Terça-feira, 21 de junho de 2011, atualizada às 12h20

Morre, aos 114 anos, carangolense considerada a mulher mais idosa do mundo

Aline Furtado
Repórter
Vó Quita

Morreu, aos 114 anos, às 4h15 desta terça-feira, 21 de junho, Maria Gomes Valentim, carinhosamente chamada de vó Quita, moradora de Carangola, cidade localizada a 246 quilômetros de Juiz de Fora.

Nascida no dia 9 de julho de 1896, ela foi reconhecida, no dia 18 de maio, pelo Guinness World Records, ou Livro dos Recordes, como a mulher mais idosa do mundo, sendo a primeira brasileira a receber o título de supercentenária.

Ela estava internada na Casa de Caridade de Carangola, onde deu entrada no último domingo, dia 19, com quadro de pneumonia. O velório está sendo realizado na Capela São Pedro e o enterro será às 16h no Cemitério Jardim da Paz, em Carangola.

Nascida na zona rural de Carangola, vó Quita casou-se em 1913. O marido morreu 33 anos após o casamento. O casal teve apenas um filho, que morreu aos 75 anos, além de quatro netos, sete bisnetos e cinco trinetos. Devido a uma queda aos 110 anos de idade, que provocou uma fratura no fêmur, ela locomovia-se com o auxílio de uma cadeira de rodas. Vó Quita tinha, ainda, um marcapasso desde os cem anos. De acordo com familiares, a idosa era lúcida e cheia de vivacidade.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.