• Assinantes
  • Turismo

    Peculiaridade de atrativos é forte do Nascente do Rio DoceCircuito Turístico é formado por oito cidades mineiras e composto por atrativos tradicionais como o Carnaval, a Festa do Milho e a Bandeira de Roça

    Clecius Campos
    Repórter
    24/3/2010

    A peculiaridade de seus atrativos é a grande vocação do Circuito Turístico Nascente do Rio Doce, formado por cidades da Zona da Mata Mineira. Alto Rio Doce, Brás Pires, Carandaí, Cipotânea, Presidente Bernardes, Ressaquinha, Senador Firmino e Senhora dos Remédios têm atrações tão particulares e tradicionais que compõem um circuito único em Minas Gerais. "A grande vocação é a diversidade cultural e as atrações espontâneas. Por todo o lado, as festas, as manifestações e o próprio dia a dia das pessoas são eventos para serem vistos e visitados", afirma o gestor do circuito, Reginaldo Soares de Carvalho.

    O circuito surgiu como meio de formatar uma política de turismo para a região que contemplasse municípios ligados pela cultura, proximidade, identidade política e econômica. Outra preocupação foi reunir cidades cortadas pelos rios Piranga, Xopotó e Turvo, afluentes do Rio Doce, que dá nome ao circuito. "Aqui está a principal parte da Bacia do Rio Doce, que se inicia com a nascente do Piranga, em Ressaquinha. Todas as demais cidades são cortadas pelos rios, o que se traduz em muitas cachoeiras na região."

    O circuito, que tem aproximadamente 2 mil quilômetros quadrados de área, tem como cidade polo a pequena Alto Rio Doce, que conta com extensão de 519 quilômetros quadrados e cerca de 13 mil habitantes, sendo apenas 4 mil moradores da região urbana. Na cidade, o turismo rural pode ser explorado por meio de visitas às fazendas e às cachoeiras. Além disso, a exposição agropecuária, que ocorre em julho, também é animada. "O evento conta com torneio leiteiro, baias com cavalos e shows sertanejos e de bandas locais. A capacidade hoteleira da cidade é boa, já que está acostumada a receber visitantes."

    Carnaval em Alto Rio Doce e Festa do Milho em Cipotânea

    Isso porque o Carnaval de Alto Rio Doce é dos mais movimentados de Minas Gerais. No Centro da cidade, cerca de 30 mil pessoas costumam curtir o Reinado de Momo todos os anos. "É um Carnaval de rua que não só traz as marchinhas e a animação, como também tem uma história para contar. Na década de 20, as pessoas desfilavam pelas ruas em carros de boi e nos anos 50, os calhambeques enfeitados tomavam conta da cidade." Hoje, a tradição do desfile dos burrinhos é o charme do Carnaval local. "As pessoas fazem fantasias de pano e desfilam como se estivessem montados em burros."

    Foto do Circuito Foto do Circuito

    Em Cipotânea, a tradição é também mantida com a Festa do Milho, realizada em julho. O artesanato de palha de milho na cidade nasceu há mais de 60 anos e é divulgado na principal festa do tipo de Minas Gerais. Bolsas, cortinas, sacolas, bonecos e até móveis são produzidos na cidade e expostos na Festa do Milho. "O IDH [Índice de Desenvolvimento Humano] de Cipotânea era mais baixo que o registrado no norte do Vale do Jequitinhonha, região mais pobre de Minas. No entanto, a produção do artesanato foi tão importante para a cidade que hoje 30% da população é composta por artesãos e 70% da cidade sobrevive da atividade. Os produtos são, inclusive, exportados para a Europa."

    Durante a festa ocorre também o concurso de desfiles de carros de boi, que são julgados não só pelos enfeites, como também pela habilidade do condutor e pelo tema apresentado. O evento conta ainda com a escolha da Rainha do Milho, sempre vestida com produtos típicos da festa. "Elas aparecem vestidas com roupas feitas de palha e até de pipoca. A concorrente tem que ser da Zona Rural e estar de acordo com a temática do ano. O concurso é de alto nível e tem potencial para atingir o público internacional."

