Quarta-feira, 7 de julho de 2010, atualizada às 17h43

Lotérica que vendeu Quina premiada tem movimento 40% maior

Clecius Campos
Repórter
Foto da Loteria

A casa lotérica de Juiz de Fora que vendeu o bilhete ganhador da Quina registra aumento de 40% no número de apostas realizadas. A estimativa é do proprietário do estabelecimento, Décio Costa, que notou o incremento desde o sorteio do concurso 2.336, anunciado no último sábado, 3 de julho. Um apostador juizforano e um da cidade de Extrema, no Sul de Minas, acertaram as cinco dezenas. Cada um receberá mais de R$ 2,6 milhões.

"Sempre que há ganhadores, a população fica animada e aposta mais. É um fenômeno comum, que acaba aumentando também o movimento para o pagamento de contas." Das apostas além do normal, 70% foram na Quina e 30% na Mega Sena. Segundo Costa, a casa, que é a mais antiga da cidade, com 72 anos de operação, já entregou grandes prêmios a seus apostadores. "Esta é a maior Quina já paga em Juiz de Fora. Ficamos satisfeitos quando soubemos que o bilhete foi vendido aqui, já que nossa finalidade é fazer ganhadores."

Vencedor ainda não apareceu

Segundo informação da assessoria de comunicação da Caixa Econômica Federal, até o início da noite o ganhador juizforano não havia comparecido a nenhuma agência do banco para reclamar o prêmio. O sortudo apostou e acertou as dezenas 14, 17, 39, 45 e 76. Segundo Costa, o sumiço do apostador é normal nos dias de hoje. "É uma quantia grande. É difícil que o ganhador venha a público por causa da violência. Antigamente, os apostadores vinham à lotérica e mostravam o bilhete, atualmente não dá mais para ser assim."

O vencedor tem 90 dias, contados a partir do dia 3 de julho, para receber a quantia. Caso ele não busque o dinheiro, o valor é aplicado nos diversos fundos de benefícios sociais do Governo Federal. Cada um dos sortudos pagou apenas R$ 0,50 para fazer a aposta.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.