• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Segunda-feira, 2 de janeiro de 2012, atualizada às 12h58 e às 17h51

    Idosa de 75 anos morre soterrada em Visconde do Rio Branco devido às chuvas

    Victor Machado
    Colaboração
    Ruas alagadas em Muriaé

    Um idosa de 75 anos foi soterrada por um barranco, enquanto alimentava os animais de estimação na parte externa de sua casa, na cidade de Visconde do Rio Branco, nesta segunda-feira, 2 de janeiro. Ela é a quarta vítima fatal das chuvas que assolam Minas Gerais desde outubro de 2011. O município sofre com uma pancada forte que começou a cair na madrugada desta segunda-feira e que deve seguir até a próxima quarta-feira, 4. O rio Xopotó, que passa a cidade, subiu cerca de quatro metros acima do nível da rua, causando inundações em diversas áreas.

    Pontes, ruas e casas já foram notificados pela Defesa Civil de Visconde do Rio Branco. Os principais bairros que estão sofrendo alagamento são Barreiro (parte baixa), Barra dos Coutos, Cohab I e Piedade. Visconde do Rio Branco está com várias pontes e ruas interditadas e 19 pessoas estão em um abrigo da Prefeitura. Estão sendo distribuídos marmitex para as famílias que estão sem mantimento. A Secretaria de Assistência Social pede a toda a região que possa doar roupas, colchões e alimentos para serem distribuídos às famílias. O município precisa ainda de doações de água, leite, fraldas descartáveis infantis e geriátricas.

    Muriaé tem ruas alagadas

    Em Muriaé (ver fotos), avenidas e ruas ficaram alagadas em diversos pontos e deslizamentos foram registrados. Choveu no município mais de 150 milímetros desde os primeiros minutos de 2012. Segundo o secretário de obras do município, João Ceribelli, o nível do rio pode ter atingido 4 metros. Na semana passada, o nível atingiu 3,5 metros.

    De acordo com o secretário, ainda não foi possível contabilizar as ocorrências, mas a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros estão em alerta para retirar as famílias das áreas atingidas. "Estamos com um processo de inundação. Felizmente não tivemos vítimas." Ceribelli afirma que a expectativa é de que a chuva diminua na cidade durante o período da tarde e diminua os riscos de novos acidentes.

    A coleta de sangue, a cargo do Hemominas, que estava agendada para esta quarta-feira, 4, em Muriaé, foi cancelada. A Unidade de Atendimento Integrado (UAI) de Muriaé suspendeu, temporariamente, as atividades, devido às chuvas. Vários pontos do entorno da unidade estão alagados, o que dificulta o acesso e expõe moradores a riscos.

    Nível do rio sobe 4,95 metros em Cataguases

    Em Cataguases, a Defesa Civil alerta para o risco de enchente na cidade, após o rio Pomba atingir 3,50 metros acima do normal. Segundo a assessoria de comunicação da Defesa Civil de Cataguases, o rio Pomba media 2,45 metros acima do nível normal, às 8h desta segunda-feira, 2 de janeiro. Cerca de uma hora depois, o nível do rio já havia subido para 2,70 metros, chegando a 3,50 metros às 11h30. Às 17h40, o leito já estava 4,95 metros acima do normal. A explicação para a rápida subida seria a cheia do rio Xopotó, que nasce em São Geraldo, passa por Guidoval e deságua no rio Pomba. Quatro pessoas estão em um abrigo da Prefeitura.

    Em Minas

    Quarenta e seis municípios mineiros decretaram situação de emergência: Mathias Lobato, Espera Feliz, São Sebastião da Vargem Alegre, Vieiras, Dom Joaquim, Leopoldina, Itamarandiba, São Domingos do Prata, Faria Lemos, Alpercata, Abre Campo, Ponte Nova, Formiga, Buritizeiro, Jacinto, Itumirim, Mariana, Acaiaca, Barra Longa, Florestal, Belo Horizonte, Joanésia, Paulistas, Santa Rita de Jacutinga, Pará de Minas, Braúnas, Setubinha, São João do Oriente, Raposos, Vespasiano, Conceição dó Pará, Alagoa, Claro dos Poções, Alvinópolis, Timóteo, São João da Mata, João Monlevade, Lima Duarte, João Pinheiro, Juatuba, Passabem, São Sebastião do Rio Preto, Poço Fundo, Brasília de Minas, Ibirité e São João Evangelista.

    Foram registrados quatro óbitos no Estado, desde outubro, em decorrência das chuvas. Uma pessoa está desaparecida. O número de feridos já soma 32. Os desabrigados chegaram a 404 e os desalojados a 9.365. Casas danificadas somam 2.420, enquanto as residências destruídas foram 84, até esta segunda-feira. Um depósito avançado, estruturado para armazenar mantimentos e demais doações, será montado na cidade de Ubá.

    Situação em Juiz de Fora

    Em Juiz de Fora, a Defesa Civil registrou 12 ocorrências durante o fim de semana. Duas delas no sábado, 31 de dezembro, três no domingo, 1º de janeiro, e sete nesta segunda-feira, 2. De acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria de Obras, nenhuma dessas ocorrências foi grave, sendo todas de vistoria.

    Previsão

    A previsão, conforme o meteorologista Cleber de Souza, é de que a chuva permaneça durante toda a semana na região. Segundo ele, o céu deve ficar encoberto e com chuvas constantes até esta terça-feira, 3 de janeiro. A partir de quarta-feira, 4, serão menos constantes. A temperatura em Juiz de Fora deve girar em torno de 15º C e 22º C. Já para a Zona da Mata, a mínima deve variar entre 13º C e 15º C e a máxima entre 23º C e 25º C.

    *Victor Machado é estudante do 8º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.