Segunda-feira, dia 02 de junho de 2008, atualizada às 16h36

Resolução do Contran entra em vigor e venda de capacetes aumenta em cerca de 40% neste segunda



Priscila Magalhães
Repórter

A Resolução 203 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece regras para o uso do capacete entrou em vigor neste domingo, 1º de junho, e o movimento nas lojas de acessórios aumentou em 40% nesta segunda, 02.

Para o gerente de uma loja de acessórios e manutenção de motos em Juiz de Fora, Ângelo Carlos Lino Gonçalves, a expectativa é que as vendas aumentem ainda mais. A procura é pelos capacetes que tenham o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), o adesivo refletor e a viseira de proteção.

Segundo Gonçalves, quem já tiver o capacete com o selo ou etiqueta do Inmetro não precisa comprar outro produto. Basta adquirir o adesivo refletor para se adequar à regra. Um capacete novo, que atenda as exigências, custa entre R$ 50* e R$ 450*, mesmo valor dos mais antigos.

Porém, segundo o gerente, os motociclistas têm reclamado, já que precisam trocar o capacete. "Eles acham que as mudanças são desnecessárias", diz. A nova regra é válida para capacetes usados por condutores e passageiros.

Segundo a assessoria da Agência de Gestão de Transporte e Trânsito (Gettran), os 38 agentes de trânsito estão orientados a a aplicar multa em caso de não cumprimento da lei. Se o motociclista for flagrado sem capacete, vai pagar multa de R$ 127,69, ter a carteira recolhida, perdendo o direito de dirigir. Se o capacete não tiver o adesivo refletor e o selo do Inmetro, o motociclista vai perder cinco pontos na carteira e pagar multa de R$ 127,69.

*Os preços foram fornecidos em junho de 2008 em uma loja de Juiz de Fora

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.