Quarta-feira, 2 de junho de 2010, atualizada às 18h45

Sindicato dos Médicos vê avanço nas negociações com a PJF

Aline Furtado
Repórter

Após a reunião tripartite, entre a Secretaria de Administração e Recursos Humanos (SARH), a Associação Municipal de Apoio Comunitário (AMAC) e o Sindicato dos Médicos, realizada nesta quarta-feira, 2 de junho, o sindicato verificou avanço na negociação com a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) no que diz respeito à rescisão dos profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF). 

De acordo com o presidente do sindicato, Gilson Salomão, a SARH acenou de forma positiva para a possibilidade de readequação do parcelamento das verbas rescisórias para retirada do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), em função da demissão coletiva da categoria e a recontratação pela Secretaria de Saúde (SS). O valor seria pago em quatro parcelas. "No nosso entendimento houve um avanço e existe a possibilidade de contemplação da nossa reivindicação."

A categoria aguarda os cálculos que estão sendo realizados pela secretaria, que deverão apontar em quantas vezes serão pagas as parcelas. O estudo deverá ser repassado à AMAC e avaliado, posteriormente, pelos profissionais em assembleia a ser marcada. A proposta inicial da PJF era efetuar o pagamento da rescisão em doze meses.

Quanto à remuneração dos médicos da urgência e emergência, assim como a pauta de negociação específica da categoria, Salomão destaca que não houve qualquer tipo de avanço. "A SARH se comprometeu em apresentar uma proposta na próxima semana. Sobre a remuneração, espera-se que seja resolvida a defasagem salarial da categoria." Entre as reivindicações específicas, os profissionais buscam reestruturação da carreira e a readequação salarial dos médicos de atenção secundária à saúde, entre outros pontos.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.