• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 9 de maio de 2019, atualizada às 15h00

    Secretaria de Saúde investiga cinco mortes por suspeita de dengue em JF

    Da redação

    A Secretaria de Saúde investiga cinco mortes por suspeita de dengue em Juiz de Fora. O dado foi divulgado na quarta-feira, 8 de maio, durante reunião solicitada pelos vereadores Sargento Mello Casal (PTB), Cido Reis (PSB) e Rodrigo Mattos (PHS) para esclarecer sobre o real cenário da cidade, se existem ações e estratégias sendo feitas e o levantamento dos casos atualizados. Além dos óbitos, já foram confirmados 1.160 pessoas com dengue no município e 149 com Chikungunya.

    A gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental, Cecília Kosmann, salientou que Juiz de Fora possui hoje, o vírus dois da dengue, com maior incidência em idosos e crianças. Cecília também disse que os procedimentos feitos nas unidades de saúde são de praxe. “Se a pessoa vai no posto, com dor no corpo, febre, dor nos olhos e sem sinal de alarme, ela vai receber a orientação para fazer a hidratação em casa. O exame só é coletado a partir do sexto dia, caso a pessoa esteja evoluindo para uma piora no quadro. No posto, ela irá receber a hidratação, pois será inclusa no grupo B, e se tiver uma piora, receberá a hidratação no hospital, sendo inclusive a possibilidade de internação”.  

    O subsecretário de Vigilância em Saúde, Rodrigo Almeida, pontuou que todas as redes de saúde de Juiz de Fora, sejam elas públicas ou privadas, receberam uma capacitação baseada no protocolo de Manchester, que é atualizado anualmente. Ele lembrou ainda, que a vigilância tem o plantão epidemiológico e que havia apenas uma unidade de sentinela no município, passando agora para dez unidades sentinela que na sua maioria são pública, e tem incluído o Hospital Santa Casa, as Unidades Básicas de Saúde e UPAs, sendo elas vistoriadas diariamente pela epidemiologia. As unidades sentinela identificam, investigam e notificam, quando confirmados os casos e agravos da doença. “Fazemos isso, pois caso este fluxo comece a dar gargalo e os pacientes não forem atendidos, verificamos que é o momento de abrir um centro de hidratação, onde monitoramos no plantão 24h".

    Diante dos questionamentos, a superintendente Regional de Saúde, Joana D´arc da Costa Zanelli, informou que possui um acompanhamento do índice de infestação que é semanalmente lançado pelo município e, a partir desse acompanhamento eles podem ter a  consciência de como está a evolução da infestação. “Nossas ações começam a partir destes dados. Mas podemos minimizar os efeitos da proliferação, quando realizamos ações preventivas de baixíssimo custo. Joana destacou também as políticas públicas a partir do plano de contingência do município. “Podemos começar com as campanhas de estratégicas, como um fumacê nas ruas, mas ele não se torna tão eficiente porque ele mascara uma situação, precisamos eliminar o foco e evitar que aquela situação se torne uma epidemia”, disse.

    Diogo Mancini especialista da Secretaria Regional de Saúde trouxe dados mostrando que nos primeiros quatro meses deste ano, 66.850 imóveis foram vistoriados, sendo que 2.200 recusaram a visita, 44.344 estavam fechados e 3.101 numa segunda visita foram recuperados. Ele ressaltou que é de grande importância que a população deixe o agente de saúde entrar para verificar possíveis criadouros.

    Os profissionais ressaltaram também, que quando há notificações nas unidades de saúde sobre casos de dengue, as equipe de epidemiologia e agentes comunitários realizam uma investigação no raio de 180 metros da casa, para prevenir possíveis casos e aplicar Ultra Baixo Volume (UBV) que são adulticidas utilizados para controlar a fase alada do mosquito.

    O vereador Sargento Mello disse que não viu informativos da Secretaria de Saúde salientando a população sobre os cuidados que precisam ter com a dengue, sendo assim, ele disponibilizou os canais da Câmara para ajudar na divulgação. “Iremos ajudar na divulgação. Temos a TV a Câmara, a rádio e iremos ajudar no que for possível, para que a informação chegue até a população”. disse.

    Participaram também da reunião o coordenador de Campo Juvenal Marques, o coordenador da Defesa Civil Jefferson Rodrigues Júnior e a subsecretaria de Atenção Primária à Saúde Maria Aparecida Martins.

    Com informações da Câmara Municipal de JF

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.