Técnica da galvanopuntura ameniza estrias brancas e vermelhas O procedimento, também chamado de eletrolifting, é usado, ainda, no tratamento de rugas e marcas de expressão

Aline Furtado
Repórter
6/1/2012
Galvanopuntura

Um dos males que atingem não só as mulheres, mas também alguns homens, são as estrias. Podendo ocorrer nas nádegas, nas coxas, nas pernas, nos seios, na barriga e até mesmo nas costas, as marcas podem apresentar coloração branca ou vermelha.

"As estrias rosadas ou avermelhadas, também chamadas de estrias rubras, indicam que o problema está começando. Com o passar do tempo, criam-se depressões na pele, enrugando-a, e as tiras ou linhas ganham a coloração branca", explica a esteticista, Sheila Marques.

A estria é uma atrofia da pele, que desencadeia a secura da mesma, a perda de elasticidade e até mesmo a diminuição de pelos no local. "O surgimento é decorrente, principalmente, de transtornos endocrinológicos." Para amenizar o problema, deixando a pele mais lisa e uniforme, foi criada, em 1952, por um dermatologista francês, Humberto Pierantoni, a técnica chamada galvanopuntura, ou eletrolifting, que consiste na punturação das estrias, o que pode ser feito também em rugas e marcas de expressão.

"A punturação é a aplicação de uma agulha muito fina, acoplada a um equipamento de corrente galvânica, que é o fluxo ordenado de elétrons direcionados a uma só região. Produz-se uma lesão na pele por meio do estímulo para produção de novas fibras. Essas fibras preenchem as estrias ou as rugas. O que ocorre é uma espécie de estimulação por meio da eletricidade, com aumento da circulação e nutrição da área por meio da ampliação de colágeno e elastina", explica Sheila. A corrente galvânica pode provocar narcose e vasodilatação, evitando a formação de edemas.

Sessões

De acordo com Sheila, o número de sessões depende da avaliação realizada antes do início do tratamento. "Geralmente, são necessárias dez aplicações, uma ou duas a cada semana, para que os primeiros resultados possam ser percebidos. Cada sessão tem duração média de 30 minutos."

O ideal é realizar a galvanopuntura com a pele muito bem hidratada e nutrida. A esteticista afirma, ainda, que a técnica pode ser empregada, além das estrias, na atenuação do sulco naso-labial, das rugas entre as sobrancelhas e na região da testa e no envelhecimento cutâneo.

As punturações com corrente galvânica não são indicadas para gestantes, pessoas que sofram de epilepsia, cardiopatas, quem tem infecções cutâneas, pessoas que tenham próteses metálicas ou marcapasso e pessoas que apresentam algum tipo de neoplasia.

podem ser descritas como uma tira, banda ou linha, na qual a mudança na cor e textura, com depressão ou eleveção do tecido na qual ela é encontrada. No início são rosadas, denominadas de estrias rubras, sem depressão significativas, mais com o passar do tempo tornam-se pálidas com depressão e enrrugadas.
GALVANOPUNTURA

Trata-se de uma técnica que associa os benefícios da corrente galvânica, como uma estimulação sensoral, hiperemia capilar, aumento da circulação, nutrição da área e aceleração do processo de cicatrização, aos efeitos dos processos inflamatórios induzido pela puntura da agulha, que será também o meio pela qual a corrente penetrará na pele, no local da estria.

RESULTADOS
 
A galvanopuntura repara o tecido aumentando a quantidade de colágeno e elastina, reorganizando-os, além de aumentar a circulação na região da estria, melhorando a sensibilidade local , refletindo-se numa melhor qualidade do tecido e consequente melhora na aparência estética da região tratada.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.