• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    O discurso de quem passa da oposição para a situaçãoA peça Ascensão e queda de um rebelde, em cartaz em JF neste final de semana, retrata os acontecimentos políticos recentes do Brasil

    Aline Furtado
    Repórter
    22/1/2010

    Uma sátira política. Assim pode ser definida a peça teatral Ascensão e queda de um rebelde, que integra a 9ª Campanha de Popularização do Teatro e da Dança de Juiz de Fora. O espetáculo, cujo texto é de autoria de Gueminho Bernardes, teve sua primeira montagem em agosto do ano passado. "Já tinha a ideia de desenvolver um trabalho baseado na trajetória dos rebeldes que sofreram com a ditadura e modificaram seu discurso quando chegaram ao poder. É interessante verificar como as opiniões mudam de um tempo para outro."

    A montagem foi feita em 2009, a partir de um convite do vereador José Sóter de Figuerôa Neto (PMDB) para a criação de uma performance a ser apresentada na abertura do seminário no qual foi discutida a Lei Orgânica Municipal. Na época, a peça foi encenada com o nome 40 anos em 40 minutos. Depois de algumas adaptações, ela volta a ser apresentada. No espetáculo, Gueminho divide o palco com o também ator Adelino Benedito.

    O "painel histórico", conforme definição de Gueminho, conta os episódios políticos ocorridos no Brasil nos últimos quarenta anos, sempre tratando das influências causadas em pessoas que saem do lugar ocupado pela oposição e passam para o lado da situação. A história é contada por meio de encontros de dois amigos, em momentos críticos da vida do país, a cada quatro anos. Um dos amigos é Luiz, um militante rebelde, personagem de Adelino, o outro é Fernando, um sujeito moderado, personagem de Gueminho. "O Luiz inicia sua trajetória convicto de sua ideologia, mas, com o passar do tempo, vai se mostrando flexível, de acordo com as conveniências", revela Adelino.

    TeatroA peça tem início com a posse do General Emílio Garrastazu Médici, no final dos anos sessenta. O fato se mistura à final da Copa de 1974, quando o Brasil venceu a Itália por 4 a 1. O desfecho ocorre nos dias atuais e menciona o discurso de renúncia da posição de líder do Partido dos Trabalhadores (PT), feito pelo senador Aluísio Mercadante, em agosto do ano passado. "Este pronunciamento veio como um presente. Precisava exatamente de um fato como este para contribuir com o texto do espetáculo." Entre os outros momentos históricos destacados estão, além da ditadura e da anistia, o movimento das Diretas Já, as eleições diretas para presidente, o impeachment de Fernando Collor de Mello e os governos Fernando Henrique Cardoso e Lula. "É interessante porque estamos em ano eleitoral. A peça nos sugere voltar um pouco, olhar para trás", pondera Gueminho.

    Além do cunho político, o espetáculo traz algumas curiosidades, que têm ligação com os fatos políticos, por se tratar do mesmo período histórico. "Lembramos o assassinato da atriz Daniela Perez, que aconteceu na época do impeachment do Collor. Citamos também a prisão do bispo Edir Macedo e o início de exibição do seriado Chaves no Brasil, no período das Diretas Já", revela o autor.

    Embora não se trate de uma comédia, a peça desperta o riso da plateia, inclusive em momentos onde são exibidas cenas que teriam um tom trágico. "O caso do confisco das poupanças é um exemplo disso. O fato, que foi tragédia para muitos, vira motivo para riso nos dias atuais", constata Gueminho. Para Adelino, este é um movimento natural. "Existe uma tendência do trágico hoje se transformar em graça amanhã."

    Ascensão e queda de um rebelde estará em cartaz no próximo sábado, 23 de janeiro, às 22h no Crize Bar e Teatro. No próximo domingo, dia 24, a peça será apresentada às 20h30 no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas.

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    /cultura/arquivo/nossosartistas/2009/06/25-magal/

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.