Ter?a-feira, 13 de maio de 2008, atualizada ?s 16h33

Bejani fala pela primeira vez, ? PF, sobre origem do dinheiro encontrado em sua casa, garante advogado



Priscila Magalh?es
Rep?rter

O prefeito Alberto Bejani esteve em Belo Horizonte na manh? desta ter?a-feira, 13 de maio, onde prestou esclarecimentos ? Pol?cia Federal (PF). Segundo um dos seus advogados, Marcelo Leonardo, em cerca de 40 minutos, Bejani explicou ao delegado a origem do R$ 1,2 milh?o encontrado em sua casa no dia 09 de abril, quando foi preso durante a Opera??o Pas?rgada .

Marcelo Leonardo informou que Bejani n?o foi convocado por contradi??o entre o depoimento prestado ao delegado Mario Veloso, no dia de sua pris?o, e as explica?es que deu ? imprensa no ?ltimo dia 05. Segundo informa?es n?o oficiais, no primeiro depoimento, o chefe do Executivo teria dito que o dinheiro era proveniente da venda de uma r?dio em Santos Dumont, Minas Gerais, o que n?o foi confirmado pelo advogado.

Na explica??o ? imprensa, Bejani disse que vendeu a Fazenda Liberdade, em Ewbanck da C?mara, por R$ 1,2 milh?o . Essa contradi??o teria levado a PF a convocar o prefeito. "N?o houve contradi??o, pois hoje foi a primeira vez que ele falou, ? PF, sobre o assunto", garante o advogado.

Segundo ele, Bejani disse, no depoimento desta ter?a, que vendeu a Fazenda Liberdade por R$ 1,2 milh?o. Por?m, n?o apresentou nenhuma documenta??o que comprove a venda. "N?o trouxe nenhum documento, porque n?o sab?amos o motivo da convoca??o, mas ele se comprometeu a envi?-los ao delegado por interm?dio dos advogados", explica.

A fazenda que Bejani diz ter vendido a Marcelo Abdalla da Silva por este valor foi comprada, em junho 2007, por R$ 430 mil, de Luiz Carlos Mazocolli. Ele presta depoimento ? CPI, que investiga o desvio de verbas e o enriquecimento il?cito de Bejani, na pr?xima segunda-feira, 19 de maio .

Comit? pede seriedade nas investiga?es

O Comit? de Cidadania enviou um documento ao legislativo municipal pedindo transpar?ncia nas investiga?es do prefeito Alberto Bejani, feitas da Comiss?o Parlamentar de Inqu?rito (CPI). Al?m de ser a favor de uma investiga??o s?ria, para apurar os fatos, o Comit? defende que o executivo municipal fique afastado enquanto acontece a investiga??o, para que n?o haja interven??o pol?tica. Para garantir a transpar?ncia do processo, o Comit? sugere que as vota?es na C?mara, sobre o caso, sejam abertas.