Combate à dengue vai mobilizar 1.200 servidores da PJF. Todos os imóveis de JF serão visitadosSerão investidos aproximadamente R$ 500 mil. Parte da verba, cerca de R$ 180 mil, será destinada ao pagamento de gratificação aos profissionais


Aline Furtado
Repórter
11/2/2011
Ação de combate à dengue

O prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos, anunciou, durante entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira, 11 de fevereiro, que Juiz de Fora vai declarar guerra ao mosquito da dengue. Na data, foi assinado um decreto, nº 10.653, para que sejam realizadas medidas de combate à doença no município.

As ações terão início no próximo dia 19 e contarão com a participação de 1.200 profissionais da administração municipal. Durante as visitas, serão recolhidos possíveis criadouros do Aedes aegypti, como garrafas pet, pneus, latas, ferro velho, recipientes plástico etc., além de ser feita a aplicação de larvicida.

Intitulada Batalhas Regionais de Combate à Dengue, a campanha deverá receber investimentos da ordem de R$ 500 mil, que serão direcionados a gastos com material gráfico, aluguel de caminhões, combustível, sonorização, entre outros. Parte da verba, aproximadamente R$ 180 mil, será empregada no pagamento de gratificação aos funcionários que atuarão na campanha. Estes profissionais terão direito, ainda segundo o decreto, a dias de folga em função dos finais de semana trabalhados.

"A ideia é envolver todos os órgãos ligados à Prefeitura, assim como entidades diversas, como é o caso do Exército, do Poder Legislativo e da população de forma geral. Infelizmente, as pessoas só acreditam depois que a doença acomete alguém próximo. Mas é preciso atuar agora porque a situação já é muito preocupante. Ainda que haja possibilidade de não termos uma epidemia na cidade, o atual índice de infestação [Índice de Infestação Predial - IIP] está muitíssimo alto, sugerindo que o número de casos será alto. É preciso lembrar que a doença não é evitável, mas a epidemia é", ressalta o chefe do Executivo. 

De acordo com o último Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (Liraa), realizado no município no mês de janeiro, o IPP é de 6,4, sete vezes maior do que o preconizado pelo Ministério da Saúde (MS). "Se a Prefeitura precisar parar para atuar apenas no combate à dengue, isso será feito", declara Mattos. Ele lembra, ainda, que se trata da maior mobilização já planejada na cidade. "Nossa preocupação é com o período após o Carnaval, já que o fluxo de pessoas que chegam e saem de Juiz de Fora é intenso, o que facilita a proliferação da doença."

Cronograma

As visitas serão realizadas durante três finais de semana, com início no próximo dia 19, nos bairros da região Sul da cidade. No dia 20, serão visitadas as residências localizadas na região Norte. Já no dia 26, o foco serão os imóveis da Zona Oeste. Prosseguindo os trabalhos, no dia 27, as visitas serão feitas na região Leste. No último final de semana, os imóveis das zonas Nordeste e Sudeste (ver mapas) serão visitados nos dias 12 e 13 de março, respectivamente. A região central, assim como as áreas rurais, deverá contar com ações específicas, que ainda serão planejadas.

Entre as 1.200 pessoas envolvidas estarão 140 agentes de endemia, 450 agentes comunitários de saúde, 80 guardas municipais, 80 fiscais de posturas, 300 pessoas de equipes operacionais, 40 agentes de trânsito, além de 110 pessoas que integrarão equipes de apoio. "Se as pessoas tiverem consciência e recolherem o lixo antes da visita, conseguiremos agilidade nos trabalhos dessas equipes multidisciplinares." Um total de 129 veículos será utilizado durante as visitas, sendo 26 kombis, 18 comuns, 5 ônibus e vans, 1 ambulância e 80 caminhões. "Mas pretendemos atingir a marca de 120 caminhões", lembra Mattos.

Outras medidas

Está prevista, ainda, a realização da Semana Escolar da Dengue, que envolverá escolas municipais e estaduais, a fim de que as informações de combate sejam repassadas aos alunos, potenciais agentes disseminadores. O prefeito afirma, ainda, que entrará em contato com o Corpo de Bombeiros, para buscar reforço nas medidas. "Já estamos contando com o auxílio de 36 homens do Exército e também da Polícia Militar."

Com relação aos lotes vagos da cidade, ele explicou que equipes da Secretaria de Atividades Urbanas (SAU) estão percorrendo todos os bairros, para realização de um levantamento a respeito de dados referentes aos lotes vagos, como calçada, muro e capina. "Caso os cuidados de limpeza não sejam tomados, pretendemos aplicar multa aos responsáveis."

Número de casos descartados diminui com o passar do tempo

Segundo dados da Secretaria de Saúde (SS), o número de casos de dengue confirmados este ano já é quatro vezes maior do que em 2010. Em 2011, já foram confirmados 44 casos da doença, enquanto, no mesmo período do ano passado, foram 10 casos. Atualmente, a cidade tem 94 notificações, sendo 44 confirmados, 39 aguardando resultados de exames e 20 descartados.

Um dado preocupante é que o número de casos descartados vem diminuindo ao longo dos anos. "Antigamente, cerca de 50% dos casos era descartado. No ano passado, apenas 7% dos casos notificados foram descartados", afirma a médica do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (DVEA), Sônia Rodrigues.

MG registra a primeira morte por dengue

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Minas Gerais confirmou, na última quinta-feira, dia 10, a primeira morte em decorrência da dengue no Estado. O óbito foi registrado em Januária, cidade do norte de Minas. No total, o Estado contabiliza, este ano, 6.639 notificações. Há nove pacientes com complicações acarretadas pela doença, além de dois pacientes com a forma mais grave do vírus e, ainda, há uma suspeita de óbito causado pela dengue.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.