Mulher

Salões de beleza podem representar riscos à saúde Entre as doenças que podem ser transmitidas pelo uso compartilhado de objetos estão micoses, hepatite C, dermatite seborreica, pitiríase versicolor e Aids

Aline Furtado
Repórter
17/4/2010

Muitas mulheres não se dão conta, mas ao frequentar salões de beleza, a chance de contrair doenças é grande, caso não sejam observados cuidados relacionados à higiene.

De acordo com a dermatologista Vânia Piccinini, com o crescimento da população mundial foi percebido também o aumento do número de doenças. "E quando se fala em objetos compartilhados por muitas pessoas, a chance de adquirir uma doença é ainda maior." Segundo ela, a pessoa pode ser infectada por fungos, bactérias e até mesmo vírus ao fazer as unhas, maquiagem ou cuidar dos cabelos no salão.  

O Portal ACESSA.com levantou algumas dicas sobre os cuidados que devem ser tomados, a fim de evitar doenças, ao cuidar da beleza.

Unhas

Uma das preocupações deve estar relacionada às unhas. "As pessoas devem levar todos os materiais quando forem ao salão fazer as unhas, desde a toalha até a lixa." Isso porque o compartilhamento de objetos pode facilitar a transmissão de fungos e bactérias. "A lixa e a espátula, assim como o palito de madeira, são meios de transmissão de fungos, que acarretam doenças, como a micose, por exemplo."

A contadora Rosana Mello lembra-se de um longo tratamento para cuidar de uma micose de unha. "Apareceram manchas brancas e depois tive a impressão de que a unha foi morrendo. O tratamento foi longo, passei muito tempo sem poder usar esmalte. Mas a doença serviu como alerta para não mais usar objetos de salões."

Segundo a dermatologista, o tratamento para a cura de micoses de unhas é longo, o que faz com que o mesmo fique caro. "A média de tratamento é de dois a três anos e, quanto mais velha for a paciente, mais demorado será. Isso porque a cura ocorre de acordo com o crescimento da unha, que é mais lento em pessoas de mais idade."

O uso do mesmo alicate de unha pode ocasionar problemas como a hepatite C, infecções e inflamações bacterianas e até mesmo a Aids, já que o corte do objeto pode provocar feridas com sangue. A médica lembra, ainda, que o próprio esmalte é visto por alguns profissionais da saúde como ambiente de cultura de fungos.

Ao fazer as unhas, a utilização da bacia, sem que haja proteção de um saco plástico, pode acarretar micoses, também conhecidas como frieiras. "É importante que, a cada cliente, a manicure faça a troca deste saco plástico." Além da bacia, é fundamental que haja cuidado quanto à toalha, devendo haver uma para cada cliente.

Cabelos

Escovas de cabelo e pentesO uso compartilhado de escovas de cabelo e pentes pode acarretar doenças como dermatite seborreica, que é a inflamação crônica da pele. Esta forma de dermatite pode provocar coceira, descamação e oleosidade.

Outro problema que pode ser causado por meio do uso coletivo de escovas e pentes é a pitiríase versicolor, também conhecida como micose de praia ou pano branco, por causar manchas brancas na pele.

Maquiagem

Dividir cosméticos também pode representar risco à saúde das mulheres. Entre as doenças que podem ser Maquiagemtransmitidas estão a conjuntivite, ocasionada pelo uso de sombra, lápis de olho, rímeis e delineadores compartilhados, além da herpes, que pode passar de uma boca para a outra quando se divide o mesmo batom ou gloss.

Para a funcionária pública Kellen Moreira, o resultado de uma maquiagem feita em um salão de beleza foi negativo. "Saí linda do salão, mas no dia seguinte percebi um inchaço no meu olho esquerdo. Fui ao médico e ficou constatada uma alergia, que eu creio ter sido adquirida devido ao compartilhamento de maquiagem. Depois disso não divido mais nada. Prefiro me precaver desta forma."

Hábitos que prejudicam

"Um dos hábitos das manicures que devem ser deixados de lado é o de afastar a cutícula com a espátula. Isso força a matriz da unha, rompendo as camadas, o que deixa a unha fraca e quebradiça." Vânia lembra que o ideal é usar a espátula na horizontal, não forçando o descolamento da cutícula.

Outro costume que deve ser deixado de lado é o de lixar a superfície das unhas. "Elas têm mania de querer tirar as ondulações das unhas. Isso descamada e provoca manchas brancas, além de deixar a unha mais fraca."

Prevenção

Uma das formas de se prevenir contra estas doenças é levar, sempre que for aos salões de beleza, todos os objetos. Outro meio é o salão se equipar com um aparelho chamado autoclave, usado em hospitais. "Vemos salões utilizando estufas, mas para que a esterilização dos objetos ocorra realmente é necessário um período de duas horas, além do equipamento agir em altos graus de temperatura. Por isso a autoclave é mais indicada, embora seja mais cara. Nela são necessários apenas vinte minutos. 

No caso dos cabelos, a médica recomenda a limpeza, pode meio da lavagem com água e detergente, das escovas e pentes. "O uso de água sanitária também é indicado." Outra dica para as clientes de salões de beleza é quanto à higiene da própria manicure. "É importante que ela esteja de mãos limpas e use álcool gel antes de dar início ao trabalho."

A proprietária de um salão de beleza da cidade, Norma Coeli, lembra que, entre os cuidados tomados pelos profissionais do local, estão o uso de saco plástico nos recipientes, a esterilização em estufa de todos os objetos, além da limpeza constante de escovas e pentes. "No caso de maquiagem, chegamos até a aconselhar as clientes quanto a trazerem os materiais de casa."

Sem esmalte

Para fazer com que a unha não fique fraca, a dermatologista aconselha as mulheres a deixaram as unhas por um período sem esmalte. "Pode parecer estranho, mas isso auxilia na respiração das unhas." Durante o tempo sem o esmalte, é possível usar cremes hidratantes ou óleo de amêndoas, o que evita o ressecamento.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Taty Cabelus: Eu pedi as minhas clientes pra trazerem seus materiais ,acho mais seguro....