• Assinantes
  • Cultura
    Ana Paula Ladeira Ana Paula Ladeira 17/03/2016

    A sustentabilidade no horário nobre

    O conceito de sustentabilidade nem é tão velho assim, mas hoje faz parte do vocabulário do setor de marketing de grandes empresas e está presente nas discussões sobre o desenvolvimento social, o consumo consciente e a preservação ecológica. Na televisão, as abordagens sobre sustentabilidade também já são velhas conhecidas, presentes no discurso jornalístico do extinto Globo Ecologia e do Globo Rural, na Rede Globo; do interessante Cidades e Soluções, da Globo News, e do Repórter Eco, da TV Cultura. Exemplos, realmente, não faltam. Porém, também é fato que a televisão vem deixando as discussões sobre formas de sustentabilidade relegadas a horários de menor audiência, incapazes de atingir um grande público.

    E a novela Velho Chico, que estreou esta semana, talvez venha cumprir esse papel no horário nobre. Com a proposta de discutir a sustentabilidade agrária e ambiental e a sustentabilidade social, a trama tem como pano de fundo um dos principais rios brasileiros – o Rio São Francisco. Já se sabe que a primeira fase da novela abordará a construção da Usina Hidrelétrica de Sobradinho e a desapropriação dos ribeirinhos que viviam às suas margens. Já nas fases seguintes, caberá a Benedito Ruy Barbosa aproveitar a oportunidade de debater sobre os impactos que a transposição (cujas obras devem ser finalizadas no próximo ano) causarão nas comunidades que vivem às margens desse rio. Vale lembrar que o autor de Velho Chico já tem em seu currículo as novelas Renascer e O Rei do Gado, que, já na década de 1990, provocaram discussões políticas e sociais envolvendo questões agrárias.

    O alto índice de audiência das novelas, somado à capacidade de discutir de maneira lúdica tantos assuntos de importância social, faz com que este gênero televisivo possa ser utilizado como um importante elemento transformador. Basta lembrarmos da novela Laços de Família, que foi capaz ampliar de 10 para 149 o número mensal de doadores de medula óssea no INCa, o Instituto Nacional do Câncer, durante o período de sua exibição.

    Para assessorar na produção de Velho Chico, a Rede Globo fechou uma parceria com a organização ambiental Conservação Internacional (CI-Brasil), que prestará consultoria técnica, fornecendo conteúdo de base para a telenovela. Com isso, pretende-se aumentar o alcance de alguns temas relacionados ao uso sustentável dos recursos naturais para o grande público, tão cansado de novelas urbanas e violentas.


    Ana Paula Ladeira é Jornalista pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense. Pesquisa assuntos relacionados especialmente à TV.

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.