    Cachaça e gastronomia em Presidente Bernardes e Senador Firmino

    A produção de cachaça é o grande atrativo da cidade de Presidente Bernardes. No município, existe um alambique que produz a bebida há 128 anos. "A fábrica fica a aproximadamente 2 quilômetros do Centro da cidade e foi construída para atender a demanda de Ouro Preto e Mariana. Na época, o produto era levado nos lombos de burros até as cidades." Hoje, o alambique continua produzindo e pode ser visitado. Presidente Bernardes promove a mais antiga Festa da Cana, o mais tradicional Festival de Cachaças do Estado de Minas Gerais. No município, são fabricadas 21 marcas de cachaça, produzidas nos 16 alambiques em atividade. Sozinha, a cidade produz 25 mil litros de pinga por mês.

    Em Senador Firmino, a atração é a gastronomia. O prato mais famoso da região é o pato com macarrão, que hoje é oferecido em um dos mais tradicionais restaurantes de comida mineira de São Paulo, fundado e administrado por mineiros de Senador Firmino. A cidade é responsável ainda pela produção do mais antigo doce de leite industrializado do Estado de Minas. O circuito estuda a possibilidade de permitir a visita à fábrica que tem mais de 80 anos de existência. No mesmo local, é feita uma manteiga de paladar único. "O gosto é conseguido devido a uma bactéria, que altera o sabor do alimento, tornando-o inigualável. O desenho da embalagem é o mesmo desde a sua fundação."

    Foto do Circuito Foto do Circuito
    Bandeira de Roça, manga-larga e Festa da Batata

    Um dos grupos folclóricos mais tradicionais de Minas Gerais é atração na cidade de Senhora dos Remédios. O Bandeira de Roça é formado por camponeses que relembram a comemoração do término da capina do milho. "Antigamente, a capina deveria ocorrer até o dia 25 de dezembro, sob a punição de ser colocada na roça do fazendeiro atrasado uma espécie de espantalho com as características do dono da propriedade. Para não ocorrer esse tipo de humilhação, os fazendeiros se cooperavam e, quando a capina era realizada no tempo certo, era feita a comemoração." O grupo se apresenta em festas e eventos em geral.

    Em Ressaquinha, cidade considerada a porta de entrada do circuito, por ser cortada pela BR-040, o diferencial é a realização de uma das etapas do Concurso Nacional de Manga-Larga Marchador, que ocorre em junho. "Muitas pessoas são atraídas pelo evento de porte nacional, que também vira uma exposição. O meio rural fica bem movimentado." A cidade é ainda berço de uma comunidade quilombola, que tem como atrativo um grupo de canto e dança de raiz africana.

    A Festa da Batata é a alternativa de diversão no mês de julho, em Brás Pires. A cidade recebe turistas que vão apreciar o festival formado por barraquinhas de comidas típicas e pratos à base de batata. Os shows complementam as atrações do evento. Outras festas folclóricas e religiosas fazem parte do roteiro da cidade. As bandas de congado são atrativos no município cortado pelo rio Xopotó.

    Carandaí contribui com orquídeas, morangos e artesanato

    Carandaí, que aderiu recentemente ao circuito, contribui com a Exposição de Orquídeas, realiza em abril. Além das flores, os morangos também são tema de um festival que ocorre durante o inverno. A cidade é a maior do circuito, com 26 mil habitantes e grande produção de hortifrutigranjeiros. "O município é também famoso pelo artesanato em madeira, exportado para as cidades de Tiradentes, São João del Rei, Ouro Preto e Prados." Entre Carandaí e Ressaquinha, um percurso de 17 quilômetros integra o Caminho Novo da Estrada Real e pode ser feito a pé. "A proximidade entre todas as cidades do circuito permitem que o turista o conheça todo andando de bicicleta. A distância média entre os municípios é de 25 quilômetros."

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.