Alberto Pinto apresenta mais de 70 produções criadas em 15 anos

Desenhos satirizam a política, o esporte, programas televisivos e o cotidiano das pessoas de Juiz de Fora e do Brasil

Andréa Moreira
Repórter
8/4/2013
Exposição Ainda Vamos RIR disso tudo

Os fatos políticos, esportivos e o cotidiano de Juiz de Fora e de todo o país estão retratados em 74 trabalhos do cartunista Alberto Pinto. O artista conseguiu reunir, na exposição Ainda vamos RIR disso tudo!, alguns dos fatos mais marcantes que aconteceram entre os anos de 1998 e 2013. "O humor está presente em quase toda a totalidade dos meus trabalhos, afinal, a charge é para fazer rir. Entretanto, confesso que tive que divulgar alguns acontecimentos tristes, como os atentados de 11 de setembro, devido a importância histórica", afirma.

Cartunista desde 1981, Pinto já produziu mais de 4 mil trabalhos. Porém, foi a partir de 1998 que ele começou a divulgar sua arte nos veículos de comunicação, entre eles, o jornal impresso O Pasquim. "Esta é a minha primeira exposição. Foi difícil escolher entre tantos trabalhos, o que mais marcou nosso país, e claro, a cidade de Juiz de Fora, a qual eu adotei já faz 15 anos, mesmo período da produção destes trabalhos."

A exposição

Com um título sugestivo, a exposição Ainda vamos RIR disso Tudo! procura fazer com que as pessoas reflitam sobre as situações do dia a dia. "A própria caricatura do cartaz da mostra faz uma alusão ao ditado popular: O circo está pegando fogo!. Quando trato de assuntos polêmicos como política, esportes e até mesmo de programas televisivos quero que as pessoas pensem e se questionem sobre essas situações," revela Pinto.

A exposição será inaugurada nesta segunda-feira, 8 de abril, às 18h30, e fica em cartaz até o dia 28 de abril, na galeria Renato de Almeida, do Centro Cultural Pró-Música. O horário de visitação será de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e aos sábados e domingos, das 13h às 18h. A entrada é franca.

O artista

Nascido no Rio de Janeiro, Alberto Pinto estudou Comunicação Social na Universidade Federal Fluminense (UFF). No ano de 1997 mudou-se para Juiz de Fora, e além de desenhar para jornais e agências locais, o desenhista trabalhou na Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa) e participou de Salões de Humor e dos festivais FestLer.

O cartunista tem diversos livros publicados como autor e ilustrador e atualmente é professor de desenho na Unitec Educacional, onde ensina as técnicas e os truques da caricatura, do cartum e do mangá, que são as histórias em quadrinhos do Japão. Em suas obras, o artista utiliza o nanquim sobre papel.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.