colo e pescoço

05/04/2002

"... uma mulher sem saboneteiras
É como um rio sem pontes. Indispensável."

Já dizia o sábio poeta Vinícius de Moraes, em seu famoso poema Receita de Mulher.
Para quem não sabe, saboneteiras são as depressões existentes no colo, que fazem ressaltar as saliências das clavículas.

E se a idade de uma pessoa pode ser medida pela aparência do colo, do pescoço e das mãos, devemos cuidar muito bem deles. Pode não parecer, mas estas regiões são espelhos do nosso dia-a-dia e a gente nem sempre dá a atenção necessária para elas. São áreas expostas, degeneradas progressivamente pela exposição ao sol, e, infelizmente, as pessoas não se acostumaram a tratá-las diariamente, o que é fundamental!

Com a idade, o vento e o sol do dia-a-dia vão degenerando os vasos sanguíneos e a pele do pescoço fica áspera, avermelhada ou manchada - quase sempre debaixo do queixo fica branco. A pele desta área também é agredida constantemente ao dirigir um carro ou mesmo ao permanecer em ambientes fechados, porém muito claros.

O barato de todo dia

Quais são os cuidados principais com essas regiões?
Pela manhã deve-se usar filtro solar com fator de proteção acima de 30, e sempre que possível repetir a aplicação a cada 3 horas. O uso de golas altas também protege muito.

A noite usa-se cremes a base de vitamina c, retinol, ácido glicólico ou retinóico. Sempre lembrar que esta região é mais sensível, por isso usar ácidos mais fracos ou com menos frequência.

Pessoas que lidam muito com sabão, detergente ou outros produtos químicos devem usar cremes com óleo de amêndoas e silicone frequentemente. Quando a pele já está muito lesada, devemos associar tratamentos mais fortes.

Siga as dicas:

  • Manchas escuras: Nitrogênio Líquido para as manchas maiores ou Laser Rubi ou de Alexandrita para manchas pequenas. Estes aparelhos esquentam as fibras elásticas e colágenas da pele, provocando uma remodulação da derme e portanto são usadas também para melhorar a textura e dar brilho à pele.
  • Pescoço ou Colo muito vermelho: Geralmente associado com mancha branca embaixo do queixo, devido às lesões nos vasos sanguíneos desta região pelo sol. É de dificil tratamento só com medicamento, mas atualmente existem lasers específicos para esta lesão, e em poucas sessões os pacientes conseguem se livrar do famoso pescoço vermelho de perú.
  • Botox: Tem sido usado no pescoço, somente em caso de poucas rugas, sem flacidez. O resultado não é maravilhoso. Não pode-se fazer doses altas, por haver o risco de enfraquecimento do músculo que mantem o pescoço em pé, pode alterar o tom de voz ou dificultar a deglutição.
  • Lipoescultura: Só é usada quando existe um "discreto papo", porque se tirar muita gordura a pele vai ficar flácida, e o aspecto ficar pior do que antes.
  • Lipostabil: Esta substância é a lecitina de soja injetada dentro das células gordurosas, tentando diminuir o papo. Dá resultado discreto quando não existe flacidez associada. Deve ser feita de 15/15 dias e se em 5 aplicações o paciente não ver resultado é bobagem insistir porque não responderá.


Cristina Mansur
é dermatologista, professora e chefe
da disciplina de Cosmiatria do Serviço
de Pós-Graduaçao em Dermatologia da UFJF.
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de dermatologia) você quer ler novos artigos nesta seção? A médica Cristina Mansur aguarda suas sugestões no e-mail mansur@jfservice.com.br

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.